Voxel

Konami poderia seguir os passos da Capcom e reacender tocha da era de ouro?

Último Vídeo

Durante a E3 2019, a Konami surpreendeu os fãs com um anúncio bem inusitado: Contra: Rogue Corps foi revelado durante o Nintendo Direct e chegará para Switch muito em breve, trazendo a jogatina shoot 'em up que marcou época.

Ok, o jogo teve sua dose de pontos negativos pelo trailer, mas é, no pior dos cenários, algo muito positivo para a empresa e para os fãs: afinal, se um jogo novo além de PES está em produção, a companhia pode estar olhando com carinho para as suas franquias queridas, como Castlevania, Silent Hill, Suidoken e outras (menos Metal Gear — essa é melhor deixar finalizada do jeito que está).

-

Financeiramente, a Konami não precisa de mais

A Konami teve a sua era de ouro durante as gerações 16 e 32 bits, além de publicar verdadeiras lendas dos games nos anos subsequentes, como Metal Gear Solid 3 e 4, Silent Hill 2, Zone of the Enders e muitos outros. Hoje, a Konami atua no mercado japonês e usa o fértil solo nipônico para lucrar (e muito) com suas máquinas de pachinko e games voltados ao mercado oriental.

Nos últimos relatórios fiscais da Konami, vimos que pelo segundo ano consecutivo a empresa teve recorde lucro em sua história de existência. Sim, a Konami lucra mais do que nunca, mesmo não focando no mercado de consoles, jogos AAA e o modelo que mais conhecemos atualmente.

A

O foco começou a ser passado de leve das grandes produções para títulos mais simples. Nesse período, vimos a queda da Kojima Productions, o cancelamento de Silent Hills (que poderia ser o melhor jogo da série) e a manutenção anual de Pro Evolution Soccer.

Logicamente, apostar de volta em games de alto valor de produção é um risco, mesmo que baixo perto do lucro astronômico da companhia. Dinheiro sempre será dinheiro. Mas e se retornar à relevância de outrora fosse justamente um motivo para ter mais lucro?

Emocionalmente, a Konami amplia o mercado

O cálculo não é tão simples, mas, havendo demanda, a Konami pode prover a oferta. E há uma legião de fãs que espera por um retorno das grandes séries. A Capcom teve uma época baixa há uns anos, mas recentemente retornou com tudo, recriando sua era de ouro de pouco em pouco.

De 2016 a 2018, a Konami lançou apenas jogos menores e PES — além de não anunciar nada grandioso. Entretanto, do fim de 2018 até agora, parece que os fornos da companhia estão reaquecendo. Algumas coletâneas clássicas de Castlevania e Contra foram lançadas e um novo Contra foi revelado.

A

Com o recente sucesso da Capcom, o modelo de trazer a nostalgia como produto pode ser um novo horizonte para a empresa. Remakes, sequências, coletâneas: o saudosismo bate forte, e vimos que a E3 2019 foi recheada dele, com Banjo, Contra, Grandia, série Mana e muito mais. Mas será que esse é o futuro?

Jogos eventuais ou algo mais no horizonte?

A realidade é que tudo que falamos até agora é apenas uma reflexão. Como apontado, a Konami não está mal das pernas: muito pelo contrário, já que nunca esteve tão bem. Apesar de cada vez mais vermos a produção de coletâneas e até de jogos novos, isso não necessariamente é um indício de um futuro brilhante nos consoles.

A

O que a Konami pode estar fazendo é apenas a manutenção de suas IPs. Bomberman teve destaque há uns anos, Contra terá seu lugar ao sol e Castlevania sobrevive nas coletâneas, que são ótimas opções para novos fãs. Entretanto, pode ser que o escopo pare por aí.

E, se parar, devemos pensar que não há problema. O que existiu de bom ainda existe e podemos sempre nos lembrar com carinho. Para os viúvos e viúvas dessa era de ouro, há alternativas independentes que tentam ser sucessores espirituais dos jogos que marcaram época, como é o caso do excelente Blazing Chrome (que é brasileiro) e de Allison Road, Timespinner e muitos outros.

A

Todavia, é difícil não alimentar a imaginação e pensar, sonhar e idealizar o retorno triunfal de uma das maiores produtoras de games dos anos 1990. Se os fornos da Konami estão reaquecendo para novidades nos consoles ou se restam apenas as brasas de outrora é difícil saber, mas os nossos desejos de ver as chamas e toda a glória do passado sempre estarão em alta.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários