Voxel
88
Compartilhamentos

Coluna do Carpe #24: Minecraft é um novo clássico

Último Vídeo

Minecraft explodiu em popularidade por volta de 2012. Até maio daquele ano, mais de 4 milhões de vídeos relacionados ao game já haviam sido upados no YouTube. O jogo dominou a plataforma por anos.

Dados recentes mostram que, em termos de visualizações no site, Minecraft só fica atrás do sucesso do momento, Fortnite. Enquanto que o jogo da Epic Games rendeu 5,09 bilhões de visualizações no mês de abril, Minecraft abocanha o segundo lugar na plataforma com 2,39 bilhões.

Já em número de jogadores ativos, Minecraft ainda é soberano. São aproximadamente 74 milhões, o equivalente a base de usuários de PlayerUnknown’s Battlegrounds e Fortnite somados. Trata-se de um jogo lançado há quase 10 anos e que ainda é um adversário a ser batido.

É o 2º game mais vendido de todos os tempos: são 144 milhões de cópias somando todas as plataformas, e os números crescem em um ritmo constante. Só fica atrás de Tetris, com 170 milhões - jogo este que tem 27 anos de vantagem.

Trata-se de um jogo lançado há quase 10 anos e que ainda é um adversário a ser batido

A aquisição da propriedade intelectual e seu estúdio pela Microsoft por 2,5 bilhões de dólares em novembro de 2014 não foi à toa. O game continua recebendo grandes atualizações, prova de que a Microsoft pretende mantê-lo em alta por muito tempo.

Mesmo com o passar dos anos, Minecraft se mantém um dos maiores nomes na indústria, contrariando os que diziam ser apenas uma moda passageira. Ele veio para ficar. Pode acreditar: estamos diante de um novo clássico.

Surgimento

Minecraft é obra do sueco Markus Persson, mais conhecido como “Notch”. Tudo começou como um hobby, um projeto pessoal em seu tempo livre, mas o sucesso repentino em 2010 acabou incentivando o programador a abandonar seu emprego para se dedicar inteiramente ao jogo, fundando um estúdio para tal, a Mojang. O game foi disponibilizado ao público pela primeira vez em maio de 2009, chegando a sua versão final em novembro de 2011.

Coluna do Carpe

Assim como tudo na indústria do entretenimento, Minecraft não é algo 100% novo ou original. Suas principais influências foram Dungeon Keeper, Dwarf Fortress e Infiniminer. É de onde vieram as ideias de um mundo gerado proceduralmente, a possibilidade de minerar e os vários elementos de sobrevivência e RPG.

As razões do sucesso

Porque Minecraft viralizou e continua tão popular com o passar dos anos? Isso se dá através de vários fatores, mas acredito que o principal deles seja a sua natureza social. Trata-se de uma experiência construída por sua própria comunidade.

Segundo uma pesquisa realizada em 2011 pela Escola de Comunicação de Annenberg, da Universidade da Pennsylvania, um terço de seus participantes conheceu o jogo através de amigos.

A mesma pesquisa também aponta que 30% dos entrevistados aprenderam algo sobre o game em vídeos na internet. Mídias sociais, como o YouTube, Facebook, Twitch e Reddit, ajudaram muito a popularizar o título.

É um jogo cuja experiência praticamente pede por guias e dicas, principalmente em suas primeiras versões, seja por noções básicas até ideias de construções mais elaboradas. Sim, o game conta com seus próprios tutoriais e pode ser facilmente entendido sem o uso de recursos externos, mas é um caminho mais longo e limitado.

Coluna do Carpe

Sua proposta como um jogo de código-fonte aberto também é um elemento importante nessa natureza social. Por permitir modificações, e de maneira consideravelmente fácil, é um game cujas possibilidades nunca acabam. Sempre há algo novo vindo da comunidade.

Minecraft recebe atualizações gratuitas desde seu lançamento e isso é louvável, mas nada se compara ao que os próprios jogadores tem feito. É uma quantidade e variedade de conteúdo que empresa alguma seria capaz de produzir. Pouquíssimos jogos conseguem rivalizar em termos de valor agregado, visto o preço do game e tudo o que ele pode oferecer.

É possível dizer até que a febre do momento, os jogos de battle royale, nasceram no Minecraft, nos tais “Hunger Games”. É um ótimo exemplo do potencial do desenvolvimento colaborativo, entre o estúdio e seus fãs.

Por permitir modificações, e de maneira consideravelmente fácil, é um game cujas possibilidades nunca acabam

Em uma sociedade que volte-e-meia associa videogames a tudo o que há de ruim, como a violência e problemas mentais, Minecraft funciona até mesmo como uma ferramenta educacional, muito mais atraente às crianças do que métodos tradicionais.

Professores no mundo todo estão utilizando o game para ensinar sobre história, geografia, música e lógica. É justamente por isso que, em 2016, lançaram o Minecraft: Education Edition, uma versão do game voltada à educação. Ela oferece 50% de desconto aos professores e ferramentas específicas para o aprendizado.

Coluna do Carpe

Outro aspecto decisivo no sucesso do game se dá ao fato dele ser bastante acessível, e em todos os sentidos. Minecraft está disponível em praticamente qualquer plataforma, desde consoles até smartphones, e custa bem menos do que a maioria dos títulos pagos à venda nas lojas digitais.

O crossplay foi outro grande passo nesta direção. Já é possível jogar com amigos de diferentes plataformas e sistemas, o que só fortalece a base de jogadores e a marca do game, em si. A comunidade de Minecraft está acima das divisões entre Xbox, Nintendo, PC ou mobile.

Seu conceito de gameplay é atraente tanto para crianças quanto para adultos, devido a sua liberdade e simplicidade. É fácil de entender e de jogar, permitindo inúmeras abordagens diferentes.

Outro aspecto decisivo no sucesso do game se dá ao fato dele ser bastante acessível, e em todos os sentidos

Gosta de jogos de sobrevivência? O game todo é em torno desta ideia, possibilitando até cultivar fazendas e plantações. Pra quem prefere apenas construir, há o modo Criativo, focado nisso. Quer explorar? Sem problemas, os algoritmos de geração procedural criam mundos únicos e maiores até do que o próprio planeta Terra, com florestas, montanhas, desertos e cavernas. Se a sua praia é caçar e batalhar, boas notícias: vários animais povoam os mundos durante o dia, enquanto que à noite é cheia de monstros.

Não há um objetivo pré-determinado: você cria sua própria história, sua própria diversão, sozinho ou com amigos. A liberdade oferecida é praticamente incomparável.

Trata-se de um jogo atemporal. Concorrentes com gráficos mais bonitos não são capaz de roubar seu lugar, porque o brilho está em seu conceito único, e não na aplicação. É um jogo que elevou a ideia de sandbox a um patamar até então inimaginável.

Coluna do Carpe

Seu impacto cultural é tão grande que existe até uma convenção dedicada ao game, a Minecon. É realizada ao redor do mundo desde 2011 e reúne milhares de fãs, com os ingressos esgotando em horas.

Consiste em um grande encontro da comunidade, com anúncios e lançamentos de novidades, conversas com os desenvolvedores, concursos de cosplay e itens de merchandising comemorativos. Dá pra contar nos dedos os jogos que possuem eventos anuais deste tipo.

Entrou para a história

Muito além de um simples sucesso comercial, Minecraft influenciou a cultura dos jogos como um todo. É o game que melhor simboliza a nova era de games que emergiu com a popularidade das mídias sociais, cada vez mais coletivos e compartilhados.

Se hoje olhamos para o passado e lembramos de jogos como Super Mario Bros e Doom, que moldaram o que hoje conhecemos como videogames, um dos clássicos do amanhã, sem dúvida alguma, será Minecraft.

******

Você pode encontrar mais do Carpenedo em seu canal no YouTube e trocar uma ideia através do Twitter.

A Coluna do Carpe vai ao ar toda quinta-feira aqui no Voxel – caso ainda não tenha visto, vale a pena conferir a última edição.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários