Erga o seu império online

O conturbado retorno de Age of Empires aos video games teve vários tropeços, mas parece que finalmente encontrou um caminho desobstruído. Depois de passar pelas mãos da Robot Entertainment, empresa formada por ex-funcionários da Ensemble Studios — criadora da franquia —, o projeto finalmente caiu na mesa da Gas Powered Games (Supreme Commander), que assumiu o título e conseguiu inovar sem perder a essência da franquia.

O jogo segue sob a bandeira da Microsoft, que publicará o jogo exclusivamente via download (cópias digitais). Outra novidade é que Age of Empires Online se transformou em uma espécie de MMORTS gratuito para jogar (free to play) — mas, com conteúdo especial para assinantes Premium.

Com uma dinâmica de jogo muito similar à dos jogos passados, Age of Empires Online pode não ser o que os fãs esperavam, mas consegue recuperar uma das linhas de jogos de estratégia mais adoradas dos video games. O conceito original se mistura ao visual altamente estilizado para criar uma jogabilidade atraente e extremamente acessível, oferecendo como resultado um jogo simples, porém envolvente.

Age of Empires Online pode ser um jogo descompromissado, mas é envolvente e divertido. Fãs da franquia encontrarão algo interessante, mesmo que um pouco distante do material original, já os novatos terão um título acessível e bem trabalhado.

Apesar do modo básico (gratuito) ter muita substância, é o conteúdo Premium que realmente proporciona uma experiência de jogo diferenciada. Além de garantir acesso a algumas opções de partidas PvP exclusivas, vários itens e conquistas só podem ser desbloqueadas por meio de pagamento.

Em suma, Age of Empires Online pode não ser o que os fãs esperavam, mas é um retorno digno de uma das mais franquias mais queridas do gênero estratégia.

Parece, mas não é!

Não julgue um livro pela capa, ou um jogo pelas suas screenshots. A primeira impressão é a de que Age of Empires Online parece um jogo infantil, ou casual, um derivado dos populares jogos lançados nas redes sociais como Facebook e Orkut. No entanto, AoEO é um título mais profundo, com conteúdo suficiente para atrair até mesmo aos jogadores hardcore.

O melhor de tudo é que você não precisa pagar nada para jogar. Como já adiantamos, Age of Empires Online é free to play e, apesar de contar com muito conteúdo pago, o título ainda é interessante mesmo para quem não é assinante.

Img_normalPara realmente apreciar o jogo você terá que desembolsar alguns trocados, no entanto, se preferir jogar com o sistema básico ainda encontrará conteúdo suficiente para mantê-lo conectado por horas a fio. Mesmo assim, fica claro que o objetivo é vender o conteúdo Premium. Muitas conquistas e itens só podem ser desbloqueados e utilizados pelos assinantes o que não é necessariamente ruim, haja vista que os preços sugeridos são bem acessíveis.

Nenhum homem é uma ilha...

Em Age of Empires Online você não encontrará um mundo online persistente, o qual todos brigam por um pequeno pedaço de terra. Para contornar as inúmeras questões logísticas de se manter um jogo de estratégia online a Gas Powered encontrou uma solução muito inteligente. Na pratica você é representado por uma cidade (a sua capital), que funciona da mesma forma que o seu “personagem” de jogo em um MMO tradicional.

Essa cidade funciona como uma base, que poderá ser incrementada da mesma forma que você aprimoraria um “avatar”, equipando itens e desenvolvendo novas habilidades — no caso erguendo novas edificações e desenvolvendo tecnologias. Como de costume, as construções habilitam novas opções de ação dentro do jogo e também servem como peças de decoração.


Dentro da sua cidade você encontrará os quest-givers — NPCs que oferecem as missões para o jogador. A dinâmica segue a mesma da maioria dos MMOs, basta conversar com o personagem para aceitar novas missões que, quando completadas, conferirão pontos de experiência, dinheiro e outros bônus.

Img_normalÉ interessante reparar como “as jogabilidades” de MMO e RTS não se misturam durante a ação. Na pratica, ambas as dinâmicas estão presentes ao longo de todo o jogo, no entanto, há uma divisão bem clara entre os dois estilos. Na pratica, quando as missões começam você está jogado um RTS tradicional: coletar recursos, erguer construções, formar unidades, evoluir tecnologias e assim por diante.

Todavia, por se de um universo online, assim, a sua cidade — apesar de protegida de ataques — ainda está localizada em um mapa aberto e, portanto, pode ser visitada por qualquer jogador. Conforme você evolui o seu território, novas opções de interação são disponibilizadas e os visitantes podem trocar e comercializar itens diretamente, criando uma economia interna muito ativa.

Além disso, a maioria das missões pode ser encarada cooperativamente com outros participantes e não podemos nos esquecer das arenas PvP (player vs. player). Para começar a brigar pelo domínio global contra outros jogadores você deve erguer uma arena na sua cidade — que fica disponível já nos primeiros estágios de evolução.

Mal-estar da civilização

O emparelhamento de jogadores nas partidas multiplayer é um dos pontos mais problemáticos de Age of Empires Online, mesmo porque o título se apresenta como um MMO. Infelizmente o sistema não consegue encontrar jogadores apropriados, desconsiderando questões como o “ping” ou até mesmo o nível dos jogadores envolvidos na partida.

Outro elemento que limita a apreciação do jogo é a inteligência artificial dos adversários e a construção das missões. Os inimigos não apresentam um intelecto muito evoluído e na maioria das vezes simplesmente permanecem parados esperando o seu próximo ataque. Já as missões tendem a se tornar repetitivas, mas objetivos simplórios e pouco desafiadores.

75 pc
Bom