Voxel

Hands-on: Ghost Recon Breakpoint é surpreendente e tem combate de peso

Último Vídeo

A Ubisoft anunciou dias antes da E3 2019 Ghost Recon: Breakpoint, o novo título da série tática da companhia, e surpreendeu muita gente com um trailer que prometia uma evolução bem grande e o maior game da franquia até hoje em muitos aspectos, incluindo a história, que terá o ator Jon Bernthal interpretando o antagonista da trama – algo que pode ser uma adição de peso para entregar mais carga dramática.

O jogo não está longe, mas o Voxel já teve a chance de ter uma pequena prévia e jogar uma das missões do jogo durante o Warner Summit 2019, evento que traz diversas novidades de games da empresa no Brasil. Se você está curioso para mais de Ghost Recon: Breakpoint, confira as nossas primeiras impressões!

-

O combate tático retorna à casa

Para jogadores que tiveram contato tardio com a franquia Ghost Recon, a ideia pode ser de que se trata o “The Division com temática paramilitar da Ubisoft". Contudo, esse nem sempre foi o caso. Em seus primórdios, a série era reconhecida por ter um combate muito mais tático, cadenciado e focado em guerras.

Aparentemente, a Ubisoft está resgatando o clima realista que Ghost Recon consolidou no passado, pois o que senti durante a jogatina foi uma evolução bem grande no combate, com mais opções de abordagens, escolhas de assalto às fortificações inimigas e, no geral, um sistema bem mais robusto.

A missão era curta, mas foi possível reparar brevemente no novo mundo aberto (no arquipélago de Auroa, que terá 11 biomas, segundo a Ubisoft), na movimentação do personagem, que comentarei mais em breve, e nos obstáculos do terreno hostil às ações do protagonista.

Infelizmente, a build que esteve disponível para o público não permitia que as missões fossem cooperativas. O esquadrão formado em até quatro pessoas pode ser um dos pontos fortes do game que, somado às mecânicas táticas, tem tudo para não só ser uma evolução de Wildlands como voltar às raízes da franquia de uma forma muito mais moderna.

Qualidade refinada: cada tiro trocado e dado tem peso

Certamente, o que mais me chamou atenção foi a melhoria na movimentação dos personagens. De longe, foi o que mais deu peso à jogatina, literalmente. Os movimentos leves saem de cena e entram os efeitos físicos e mais realistas. Na teoria parece só mais uma abordagem para se aproximar de um simulador, mas na prática há uma grande diferença.

O avatar do jogador acumula momento em suas ações, fazendo com que cada parada ou virada brusca durante uma corrida tenha um efeito físico. Pode parecer bobeira, mas isso enriquece o gameplay e dá a cadência realista que um Ghost Recon merece.

A

A Ubisoft parece seguir os moldes da Infinity Ward (ou, na realidade, ambas tiveram ideias parecidas) e adicionar mais tranco a cada tiro, seja ele disparado ou recebido. A ideia é que o personagem se machuque durante as lutas armadas a ponto de ficar debilitado, com dificuldades de se locomover. E, de fato, isso ocorre de uma maneira bem legal. O combate com as armas é algo que realmente me surpreendeu e tirou a expectativa das famosas “balas de festim” dos games de ação. Combinado com o sistema que muda a mira das armas de terceira para primeira pessoa de forma dinâmica, o resultado é impressionante.

E, para finalizar, os terrenos íngremes do arquipélago de Auroa realmente são um diferencial à parte. Fugir de inimigos enquanto desce um barranco não é tão simples quanto parece. Assim como na vida real, não ter cautela para descer pedras acarretará um tombo feio – e extremamente legal de ver, com perdão do sadismo, pois os efeitos de física são bem interessantes.

Certamente, há pequenos bugs e os visuais ainda precisam de polimento, mas a Ubisoft deve entregar isso até o fim de desenvolvimento. A amostra foi pequena, mas Ghost Recon: Breakpoint superou as minhas expectativas. Eu sou cético com a franquia que, apesar de divertida, deixou de ser uma série que tem apelo aos meus gostos há certo tempo. E, ter uma boa prévia como essa, é sempre bom para surpreender positivamente.

Ghost Recon: Breakpoint chegará ao PS4, Xbox One e PC no dia 4 de outubro de 2019.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários