Voxel

Review: HyperX Cloud Alpha

Último Vídeo

A marca HyperX já é conhecida pelos gamers brasileiros e está trazendo para o Brasil seu headset HyperX Cloud Alpha, o primeiro da nova geração de headsets da fabricante. Será que ele traz atrativos que o diferenciam dos outros da marca? Botei as mãos nessa novidade para saber.

O diferencial desse produto é a tecnologia sonora. Ele traz o inovador design de driver dual chamber, que separa os graves e os agudos e colabora para um som mais limpo e sem distorções. Os materiais utilizados são de boa qualidade, o que faz com que ele seja muito confortável, principalmente nas orelhas.

Como esperado de um headset gamer, ele é compatível com PC, consoles e basicamente qualquer dispositivo que tenha um conector de 3,5 mm. Seu microfone não é um diferencial, mas cumpre bem o papel para quem quer se comunicar online. Vamos ver os detalhes.

Headset Cloud Alpha

Design padrão e muito conforto

O headset segue o estilo padrão da linha HyperX Cloud e não tem nenhum destaque no visual - nada de luzes coloridas ou design arrojado. Os toques em vermelho ajudam a deixá-lo um pouco mais interessante, mas definitivamente não é um ponto de destaque.

Já os materiais parecem de muita qualidade. A estrutura do headset é toda de alumínio e não tem emendas, o que o deixa bem firme. As partes que não são revestidas de couro são emborrachadas. As conchas e o arco da cabeça são de espuma memory foam, exclusiva da HyperX, e revestidos com couro sintético bem macio e de toque agradável, sem perder a firmeza ou abafar. As conchas são grandes, as orelhas ficam muito bem acomodadas e confortáveis, mesmo usando brincos coisa que nunca tinha acontecido comigo antes.

Headset Cloud Alpha

Você tem total controle do ajuste do headset, podendo deixá-lo mais apertado ou folgado, sem prejudicar a firmeza. Ele fica um pouco pesado no topo da cabeça, pelo menos até você achar a regulagem ideal. No primeiro dia, deixei mais apertado pensando que assim ele ficaria mais firme, mas fiquei até com dor de cabeça. Depois que percebi que poderia deixar o ajuste mais largo sem o headset ficar frouxo, não tive mais problemas.

Segundo a marca, um diferencial do Cloud Alpha é a possibilidade de ajuste amplo, confortável até para quem tem um cérebro avantajado mais conhecido como cabeção.

Cabos e conexão

O headset vem com cabo de 1,3 metro destacável trançado, mais resistente que os simples de borracha, e um extensor/divisor de 2 metros do mesmo material. Como o headset é de conexão analógica, não é necessário nenhum driver para utilizá-lo.

O conector é único 3,5 mm, o que permite que ele seja usado em aparelhos que têm a saída de áudio e a entrada de microfone em um único plug é o caso do PS4, Xbox One, celular e alguns notebooks. Para usar da forma tradicional, com microfone e saída de áudio separados, é só utilizar o extensor/divisor. Segundo o fabricante, o headset é compatível com qualquer equipamento que tenha conector de 3,5 mm.

Headset Cloud Alpha

O controle de volume e a chave de mudo do microfone estão acoplados no cabo. Aqui, vale um comentário: a rodinha do volume é acessível pelas duas laterais, sem indicação visual de “mais” e “menos”, e não tem como você saber se está aumentando ou abaixando o volume. Em um lado dela, girar para cima aumenta e para baixo diminui. Do outro acontece o oposto, já que é uma rodinha única. Até você decorar qual lado está “certo” e qual está “errado”, vai errar muito. Eles poderiam ter feito da forma tradicional, deixando só um lado aparecendo, ou com sinalização de “mais” e “menos”.

Tecnologia inédita dual chamber

Conforme mencionado, o grande diferencial desse headset é a tecnologia da HyperX de driver dual chamber, ou seja, com duas câmaras. Falando tecnicamente, elas separam os sons graves dos agudos e médios, o que, segundo a HyperX, gera um som mais limpo, suave e sem distorções. Adiante eu digo se achei isso mesmo. É o tipo de coisa que sempre parece que não vai fazer nenhuma diferença, mas, neste caso, fez sim.

Ele consegue manter uma boa distinção de som, melhor do que um headset estéreo comum. Os graves se destacam mais do que os agudos, o que diminui bem pouco a clareza dos passos e dos sons mais discretos em jogos de FPS, dos efeitos e da música de fundo em jogos de corrida. Esses efeitos sonoros são presentes e perceptíveis, mas o dispositivo perde quando comparado com headsets com agudos em destaque. Já os graves valorizam barulhos de explosões e batidas.

Headset Cloud Alpha

Apesar de não ser o foco do headset, as duas câmaras também colaboram para uma boa reprodução de músicas. A separação de graves e agudos/médios deixa as canções mais agradáveis. Nada que mereça destaque, nem positivo, nem negativo.

Isolação acústica

O driver de 50 mm permite um volume bem alto; chega a ser difícil imaginar alguém o usando no máximo. Nessas condições, a isolação não é perfeita, mas em um volume normal para jogar ou ouvir música, o headset faz um bom trabalho.

A isolação do barulho de fora para quem está usando o headset não é nada além do esperado. Sem nenhum som no fone, é possível ouvir o ambiente ao seu redor. Porém, quando se está escutando alguma coisa, a distribuição do som, o encaixe do headset e o volume são suficientes para neutralizar os ruídos externos.

Microfone sem surpresas

Assim como o cabo, o microfone também é destacável. Particularmente, eu vejo isso como um ponto negativo; um microfone retrátil ou dobrável seria muito mais prático. Se você precisar tirá-lo da sua frente por qualquer motivo, tem de desconectá-lo e largá-lo solto em algum lugar. Existe até o risco de perder. Tirando isso, o componente é maleável na medida para ser ajustável, mas sem parecer frágil. E sim, você pode jogá-lo para o lado, mas seria mais seguro se ele pudesse ser recolhido ou dobrado para cima.

Headset Cloud Alpha

A qualidade do microfone não impressiona  ele não apresenta chiados e a voz é clara, mas acontece o efeito “puff”. Segundo a fabricante, ele tem tecnologia de anulação de ruído, mas não foi nada que eu consegui comprovar. Em todos os meus testes, o som do teclado e do mouse também foram captados pelo microfone. Porém, seu papel é estabelecer comunicação com qualidade, e não captação de voz propriamente dita – tarefa que ele cumpre sem problemas.

Vale a pena?

O HyperX Cloud Alpha tem uma boa performance. O dual chamber faz com que o som seja melhor que em um estéreo comum. A valorização dos graves deixa os jogos mais impactantes, destacando explosões, batidas e tiros. Os agudos menos presentes não dão o mesmo destaque para passos e sons discretos, mas nada que seja uma grande desvantagem para o jogador.

Custando R$ 646, preço acima da maioria dos headsets HyperX, seu custo-benefício deve ser avaliado pelo usuário. O conforto é definitivamente um ponto de destaque, principalmente nas orelhas. O som, independente da nossa análise criteriosa de graves e agudos, é limpo, sem distorções e, no geral, de qualidade.

Analisando friamente, o modelo mais caro da HyperX, Revolver S, tem som surround 7.1 e custa R$ 799, o que representa um acréscimo de R$ 150 em comparação com o Cloud Alpha. Por outro lado, por R$ 50 a menos, o modelo Cloud II, que custa R$ 599, oferece som estéreo similar e virtualização do 7.1, mas não é tão confortável. Portanto, cabe a cada usuário definir suas prioridades na experiência com um headset gamer.

Gostou do nosso review? O que você acha ideal em um headset gamer? Deixe sua opinião na seção de comentários.

*O headset HyperX Cloud Alpha foi enviado pela assessoria da marca

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.