Os bravos e os destemidos invadem o Nintendo Wii

Batman é um dos personagens de história em quadrinhos mais famosos do mundo. O Cavaleiro de Gotham há muito já superou as páginas das revistas da DC, conquistando um espaço de destaque na televisão, cinema e nos video games.

Atualmente o homem morcego está em evidência, além do sucesso nos cinemas, quadrinhos e video games, o “morcegão” também faz bonito na televisão com um novo desenho animado, "Batman: The Brave and the Bold".

 “Os Bravos e os Destemidos”, como é conhecido no Brasil, mostra as aventuras do Batman com muito humor e um elenco de personagens pouco explorado fora dos quadrinhos. O clima sombrio típico das histórias do “detetive” dá lugar a tons coloridos e brincadeiras com o próprio universo dos personagens.

Agora, Batman: The Brave and the Bold aporta no Nintendo Wii trazendo um toque todo especial para as, já rotineiras, aparições do “morcegão” nos video games.

Batman: The Brave and the Bold é uma boa pedida para os donos do Nintendo Wii. Obviamente não existe qualquer tipo de comparação com o excelente Arkham Asylum, e de fato existem várias arestas que podem ser aparadas, mas nada que realmente comprometa a diversão.

Apesar de curto o título é capaz de envolver o jogador e o elemento multiplayer garante bons momentos de ação. Seja você fã do morcegão, do desenho animado, ou simplesmente está procurando por um bom beat ‘em up, Batman: The Brave and the Bold é uma ótima opção. O jogo pode não ser uma compra certa, mas é uma locação garantida.

Na mesma bat-hora...

O grande trunfo do jogo Batman: The Brave and the Bold é o de utilizar uma linguagem análoga ao do seriado televisivo. “The Brave and the Bold” (Os Bravos e os Destemidos no Brasil) tem um humor peculiar e um traço estilizado.

O clima é totalmente diferente do estilo sombrio de “Batman: A Série Animada”, que fez sucesso no início da década de 1990. Na verdade o desenho está bem próximo do clima bonachão do “Batman” dos anos 1960 (aquele com as onomatopeias na tela).

O humor característico e o uso de personagens não tão conhecidos do público geral criaram uma série com um carisma todo especial. O show agrada tanto fãs do homem morcego como quem só quer curtir um desenho animado nas manhãs de sábado e o jogo segue a mesma linha.

Img_normalDas escolhas visuais até a dublagem — muito boa por sinal — o jogo aproveita toda quintessência do desenho animado. Até mesmo a narrativa do jogo é inspirada na animação, haja vista que a história se desenvolve como um episódio da série, com direito a roteiros criados especialmente para o jogo pelos mesmos escritores do programa de TV.

Cada capítulo começa com uma luta contra um vilão, com direito a nomes do calibre Galeria de Vilões, Duas-Caras, Rei Relógio e Sinestro entre outros. No início de cada luta você é devidamente apresentado ao parceiro que o acompanhará ao longo de todo o capítulo. Por sinal, o estágio só começa que o jogador assiste a abertura da série.

Pow, Zap, Sock!

A jogabilidade é clássica, no melhor estilo beat ’em up side-scrooler, reminiscente da era de ouro do Super Nintendo e Mega Drive. Os heróis seguem espancando inimigos e partes do cenário enquanto a tela corre lateralmente até o encontro com um minichefe e o chefe final de cada mundo.

Os controles são simples e não apresentarão nenhuma dificuldade até para os jogadores alheios ao gênero. Mesmo assim, o título também oferece um modo tutorial no qual todos os movimentos são ensinados passo a passo deixando tudo ainda mais direto.

Herói especialmente convidado

Um dos pontos altos do desenho animado e do jogo é a presença de vários personagens do extenso panteão de heróis e vilões do universo DC. No entanto, ao contrário dos grandes astros habituais, você encontra personagens carismáticos que não recebem a mesma atenção que nomes como Super-Homem e Mulher Maravilha.

Assim, Batman: The Brave and the Bold abusa do elenco estelar da DC colocando na tela figurinhas carimbadas como, o Besouro Azul, o Gavião Negro, o Robin e Guy Gardner, o Lanterna Verde mais durão de todos os tempos.

Estes quatro heróis aparecem como coadjuvantes de luxo nos quatro “episódios” que compõem a campanha principal. O esquema é inteligente e deixa o jogo com a cara de desenho animado, além de conferir alguma variedade a jogabilidade.

Img_normalOs heróis coadjuvantes possuem características e habilidades diferentes. Além disso, os estágios são construídos levando em consideração muitos destes poderes especiais.

Batman pode ser utilizado em todos os níveis e possui uma variedade maior de apetrechos e poderes que o tornam mais versátil do que seus companheiros.

Fazendo uma ponta

Além do Batman e dos quatro protagonistas especiais, você também encontrará outros nomes de peso do universo DC. Os "Jump-in Heroes" funcionam como um especial que acertam vários oponentes de uma só vez, salvando a sua pele em momentos de apuros.

Entre os “Jump-in Heroes” estão Aquaman, Canário Negro, Arqueiro Verde, Capitão Marvel (Shazam), Homem Borracha, Joel Ciclone (o primeiro Flash) e o grande Hal Jordan, entre outros.

Para requisitar a ajuda você deve encher um medidor — como em um jogo de luta no qual você deve encadear combos para preencher uma barra de especial — e pressionar o botão 1. Uma vez em cena os personagens desencadeiam uma animação estilizada, com direito a um bordão bem humorado, seguida de um ataque devastador.

Catando moedinhas

Bruce Wayne pode ser um milionário, mas ninguém fica rico gastando dinheiro à toa. Portanto, em Batman: The Brave and the Bold você deve coletar muitas moedinhas para financiar a sua luta contra o crime.

Batman e os quatro heróis coadjuvantes possuem uma boa lista de gadgets que devem ser comprados e aprimorados na Batcaverna. Cada um dos heróis conta com uma seleção peculiar de armas que oferecem alguma variedade à jogabilidade.

Além disso, alguns equipamentos são obrigatórios para desbloquear plataformas secretas. Os equipamentos vão de simples batarangs a jetpacks — todos com dois níveis de aprimoramento. Para desbloquear os itens e comprar as evoluções dos itens você deve espancar inimigos: quanto maior o combo, mais dinheiro você ganha.

Batman animado Img_normal

Os gráficos são muito bons. O design singular da série é traduzido com muita propriedade para o video game. Você realmente acredita que está assistindo a um episódio da série de TV, os movimentos são fluidos e mesmo com muitos elementos na tela não há queda significativa de fps.

As animações são o ponto alto e o melhor de tudo é que todos os diálogos contam com dublagem do elenco original da animação. Além disso, o bate papo não fica limitado as cenas de corte, Batman e seus companheiros de combate ao crime ficam trocando ideias conforme avançam pelos níveis.

O humor é reforçado por bordões clássicos e outras frases de efeito — especialmente nos segmentos estrelados pelo Besouro Azul e Guy Gardner.

Batgangue

A campanha solo é muito boa, porém no multiplayer as coisas ficam muito mais interessantes. Como nos beat ‘em ups de antigamente dois jogadores disputam espaço na tela para socar os adversários e coletar moedas e itens que caem dos inimigos.

O melhor de tudo é que o segundo jogador pode entrar e sair do jogo a qualquer momento, sem interromper a ação. Além disso, o título também possui integração com o Nintendo DS, assim, três jogadores podem encarar os desafios ao mesmo tempo.

O jogador no comando do Nintendo DS obrigatoriamente assumirá o papel do Batmirim (Bat-Mite). Na pele do duende da Quinta Dimensão, você deverá soltar bombas e itens pelo cenário, enquanto comanda a criatura com a stylus.

Batmoleza

Batman: The Brave and the Bold é obviamente voltado para um público mais jovem e por conta disso acaba pecando muito na hora de oferecer desafios mais difíceis. Jogadores hardcore vão achar o jogo extremamente fácil, enquanto os menos experientes não terão muitos problemas para ultrapassar até mesmo os chefes finais de cada episódio.

As vidas infinitas e a abundância de itens para a recuperação de energia e vida ajudam a tornar as coisas muito mais fáceis do que o esperado. A única punição real pela morte é a perda de suas moedas, mas isso não chega a incomodar.Img_normal

Além disso, a inteligência artificial não é nenhuma maravilha dos video games. Os inimigos e o seu parceiro sofrem um pouco com momentos de pura imbecilidade virtual. Não é raro ver o seu companheiro correndo contra a parede ou saltando no mesmo lugar.

Faltou alguma coisa

Os heróis coadjuvantes adicionam um pouco de variedade a jogabilidade, porém eles não diferem muito entre si. Na prática todos possuem o mesmo esquema de controles e as mesmas armas — com pequenas variações na forma e função.

Seria interessante explorar melhor o esquema, oferecendo algo verdadeiramente diferente para cada um dos personagens. Cada um dos protagonistas possui de três a quatro equipamentos, que não precisam ser evoluídos, pois só serão utilizados em um episódio.

Já o Batman, possui mais acessórios e suas moedas são melhor empregadas na compra de novos itens e aprimoramentos para eles. Se o jogo fosse mais longo e você voltasse a utilizar os personagens em outros estágios as coisas seriam diferentes.

Mesmo assim, no final das contas o sistema até funciona. Todavia, os estágios tendem a repetir a sua estrutura tornando toda a jogabilidade mais enfadonha.

No entanto, o grande problema de Batman: The Brave and the Bold é a ausência de conteúdos extras. Não há muita motivação para se jogar mais de uma vez. Ao terminar o título restarão apenas algumas poucas coisas a serem desbloqueadas — incluindo uma roupa alternativa para o Batmam — e um modo Challenge que não acrescenta muito a vida do jogo.

80 wii
Ótimo