AMY
Seu Review foi enviado com sucesso.
Enquanto ele fica pendente de aprovação, dê sua nota para o jogo. Sua opinião é importante para a comunidade!

AMY

Avaliar este jogo
Voxel
AMY

AMY

Fazer review
Nota
da comunidade
Avaliar este jogo
Últimas atividades
10/01/2012

AMY é adiado na PSN para reduzir preço do download

A determinação veio por causa de uma enquete no Facebook: 70% dos participantes que responderam à pesquisa na página da produtora optaram por esperar mais um pouco pelo lançamento para ter uma redução de US$ 3 no preço do jogo.
AMY é adiado na PSN para reduzir preço do download
05/01/2012

Amy chega na semana que vem às redes online

A desenvolvedora Lexis anunciou para o dia 11 de janeiro o lançamento de Amy por meio da PlayStation Network e Xbox LIVE. O título é do mesmo criador de Flashback, Paul Cuisset, e conta a história de uma mulher e sua poderosa filha, que tentam sobreviver ao apocalipse zumbi.
Amy chega na semana que vem às redes online
10/06/2011

Site detalha jogabilidade de Amy

Segundo o IGN, a relação entre Lana e Amy se desenvolve muito bem em meio ao cenário pós-apocalíptico criado após a chegada de um meteoro que transformou a população em zumbi. Sua missão é levar a garota-título a hospitais na tentativa de curá-la. Para ampliar a sensação de desespero, é preciso aplicar uma dose de medicamentos em intervalos de tempos.
Site detalha jogabilidade de Amy

Review enviada por

Dica enviada por
Carregar Mais
Ficha Técnica
Data de lançamento 11/01/2012
Classificação Para maiores de 17 anos
Desenvolvedora Lexis Numerique
Distribuidora Lexis Numerique
Número de jogadores 0-0
Sobre

AMY talvez não pareça incrivelmente original em uma primeira olhada. A história projetada para a PSN, de fato, ajuda a formar a impressão de um apocalipse zumbi bastante comum. Em um belo dia ensolarado de um futuro 20 anos distante, a protagonista, Lana, encontra-se tranquila a bordo de um trem. Mas o seu mundo é totalmente subvertido em poucos segundos, conforme um meteorito atinge a superfície da Terra, espalhando caos e destruição.

Ao acordar no mesmo trem, Lana percebe que os passageiros e mesmo o simpático coletor de bilhetes apresentam mudanças sensíveis de humor, tornando-se criaturas horrivelmente deformadas e hostis. O pior? A própria personagem traz no seu sangue o famigerado vírus que transformou os arredores em um amontoado de zumbis famintos. Mas há um elemento que acrescentará um tempero especial nesse ponto.

O mundo em volta está desabando e a sua heroína é lenta e constantemente transformada em zumbi. Um cenário dos menos animadores, é claro. E a ocasião se torna ainda mais dramática quando Lana se torna responsável por uma pequena menina autista chamada AMY. Mas o que poderia ser simplesmente um elemento complicador é, na verdade, justamente o cerne da experiência pensada pela Lexis Numérique.

A relação entre Lana e AMY compõe para o título uma jogabilidade que bem poderia ser situada em algum lugar entre um thriller psicológico e um Hack ‘n’ Slash. Isso porque, embora seja possível atravessar boa parte dos seis capítulos do jogo se esgueirando pelas sombras, também existe a possibilidade de encarar as abominações que agora passeiam livremente sobre a Terra.

Ver mais