Sinta-se na pele de um semideus neste jogo fora de série

Asura’s Wrath foi uma grande incógnita por muito tempo. As primeiras informações que foram reveladas apontavam para um verdadeiro God of War que, no lugar da mitologia grega, abusava de temas budistas.

Mas, com os novos trailers e as demos, o público começou a temer pelo pior. Cada vez mais, parecia que este game estava para mais um anime em 3D com alguns Quick Time Events do que um verdadeiro Hack n’ Slash. No fim das contas, o que é a saga de vingança do semideus Asura? Continue lendo para descobrir.

Asura’s Wrath é tão diferente de tudo que já foi criado na indústria, que aqueles que estão esperando por um Hack n’ Slash nos moldes de God of War provavelmente não vão conseguir vê-lo com bons olhos. Mas basta ter uma mente um pouco aberta para perceber o verdadeiro valor do game.

Mesmo que tenha alguns defeitos, a inovação trazida pela aventura é incrível, resultando em um game que certamente estará entre os melhores do ano. Se você está atrás de algo diferente do comum, Asura’s Wrath definitivamente é um título que vale a pena a compra.

Simplesmente épico

Se você viu os trailers de Asura’s Wrath, provavelmente já estava esperando por isso; afinal, é difícil imaginar algo mais impressionante do que batalhar contra um inimigo que é maior que a própria Terra. Mas, por mais impossível que pareça, o game consegue ir além.

Não há uma única batalha ou cena em que Asura deixa de passar a sensação de ser extremamente poderoso, assim como no caso dos outros generais que ele enfrenta pelo caminho: um único movimento deles parte montanhas.

Apenas isso já é suficiente para tornar este um dos games mais épicos da história, mas a CyberConnect2 ainda criou uma trilha sonora incrível, que é a cereja no topo do bolo. De forma simples, ela combina perfeitamente com o ambiente e o clima das cenas, sendo um dos pontos mais importantes para tornar as batalhas tão emocionantes.

Img_normal

Pense rápido!

Desde as primeiras demos de jogabilidade, a preocupação de que este seria apenas um jogo de Quick Time Events era constante. E, de fato, isso se provou uma verdade. Na maior parte do tempo, seja durante vídeos ou lutas, você vai precisar pressionar botões específicos para desviar, atacar e reagir.

Então por que isso está entre os prós do game? É simples: Asura’s Wrath tem um dos melhores e mais emocionantes sistemas de Quick Time Events de todos os tempos. Isso porque, diferente da maioria dos casos, eles realmente passam a impressão de que você está controlando o personagem.

Img_normal

O segredo para isso está na forma usada para acionar as ações, que dão a sensação de que você ainda está jogando. Sempre que Asura for desviar de um ataque, por exemplo, você já sabe que precisará usar o direcional.

Assim, não há aquele problema clássico de perder uma cena porque você estava tentando ver qual era o botão certo, pois o próprio contexto da animação entrega o que você deverá fazer.

Gráficos divinos

Atualmente, é fácil perceber quando um jogo utilizou a Unreal Engine, simplesmente por culpa dos gráficos, que ganham uma aparência plastificada. Mas Asura’s Wrath não sofre desse problema em momento algum, graças à sua arte, que está entre as mais bonitas dos games.

Não há uma única parte nos personagens que não seja repleta de detalhes. As roupas deles têm floreios em todos os cantos e a capacidade de expressão de cada rosto é uma das melhores no mundo dos jogos, parecendo extremamente realista ao mesmo tempo em que mantém um traço próprio.

É claro que os cenários também são responsáveis por boa parte dessa beleza. A combinação de um mundo futurista com a religião budista é feita com perfeição, criando um universo diferente de tudo que já vimos.

Chega de vídeos que eu quero jogar!

Prepare-se para longas horas cheias de vídeos, se quiser chegar até o fim de Asura’s Wrath. Em mais da metade da aventura, você se verá assistindo a uma cena de dez minutos, para então ter uma batalha rápida de apenas alguns segundos e, por fim, voltar às animações.

Img_normal

Está certo que todos os vídeos são extremamente importantes para uma trama tão densa quanto esta, mas Asura’s Wrath tem tantas cenas que certamente os menos pacientes vão acabar mais furiosos que o próprio protagonista. Ainda bem que, ocasionalmente, há alguns Quick Time Events para nos lembrar de que este é um jogo...

Inimigos patéticos

Como dito anteriormente, lutar contra os chefes da aventura é uma das melhores experiências que você pode ter nos games. Mas o mesmo não pode ser dito quando a batalha é contra o resto dos inimigos genéricos.

Não importa quantos gohmas estejam em seu caminho, eles jamais são um desafio. Talvez por culpa do enorme poder de Asura, dos monstros fracotes ou até pelo nível embasbacante dos embates contra os chefes, enfrentar os inimigos chega a ser entediante.

No fim das contas, basta sair pressionando o botão de ataque sem parar que a vitória é praticamente certa. Por sorte isso vale apenas para os adversários genéricos; mesmo assim, é provável que você queira passar por essas batalhas o mais rápido possível.

Img_normal

Uma luta... Contra os controles

É impossível pensar na jogabilidade de Asura’s Wrath sem precisar traçar um paralelo com outros Hack n’ Slash famosos; nesse ponto, o game perde feio para seus “concorrentes”.

Um dos principais motivos para isso está no arsenal ridiculamente limitado de golpes de Asura: na maior parte do tempo, só é possível utilizar uma sequência de socos rápidos e fracos. Há também um ataque mais forte, mas que só pode ser usado uma vez a cada 5 ou 10 segundos, e seu poder de “disparar” socos, que é pouco recomendável por deixar você indefeso contra inimigos. E só.

A falta de um movimento para que Asura possa se aproximar mais rapidamente dos adversários também é um enorme problema. Contra certos inimigos, pode ser difícil aproveitar para atacá-los depois que eles são derrubados simplesmente porque não há como chegar até eles a tempo.

85 ps3
Ótimo

Outras Plataformas

85 xbox-360