Voxel
93
Compartilhamentos

Jump Force é um game feito para fãs de cultura japonesa, diz executivo

Último Vídeo

Brasil Game Show 2018 chegou ao fim, mas ainda temos uma quantidade bem grande de material para mostrar do evento. Entre as nossas conversas, tivemos a chance de falar com Denny Chiu, o diretor de comunicações da Bandai Namco, sobre Jump Force.

Durante nosso bate-papo com ele, eu e o ilustre Victor Francesco conversamos bastante sobre as ações de Jump Force no mundo, o novo jogo que combina personagens de anime de diferentes obras e décadas, e discutimos algumas características do game e outros detalhes do título de luta da desenvolvedora.

-

Jump Force é um game para amantes da cultura japonesa

Jump Force não foi feito para eSports. Como Denny Chiu nos contou, a Bandai primeiro faz um jogo e depois vê a recepção da comunidade: caso ele seja bem-recebido como um jogo competitivo, então há o andamento para que entre na cena do eSports. Com Jump Force será a mesma coisa.

Mas de qualquer forma, dificilmente ele chegará às telonas da EVO ou terá grandes campeonatos nacionais e mundiais, pois sua proposta é ter algo mais simples, mas extremamente divertido, que tem como objetivo celebrar os 50 anos da revista Shonen Jump.

A

Por causa desse âmbito de comemoração, temos heróis e vilões das mais variadas obras, como Dragon Ball, HunterxHunter, One Piece, Bleach e por aí vai. Apesar de ser focado em personagens da Shonen Jump, eles são tão famosos que, no fim, o game é voltado para todos os amantes de cultura japonesa, segundo Denny Chiu.

Em outras palavras, a ideia não é criar algo extremamente competitivo, mecânicas avançadas e gameplay que sirva de vitrine na EVO, é algo mais divertido, mais arcade. Mas daí vem o X da questão: como balancear tanta gente diferente na mesma tela?

Balanceando gerações e gêneros diferentes

Em Jump Force, temos personagens mais poderosos, como Goku, lutando contra figuras como Yugi, de Yu-Gi-Oh!, que gerou o famoso cardgame. E como pode os dois lutarem em pé de igualdade? A Bandai Namco tomou algumas ações para que todas as estrelas coexistam de forma harmoniosa.

Antes de falar de nível de poder, que é a grande brincadeira aqui, é preciso que eles fiquem contextualizados sob uma mesma bandeira. E é justamente por isso que o jogo tem um cross-over do mundo dos animes com o mundo real e optou por um motor gráfico que traga visuais mais fotorrealistas (no caso, a Unreal Engine 4).

A

Os visuais serão um ponto-chave para deixar a experiência mais congruente, seja em uma Genki Dama de Goku a golpes mágicos de Yugi. Portanto, mesmo que na teoria alguns personagens não estejam equivalentes, há um cuidado da Bandai para que exista uma forma de contextualizar a situação (algo que veremos também no modo história).

Com legendas, mas sem dublagem em português (mas com chances de receber no futuro)

Já que o game é feito para os amantes de cultura japonesa, não tem público mais fiel a isso do que o brasileiro. Nós temos um grande apreço por animes, principalmente os clássicos, e isso gerou até mesmo alguns títulos dublados com os atores originais, como Saint Seiya: Alma dos Soldados. Mas e Jump Force?

Já temos a confirmação que o game terá textos totalmente em português. Portanto, o povo tupiniquim não ficará desassistido de suporte ao idioma nativo. Mas, por enquanto, a dublagem não virá. Por enquanto.

-

Durante o bate-papo, Denny Chiu nos explicou que é difícil juntar uma equipe enorme de dubladores de uma só vez, que combine com a agenda de cada um para que a dublagem dê certo. E, por conta de problemas de atraso, o lançamento mundial não pode ficar comprometido.

Segundo o executivo, caso a oportunidade exista no futuro, nada impede que o game receba dublagem no futuro, o que seria algo muito bem-vinda ao Brasil, já que adoramos ver nossas obras japonesas com as dublagens originais.

Ainda há muitos anúncios a serem feitos e veremos mais personagens aparecendo, assim como Seiya e Shiryu foram revelados durante a BGS 2018. Jump Force parece ser um game que pode agradar os fãs, então teremos que esperar até fevereiro para ver o game no PC, Xbox One e PlayStation 4.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.

Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Participe agora deixando seu comentário Acesse sua conta
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários