Chega de noobice: 6 dicas para melhorar seu desempenho nas partidas

Chega de noobice: 6 dicas para melhorar seu desempenho nas partidas

Último Vídeo

Jogos competitivos sempre foram grandes atrações desde que a internet possibilitou games online, mas é inegável que mais do que nunca temos um leque gigantesco de opções para todos os gostos: dos casuais aos hardcore, dos cartunescos aos mais realistas e dos mais frenéticos aos mais cadenciados.

A real é que, enquanto o mundo for mundo, teremos games competitivos para aproveitar. Contudo, isso não quer dizer que a experiência pura nos deu a habilidade que queremos ou que todo mundo que começar agora já estará sabendo o que fazer. Se você quer aprimorar as suas habilidades em qualquer jogo online, separamos algumas dicas bem legais.

Mas, antes de continuar a leitura, saiba que nenhuma delas é milagrosa: ter um desempenho melhor depende de um conjunto de fatores, principalmente de tempo dedicado, então não espere nenhum resultado incrível do dia para a noite (na maioria das vezes).

1. Frames win games: contagens mais altas de fps ajudam bastante no desempenho

Desde que os esports começaram a se popularizar, tornou-se cada vez mais comum que os competidores deixassem de lado as taxas de 60 Hz e partissem para taxas de atualização maiores, como 144 Hz (mais comum) e até 240 Hz. Basicamente, Hertz é a medida utilizada para medir a frequência da taxa de atualização dos monitores, que é, em grosso modo, quantas vezes o display atualiza para exibir novas informações na tela. Mas o que é isso na prática? E por que é a nova tendência em jogos competitivos?

A Nvidia lançou um estudo bem técnico no fim de 2019 para explicar que maiores taxas de fps (quadros renderizados por segundo) garantem uma proporção de KDA (Kill Death Assist ou número de abates, mortes e assistências na partida) melhor do que em valores menores. Em outras palavras, o desempenho geral é melhor quando você joga em 144 fps ou 240 fps do que nos 60 fps padrão. Mas por quê?

-

Antes de partir para as explicações técnicas, resolvemos levar a teoria para a prática e fazer um rápido estudo: afinal, ajuda mesmo? Para isso, utilizamos como comparação dois setups de hardware e dois jogos.

Jogamos PUBG no modo Arena 8 vs 8, um game que não domino e em um modo que é menos aleatório (para retirar fatores como sorte nos drops, loot etc). Na ponta de 60 fps, utilizamos uma GTX 1070 como GPU, enquanto na ponta dos 144 fps usamos uma RTX 2080 Super da Gainward, que nos foi cedida para avaliação. Em resumo, o resultado foi bem positivo para ambos os casos quando a jogatina era em 144 fps, já que em PUBG tive alguns reflexos acentuados, como você pode conferir nas galerias a seguir.

PUBG na GTX 1070

PUBG na RTX 2080 Super

Comparando os resultados dos dois casos lado a lado, é possível ver um acréscimo de abates em 114% e 30% nas assistências, um número significativo. No total, a taxa de K/D ficou em 60%, pois as mortes acabaram aumentando um pouco ao jogar na RTX 2080 Super. Por quê? Há muitas explicações, já que há variáveis como o nível de habilidade do time adversário, a familiaridade com o mapa e muito mais, mas também existe a chance de que, com os resultados mais positivos e o grande aumento da performance, a confiança excessiva me levou a tomar mais riscos nas partidas também. Todavia, é notável o aumento do desempenho quando PUBG foi jogado com maior taxa de frames.

AA performance exibida em gráficos com a GTX 1070 em 60 fps e com a RTX 2080 Super com 144 fps

AO aumento em porcentagem do KDA nas partidas de PUBG com a RTX 2080 Super em relação a GTX 1070

Não é magia, é tecnologia

Como a Nvidia explica no vídeo, ter taxas mais altas de quadros é mais do que apenas uma sensação maior de fluidez. Atualmente, sempre buscamos o melhor setup gráfico possível em 60 fps, mas talvez essa não seja a melhor abordagem na hora de partir para o competitivo, por diversos motivos. Ter contagem mais alta de fps, mesmo que em um monitor convencional de 60 Hz, é um caminho melhor.

Fluidez de animações: a explicação aqui é puramente matemática, já que podemos resumir em números. Se seu monitor e sua taxa de fps forem 144 fps e Hz, por exemplo, a renderização da animação dos elementos na tela (o hardware exibir na tela o que acontece) é mais fluida. Isso porque quanto mais alto for, menor será a quantidade de interpolação entre os diferentes "desenhos" na tela, fazendo com que mais imagens sejam exibidas rapidamente em taxas mais altas de fps do que em taxas menores, como você pode ver no exemplo a seguir.

via GIPHY

Ghosting: por conta de como os nossos monitores fisicamente exibem as imagens, é comum que as animações tenham um rastro "fantasmagórico" (por isso o nome) quando um novo frame é exibido. Contudo, quanto menor é a taxa de fps e a atualização do monitor, maior é o rastro deixado no movimento, o que pode interferir nos reflexos.

Tearing: esse problema deve ser é o mais comum em taxas mais altas, já que a maioria dos usuários ainda utiliza monitores de 60 Hz. Basicamente, ao desativar o VSync (recurso que sincroniza os frames renderizados com o tempo de atualização do monitor), o usuário pode exigir toda a velocidade da placa de vídeo para renderizar mais rápido, ter uma experiência mais responsiva e atingir o máximo de frames possível (VSync em monitor de 60 Hz, por exemplo, limita a 60 fps). Contudo, ao desligar, acontece o tearing, que é a exibição do frame parcial incompleto, o que causa efeitos ruins na imagem. Quanto maior é a taxa de fps, menos distorcido é esse tearing, o que ajuda na precisão visual do que é exibido.

Latência de renderização: aqui talvez tenhamos o ponto mais crítico e vantajoso de ter games rodando em taxas mais altas de fps. Assim como framerate alto ajuda a vermos as animações interpoladas corretamente, elas são renderizadas com antecedência na tela. Em outras palavras: quem roda com taxas altas de quadro vê as coisas acontecerem antes. Isso é basicamente pelo fato de CPU e GPU fazerem operações muito mais rápidas, e isso dá vantagem significativa. Sabe aquele tiro que você jura que acertou, mas não acertou? Provavelmente foi por causa da latência da renderização (quando você viu o adversário ele, na verdade, já estava mais longe na realidade).

O que dizem os especialistas?

O canal Linus Tech Tips fez alguns experimentos com setups de hardwares e níveis de habilidades. Ele pediu que três pessoas, do amador ao pro player, fizessem baterias de testes em: um computador com mais de 300 fps e monitor de 240 Hz; um computador com mais de 200 fps, mas em um monitor de 60 Hz; e um computador rodando a 70 fps em um monitor de 60 Hz.

Levando em conta o teste muito melhor documentado do canal, é fácil notar como no pior caso possível o jogador de maior habilidade acertou apenas 2 de 10 vezes um bot no mapa Dust de CS:GO no setup de menor taxa de frames, enquanto no melhor hardware esse número cresceu exponencialmente.

-

Mais uma vez, a tecnologia é capaz de renderizar tudo que acontece na tela com antecedência, seja por causa dos frames renderizados antes, seja pelo processamento mais rápido das informações por parte de CPU e GPU — em 240 fps/Hz, você recebe quatro vezes mais informações em comparação com 60 fps/Hz. Esse é o clássico caso de: acertei, vi na tela, mas não contabilizou. Basicamente, o que você vê em 60 fps não é sempre a posição real do inimigo no jogo, algo que com 144 fps/Hz ou 240 fps/Hz é corrigido.

Frames mais altos ajudam a ganhar partidas?

Depende. A realidade é que, sim, taxas mais altas de quadros no PC dão vantagens, mas existem muitas variáveis. Entretanto, não estamos falando de estatística imprecisa, já que é comprovadamente vantajoso por vários aspectos técnicos. Usar um hardware melhor ou otimizar o setup para atingir taxas mais altas de quadros certamente acentua os reflexos e melhora ao máximo todas as informações visuais que você recebe do display. A experiência que tivemos ao usar uma placa melhor, como a RTX 2080 Super da Gainward, garantiu todas as vantagens citadas, evitou stutterings (quedas bruscas de performance) e deu margem maior para que a taxa de quadros não caísse em momentos importantes.

Não é à toa que 144 Hz têm se padronizado em esports e pro players. Não é uma firula, é algo que realmente ajuda. No caso de jogadores profissionais, que têm reflexos aguçados e boa percepção dos games, é uma ótima vantagem. Segundo o site Pro Settings, cerca de 98% dos jogadores profissionais usam taxas de fps e atualização de monitores em 144 fps/Hz ou superiores.

A

Até mesmo smartphones voltados para gamers já estão trazendo displays de 120 Hz para aproveitar taxas mais altas de frames. Basta ver que os jogos mais populares do momento tentam ser o mais leves e otimizados possível para extrair um grande poder de fogo do hardware.

Você pode conferir qual é a melhor configuração para DPI de mouses, ajustes gráficos recomendados e muitos outros aspectos técnicos em alguns sites especializados para tirar o melhor proveito do seu hardware. Contudo, esse auxílio para melhorar o desempenho está atrelado a outros fatores, já que há muitas variáveis, como veremos.

2. Estude o jogo: conhecimento traz vantagens

Não adianta: se você quer mandar bem em um título específico, só jogar repetidamente não é garantia de aprimoramento. A realidade é que, mesmo sabendo muitas táticas do seu game predileto, é bem possível que você não tenha aprendido ou percebido certas coisas dele.

Assistir a dicas e partidas de pro players e estudar as coisas que estão indo bem na temporada atual do jogo é essencial para se dar bem. Em um battle royale, por exemplo, é preciso saber a taxa de itens raros em cada localidade do mapa, quais são as armas com melhores estatísticas, os itens que mais têm combos para buffs e causar debuffs no inimigo e por aí vai. Diversos sites, como o Stay in Pit para CS:GO, trazem estatíticas interessantes sobre diversos jogos.

AAs armas mais compradas em CS:GO na temporada 7 do ECS em 2020

Infelizmente, se você não vive para destrinchar o game ou não estuda tecnicamente cada nota de atualização dele, a probabilidade de estar deixando passar algum detalhe importante é grande. Por conta disso, é essencial estudar, da mesma forma que para uma prova, todas as informações possíveis. Card games, como Magic the Gathering: Arena e Hearthstone, sempre têm lançamentos de coleções que trazem novos metas e combos.

AEstude como se fosse uma prova! Fonte: GIPHY

3. Mouses e teclados gamer melhoram o desempenho?

Mouse

É claro que quanto mais tempo você dedicar a um jogo, melhor vai ficar nele, por aprender os macetes, as mecânicas e compreender melhor os objetivos. Porém, chega um momento que parece que seu avanço acaba sendo bloqueado. Suas habilidades não são usadas tão rápido quanto gostaria e você morre em momentos cruciais. É aí que os equipamentos podem fazer toda a diferença, pois permitem que você faça o que deseja de modo rápido e confiável.

Um mouse com DPI alto não é somente mais preciso como também cria movimentos mais suaves do cursor, o que permite que os olhos foquem facilmente e impede que ações complexas sejam perdidas no meio do caos de uma batalha em equipe. Além disso, os modelos com teclas de atalho diminuem o tempo necessário para os dedos passarem de uma tecla para outra, aumentando bastante o número de habilidades que se pode utilizar de forma seguida.

(Fonte: Getty Images/Reprodução)(Fonte: Getty Images)

Mouses com fio oferecem um desempenho melhor em comparação com as opções sem fio, pois seu sinal é enviado mais rapidamente para o processador, diminuindo a latência. Porém, o fio ainda pode atrapalhar os movimentos, por isso os mouses bungees são de grande auxílio. Eles são projetados para evitar o emaranhamento de cabos e garantir uma movimentação precisa com total liberdade, melhorando a experiência do jogo.

A(Fonte: Reprodução)

Teclado

Vamos começar pelo básico: qual é a diferença entre um teclado padrão e um usado em esports?

Primeiro, os jogadores profissionais optam por teclados mecânicos, que usam comutadores individuais para cada tecla. Basicamente, são como botões em um gabinete de fliperama, cada um tem seu próprio circuito específico e uma mola mecânica dedicada, tudo para aumentar a precisão.

(Fonte: Pixabay/Reprodução)(Fonte: Pixabay)

A escolha certa de teclado também interfere no tempo de que os dedos precisam para passar de uma tecla para outra. Quando uma tecla é tocada, leva um tempo para que ela fique totalmente pressionada e registre a ação. Teclados gamer têm teclas com resistência mais baixa, então demoram bem menos para serem pressionadas. Pode parecer insignificante, mas até alguns milissegundos a mais, principalmente em jogos de luta e MOBAs, podem significar a diferença entre a vitória e a derrota.

4. Alimentação, cuidados psicológicos e alongamentos são essenciais

Profissionais de esports também são atletas, precisam de treinos e de todos os cuidados necessários para manter corpo e mente saudáveis. A rotina de muitos deles inclui não apenas exercícios físicos e fisioterapia mas também acompanhamento psicológico.

Normalmente são jovens e atletas iniciantes, por isso costumam apresentar os "vícios" adquiridos por jogar em casa. Antes de entrar para uma equipe, muitos jogavam nos próprios horários, com alguém levando comida para a mesa do computador e os lembrando de parar em alguns momentos para se alongar.

AComa de forma saudável e evite besteiras (Fonte: GIPHY)

Contudo, no cenário profissional as coisas mudam completamente, e eles passam a ter períodos definidos para as atividades e regras a serem cumpridas. É por isso que o auxílio de um psicólogo começa a ser importante, pois ajuda a desenvolver uma mentalidade mais profissional. Além disso, existe a constante pressão dos campeonatos. A necessidade de manter um excelente desempenho e morar com uma equipe com a qual não tinha muito contato antes de ser contratado.

(Fonte: Pixabay/Reprodução)(Fonte: Pixabay)

Exercícios físicos e fisioterapia também têm papel essencial, afinal são muitas e muitas horas na frente do computador e na mesma posição, o que pode causar a famosa lesão por esforço repetitivo (LER) e outros problemas musculares.

Manter uma dieta balanceada é de suma importância para todos os seres humanos, mas no caso de atletas de esports a necessidade é redobrada. Sem vitaminas e nutrientes importantes para o bom funcionamento do cérebro, a capacidade de raciocínio e de tomar decisões rápidas fica comprometida, o que pode afetar gravemente o desempenho.

Se eu não sou profissional, preciso me preocupar com tudo isso?

(Fonte: Getty Images/Reprodução)(Fonte: Getty Images)

A resposta é: sim, você precisa. Todo mundo tem que cuidar do bem-estar físico e emocional. Se estiver planejando altas horas de jogatina, evite se alimentar apenas de salgadinhos, refrigerantes e outras comidas com baixo valor nutricional. Prepare lanches mais saudáveis, tente não abusar de açúcar, cafeína e álcool e não se esqueça de tomar muita água.

Mesmo que muitos considerem os jogos uma forma legal de aliviar o estresse e relaxar após um longo dia, sempre pode rolar uma competição entre amigos ou uma frustração por enfrentar alguém que parece ser melhor. É importante respirar fundo nessas horas e levar na esportiva. Agir de forma agressiva ou mal-educada não vai mudar o resultado de uma partida e só passará a sensação de que talvez você não saiba lidar com derrotas.

ASe estiver muito irritado, é melhor dar uma pausa! Fonte: GIPHY

Se sentir que só está ficando mais estressado ou deprimido, não tem problema parar um pouco e esperar algumas horas (ou até mesmo dias) antes de jogar de novo. Os games foram feitos para serem divertidos, e não para irritarem ainda mais — então nada de quebrar o teclado ou jogar o controle na parede, ok?

Alongamentos também são muito importantes e ajudam a aumentar a força muscular. O ideal é realizá-los pelo menos três vezes por dia e começar com dez repetições, aumentando conforme ganhar mais resistência.

ASe alongue de forma adequada e não exagere! Fonte: GIPHY

Bolinha de tênis

Comece segurando uma bola de tênis na palma da mão. Aperte o mais forte que puder, mas sem causar dor. Mantenha a pressão por 5 segundos e então relaxe.

FFonte: Brace Ability

Oposição do polegar

Junte o polegar e o indicador. Aperte o mais forte que puder (novamente, sem causar dor) e mantenha-se assim por 5 segundos. Em seguida, junte o dedo médio e o polegar e repita o exercício. Faça o mesmo com os outros, unindo-os com o polegar. O ideal é fazer pelo menos três repetições para cada dedo.

Outros alongamentos legais

Na imagem a seguir há outros alongamentos para braço, ombro, pescoço e punho que também são ótimos para relaxar o corpo.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

5. Monte uma equipe e elimine o máximo de variáveis possíveis

Você já sentiu que estava mandando muito bem, mas o time não ajudava e o grupo adversário tinha total sinergia? A realidade é que, por melhor que você seja, uma excelente equipe sem sintonia pode facilmente perder para uma mediana, mas que tenha uma ótima comunicação.

AFonte: GCTN

Parece uma dica óbvia — e é —, mas faz parte para ter um desempenho melhor. Quando você começa partidas sem comunicação e sem objetivos em comum, não elimina muitas variáveis e potencializa o fator humano e aleatório. Ter amigos para montar um time de confiança, que pratique junto e tenha excelente comunicação é essencial para potencializar as vitórias em jogos competitivos em grupo.

6. Jogar nem sempre é o melhor treino: use ferramentas para aprimorar seus reflexos

Você já parou para pensar que muitos games atuais, como PUBG, Fortnite e Call of Duty: Warzone, colocam os jogadores em situações em que nem sempre estão combatendo o inimigo e recompensam muito mais estratégia, posicionamento e até camping (o ato de se esconder e tentar matar o adversário sem que ele perceba)?

A realidade é que em muitos títulos o treino para melhorar mira e habilidades de tiro é extremamente limitado. Em outras palavras, jogar até a exaustão não necessariamente melhora o desempenho. Então o que fazer para aprimorar a mira? O canal ambiguousamphibian fez um teste muito interessante utilizando dois programas: Kovaak Aim Trainer e Ultra Bullet Curve.

-

Basicamente, por 2 horas seguidas em 7 dias consecutivos, o youtuber fez diversos treinos de mira e rastreamento de mouse para tentar melhorar o desempenho. Existem diversos testes, e para ele alguns mostraram ótimos resultados, enquanto outros apenas uma leve melhoria.

Apesar de ser uma ótima forma de treinar, o criador de conteúdo ressaltou três pontos que comentamos por aqui: estar descansado e não se forçar a jogar repetidamente ajuda muito; ter um bom mouse e teclado para se acostumar com a melhor ergonomia possível melhora os instintos e a memória muscular; e jogar em taxas altas de quadro em um monitor de atualização melhor ajudou muito a aumentar a performance, já que o próprio youtuber disse que, apesar dos pequenos avanços, a diferença gritante veio somente quando ele jogou com maior fps e um display melhor

ANão há dica que te salve se você for ruim de mira! (Fonte: GIPHY)

...

Conclusão

A realidade é que se aprimorar em jogos competitivos não é uma tarefa fácil. Existem inúmeras variáveis, como a percepção do game em questão, as animações, a capacidade de decisões, a rapidez para se esquivar de ataques inimigos e usar cobertura, o seu time e o adversário, a comunicação, o loot em battle royales, a aleatoriedade de encontrar um inimigo em determinadas situações e muito mais.

Em suma, não existe uma fórmula mágica para melhorar: a conta é complexa demais, e o fator humano é muito alto para ter uma dica de ouro que vai fazer você ser melhor da noite para o dia. Entretanto, isso também não quer dizer que você não pode maximizar tudo o que pratica diariamente e eliminar ou minimizar o máximo de variáveis possíveis. Não desanime!

ANão se irrite! O seu progresso vem com o tempo (Fonte: GIPHY)

Ter uma boa rotina de treino, uma equipe confiável, fazer exercícios, estudar cada aspecto do jogo no qual você está querendo melhorar e principalmente ter um bom hardware para eliminar quaisquer problemas técnicos, como uma placa de vídeo para atingir níveis altíssimos de quadros por segundo e um monitor com maior taxa de atualização, são essenciais.

Isso quer dizer rapidamente você será um ótimo jogador? Não. Mas certamente seguir muitas dessas instruções o tornará melhor.

E aí, o que achou das dicas? Está a fim de testar muitas delas e ver o seu progresso? Conte para nós nos comentários.

Chega de noobice: 6 dicas para melhorar seu desempenho nas partidas via Voxel

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários