Voxel
50
Compartilhamentos

Série Yakuza: do pior ao melhor de acordo com notas do Metacritic

Último Vídeo

A franquia Yakuza já tem seus bons anos de vida, já que está no mundo dos games desde 2006. E 2018 é um ano especial para a franquia, já que nada menos que dois títulos da série serão lançados. E para aproveitar o lançamento de Yakuza 6, usamos a oportunidade para ranquear todos os jogos lançados até o momento do pior ao melhor. Devemos lembrar que a franquia tem ainda vários títulos que nunca saíram do Japão e ainda tem mais coisa no forno chegando ao Ocidente, então alguns podem não aparecer aqui.

Claro, a sua opinião certamente vai variar com a seleção a seguir, mas para ser justo com todo mundo, utilizamos as médias de notas do Metacritic para ordenar cada um deles. Portanto, com isso em mente, vamos ver quais jogos são o predileto da crítica! Antes de começar, que tal fazer uma listinha própria para ver se você acerta? Vamos lá:

9 – Yakuza: Dead Souls (2012) – Média 64

Quando o pessoal tenta ser muito diferentão, geralmente as coisas não dão certo, não é mesmo? Yakuza é sobre sentar a porrada nas ruas do Japão e explorar tudo que o mundo tem a oferecer. Yakuza: Dead Souls faz tudo ao contrário, tirando o charme das lutas mano a mano e colocando o combate armado no lugar. Ah, e tudo isso contra zumbis, só para ressaltar.

É, parece que mesmo sendo um spin-off bem cômico, não adiantou. As mecânicas de tiro eram muito travadas, desastradas e simplesmente não funcionavam. A narrativa, mesmo trazendo diversos personagens icônicos da série, simplesmente não era cativante. No fim, o game não se provou um bom Yakuza nem um bom game de zumbi de tiro, garantindo média 64.

Yakuza Dead Souls

8 – Yakuza (2006) – Média 75

O primeirão é sempre difícil de agradar a gregos e troianos. A SEGA havia lapidado a ideia e essência de Shenmue, mas o tom ainda não estava certo no primeiro Yakuza. Apesar de trazer uma história muito boa que ditaria o estilo de todos os outros da série, havia diversos outros elementos que não agradaram.

Pra começo de conversa, as câmeras eram fixas e o mundo aberto era recheado de loadings. E. para complicar um pouco mais, o combate não tinha a pegada porradeira robusta que os demais games teriam no futuro, e apesar de ser bom, faltava uma variedade maior. Mesmo com os contrapontos, o primeiro Yakuza foi muito elogiado no mundo aberto rico e detalhado e na narrativa bacana.

Yakuza

Yakuza 1 ainda sofreu com um problema além do gameplay, que foi o marketing ruim da SEGA, que o vendia no Ocidente como o “GTA japonês”, uma associação que não fazia sentido. Tudo isso somado a uma péssima localização, que tentou passar os membros da yakuza como gangsteres americanos, criaram uma má impressão para a série dos lados de cá do mundo. Portanto, média 75 pro primeirão.

7 – Yakuza 2 (2008) – Média 77

O segundo game da série, ainda na era PS2, conseguiu pegar alguns pontos de seu antecessor e ir além. Contudo, os dois jogos ainda estavam muito próximos um do outro, e Yakuza 2 ainda carecia de um combate mais cativante. No fim, o título saiu em 2008, uma era já bem populada de PS3, e pareceu datado pros padrões da época.

Contudo, assim como o primeiro, Yakuza 2 recebeu muitos elogios na narrativa, que era uma sequência direta, e no mundo extremamente bem-feito. Portanto, apesar de ter uma evolução maior, o jogo ficou mal posicionado nas gerações. Infelizmente, nem todas as novas ideias começam perfeitas e a franquia ainda precisava ser lapidada, o que garantiu a média 77 ao game.

Yakuza 2

6 – Yakuza 4 (2011) – Média 78

Yakuza 4 teve sua dose de inovação e trouxe algo até então inédito à franquia: múltiplos protagonistas. Kiryu, o principal personagem até agora, é só mais uma peça do quebra-cabeça, que traz mais três figurões bem diferentes para compor o elenco. Quase tudo no game teve upgrades, mas a qualidade dividiu opiniões.

Muitos veículos elogiaram a jogabilidade e história de cada um dos protagonistas e gostaram bastante do combate mais robusto, mas houve quem torceu o nariz e relatou uma experiência mais do mesmo com poucas evoluções significativas. Por mais estranho que seja, Yakuza 4 acabou taxado de datado por alguns sites, já que chegou com atraso ao Ocidente, e ficou numa categoria mista entre amor e ódio, ganhando média 78.

Yakuza 4

5 – Yakuza 3 (2010) – Média 79

O terceiro game da franquia Yakuza foi o primeiro a trazer o grande salto que ela precisava, trazendo um combate bem mais aprimorado que seus irmãos de PS2, clima ainda mais cinematográficos e visuais mais modernos. Pelo impacto da época, que mostrava claramente um avanço significativo, Yakuza 3 ganhou mais atenção.

Porém, como sempre, a mídia ocidental ainda tinha algumas ressalvas que com o tempo, sabíamos que seriam entendidas. Diversos sites apontavam a bizarrice japonesa como algo difícil de engolir. Contudo, como sempre a narrativa e o mundo aberto foram elogiados, garantindo Yakuza 3 uma média de 79.

Yakuza 3

4 – Yakuza Kiwami (2017) – Média 80

Com o passar do tempo, a série Yakuza evoluiu pra valer! Depois de ter alguns games muito bons, parecia que fãs novatos estavam meio perdidos. Afinal, começar pelo quinto game não parece uma boa ideia. Yakuza Kiwami é o remake do primeiro jogo que ajudou a situar muita gente no universo da franquia e corrigiu diversos problemas que o original enfrentou quase 10 anos antes.

Kiwami pegou tudo que Yakuza Zero tinha de bom e retrabalhou, criando um remake à altura do esperado e dando uma nova chance para o começo da série. Alguns veículos criticaram Kiwami por ser um pouco mais simples que os games até o momento, mas ganhou notas altas suficientes para descolar uma média 80.

Yakuza Kiwami

3 – Yakuza 5 (2015) – Média 83

Como último título principal da era PS3, Yakuza 5 trazia muitas expectativas dos fãs. O quinto título é um dos mais ambiciosos da série e trouxe cinco protagonistas para contracenar na campanha. Diferentemente do quarto game, esse aqui foi muito elogiado em suas novas abordagens e caras novas.

A história é considerada de longe uma das melhores da franquia, tornando um dos pontos positivos mais destacados pela crítica. Com atividades bem diversificadas, mais locais para explorar e uma boa variedade de combate entre os personagens, o game ganhou seu lugar ao sol, garantindo 83 no Metacritic.

Yakuza 5

2 – Yakuza 6: The Song of Life (2018) – Média 83

Yakuza 6 lidera a lista com uma das maiores médias da franquia, ganhando generosos 83 no Metacritic. E não é pra menos, já que o sexto título é resultado dos esforços da SEGA durante muitos anos em criar uma experiência excelente. Muito foi aprimorado em Yakuza 6, como o sistema de lutas, que recebeu sua primeira grande atualização em anos.

Além da porradaria reformulada, Yakuza 6 estreou um novo motor gráfico da série, ganhou dublagem em todos os diálogos e teve o conceito de mundo aberto expandido, ganhando verticalidade e ainda mais atividades extras. Como contrapontos, alguns poucos veículos não gostaram muito da história, criticando um desfecho morno para a série e furos de roteiro na campanha.

Yakuza 6

1 – Yakuza 0 (2017) – Média 85

Para muitos, Yakuza 0 foi a porta de entrada para a franquia. E se a primeira impressão é a que fica, pode ter certeza que foi aí que a série ganhou muitos fãs. Esse game funciona como um prequel para o universo e traz o que há de melhor. Além de trazer todo o charme de uma Tokyo dos anos 80, a trama também ganhou um tom muito sério e político que retrata um período bem marcante do Japão.

As lutas estão no ápice da franquia, a história retrata o começo da carreira dos dois personagens mais queridos da série e há uma diversidade na jogabilidade que nenhum outro superou até hoje. Além das típicas porradarias nas ruas de Tóquio, era possível até mesmo gerenciar cabarés e agir como agente imobiliário do distrito. Sem dúvidas, uma combinação difícil de bater.

Yakuza 6

-

Essa foi a lista dos jogos da série Yakuza do pior para o melhor!  Se você gosta desses games e é um fã de carteirinha, qual seria o seu ranking? Acha mesmo que o Zero é o melhor de todos? Discorda que Dead Souls é ruim? Você pode deixar sua opinião aqui nos comentários e argumentar com a galera!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.