Jogo de estratégia que oferece um estilo único em que vc é realmente um Deus com direito a controlar o destino de todos.

A história desta série vem desde a primeira versão do jogo, Black & White, onde o jogador assumia o papel de um Deus, e tinha como missão levar uma civilização ao seu auge, através de atos bondosos (influência e orações) ou maldosos (sacrifícios humanos). Black & White 2 continua praticamente no mesmo esquema, com o jogador assumindo o papel de um Deus (dos gregos), tendo que crescer sua população e expandir seu território, enfrentando outros exércitos de mapa em mapa, mas agora com gráficos revigorados e bem caprichados. Mudaram algumas coisas, melhoraram outras e, felizmente, continuaram com o bom e velho estilo. Obviamente, a maior atração do jogo, as Criaturas, foram mantidas e agora com ótimas texturas, AI e personalidade.
 
Eu não entendo, é estratégia ou não?
 
Sem dúvidas é estratégia. A diferença é que em jogos normais do gênero, uma hora ou outra o jogador terá que atacar para derrotar seu oponente. Aqui, isto é simplesmente uma opção de momento. Pode-se ir para o lado bom da coisa, evoluindo sua cidade e civilização, procurando sempre fazer o bem e ganhando pontos de impressão, que quanto mais se acumulam mais as outras civilizações desejarão ir morar na sua cidade. Ou seja, pode-se vencer um mapa inteiro sem derramar uma gota de sangue sequer, tudo pela beleza e admiração que a sua cidade conquistou.
 
Por outro lado, especialmente para fãs de guerra, pode-se fazer exércitos rapidamente e dominar todas as cidades na base da força física, invadindo e destruindo para “convencê-los” da sua superioridade. Aliás, o único exército que pode derrotar facilmente uma criatura são os arqueiros, que também são essenciais na defesa da cidade.
 
Não está feliz por só ter estas duas opções? Mas ninguém disse que era obrigado a escolher. Ser bom ou mal depende das suas atitudes tomadas ao longo do jogo, ou seja, pode-se ser bonzinho e recrutar exércitos a hora que bem entender. Há uma boa diversidade de ações que podem ser necessárias dependendo da urgência do momento.
 
Se a cidade estiver mais para o bem, ela fica repleta de flores, com bastante sol iluminando toda a cidade, árvores decoradas e um céu limpo e azul. Por outro lado, se maldade é o seu forte, se comandar exércitos e impor sua espada acima de tudo para conquistar é o seu estilo, toda sua cidade ficará negra e o chão pútrido, sem vida, e com o céu sempre fechado e escuro.
 
Sendo um Todo Poderoso!
 
Mesmo sendo um Deus grego, você não chega a ser extremamente onipotente com total liberdade, mas entre as ações possíveis, pode-se influenciar as pessoas e manipular todas as coisas do jogo, inclusive as pessoas, desde que dentro da sua área de atuação. Isso mesmo, você pode matar todo mundo se bem entender. Além disto, ainda tem as magias, tanto ofensivas como defensivas, e os milagres, super poderosos e de alto poder de devastação para auxiliar na sua jornada.
 
O que devo fazer agora que sou um Deus?
 
O jogo começa quando pessoas estão orando por um Deus, pedindo ajuda por causa de uma invasão da sua antiga cidade pelos Astecas. Depois, você é jogado para outro mapa, ainda tutorial, mas já é aonde as coisas começam pra valer.
 
Em todos os mapas serão comuns algumas quests extras (Silver scrolls), que normalmente consistem em mini-games, alguns muito divertidos, que podem dar recompensas além de armazenar os seus recordes de pontuação. Basicamente, a Campanha do jogo consiste em conquistar ou ganhar o reconhecimento das diversas civilizações, antes de ter a força e conhecimento para buscar sua revanche contras os Astecas. São poucos mapas, mas mapas bem demorados (alguns levam umas 4 horas ou mais), o que garante algumas boas horas de jogatina.
 
Criaturas gigantes, eu quero uma!!!
 
Black & White 2 não teria mais graça se tivessem removido as fascinantes e poderosas criaturas, que tanto agradaram. Desta vez, logo de começo pode-se optar por uma entre as quatro opções: um macaco, um leão, um lobo ou uma vaca, cada uma com suas características e aptidões.
 
Elas podem ser dóceis e ajudar em tudo na cidade, realizando milagres por conta própria (desta vez basta comprar os milagres em vez de ensinar), ou podem ser seres realmente maléficos e a última palavra em matéria de guerra e violência. Possuem seus sentimentos próprios e necessidades, como nível de felicidade e alimentação (existem diversas maneiras de alimentá-las, invente uma).
 
A vantagem dela evoluir sendo bondosa é que ajuda a evoluir rapidamente a cidade mas, de alguma forma parecem ser mais fracas em combate, especialmente criatura contra criatura, e apresentam um ar angélico e puro tendendo para a cor branca. Já para o lado maléfico, elas parecem possuir uma força física maior e ficam com um visual realmente diabólico e negro, sendo praticamente invencíveis em um combate corpo a corpo. Conforme elas vão vendo novas coisas e tendo idéias, vão aparecendo opções de novas habilidades. Essas habilidades podem ser podem ser manipuladas através de recompensa, fazendo um agrado e passando a mão suavemente na criatura, para que façam esse ato sempre que possível ou passando a mão rapidamente nela, tratando com tapas, para que não façam mais. Tudo depende das idéias e intenções que desejar aplicar à ela.
 
A questão da força da criatura depende muito do tipo de treinamento que ela recebe. Por exemplo, é possível fazer ela pegar uma árvore inteira ou uma pedra e pedir para ela ficar malhando, assim ela ficará cada vez mais forte e tornando essa diferença bem visível com o tempo. Uma das falhas mais graves se encontra justamente aqui, pois a criatura e exércitos têm uma certa dificuldade de achar os caminhos, contornar objetos e até de realizar algumas ações às vezes.
 
Gráficos e sons graciosos
 
Nesta nova versão, percebe-se uma grande melhoria gráfica em todos os sentidos, principalmente nas texturas e efeitos de iluminação. Para quem tem uma placa de vídeo mais atual, pode-se perceber a textura de pêlo das criaturas, assim como uma grama bem convincente e outras coisas mais. Efeitos de clima e hora também ficaram bem legais e realistas, como um pôr-do-sol, que é muito bonito, e os efeitos como fortes chuvas dificultam bastante a visão. A distância de visão é bem interessante, porque permite sair de uma visão dos insetos na grama até quase fora do planeta com um simples zoom do mouse.
 
A física do jogo está muito boa, principalmente para um jogo de estratégia. Por exemplo, não tem como destruir um muro com espadas e arcos, precisa de uma catapulta, pedras, magias ou usar a criatura, mas a melhor parte é que a parede, após destruída, não desaparece simplesmente, ela quebra em pedaços e pode causar dano a quem estiver por perto. Em geral, todas os objetos do jogo funcionam da mesma maneira e inclusive ensinam o básico no tutorial. O único problema é que conforme a cidade começa a ficar gigante (e a do oponente também), percebe-se uma grande redução no FPS (quados por segundo), o que pode gerar grandes irritações para quem possui pouca memória.
 
As músicas têm seu toque de originalidade, sendo bem criativas na maioria das cenas e mapas. O som em geral, como o som dos efeitos, criaturas, magias, etc, estão bons e são bem adequados ao jogo. O que mais agrada são as constantes discussões entre sua consciência angélica e diabólica, com cenas bem engraçadas e provocações de vez em quando.
 
Jogabilidade
 
Aqui já é um pouco diferente. O sistema fica meio ruim quando é necessário girar rapidamente a câmera e ângulos, tendo que recorrer sempre às setas para um melhor desempenho em momentos de urgência. No resto, quase tudo possui atalhos e, inclusive, pode-se criar pontos de atalhos para ir rapidamente para aquele mesmo ângulo salvo, agilizando a partida. Desta vez, fizeram o jogo praticamente sem menus pentelhando na tela e é possível minimizá-los a hora que bem entender. Ainda por cima tem tutoriais e dicas o tempo todo durante o jogo, facilitando a vida. Para decepção dos fãs, não apresenta modo Multiplayer. Por alguma razão os produtores não quiseram por essa opção nessa nova versão.
 
Desde a primeira versão, percebe-se que este título possui praticamente só duas variações de opinião, ou seja, ou a pessoa gosta e vira praticamente um fã da série, ou não gosta, achando chato e enjoativo. Com certeza não é o jogo mais rápido e cheio de ações para fazer que já se tenha produzido, mas é um ótimo jogo e recomendo para quem quer passar boas horas num jogo cativante e cheio de opções.
 
Quem jogou o primeiro da série e gostou, certamente irá gostar deste também. A principal diferença além da nova engine é que o jogo apresenta, em relação ao anterior, um pouco menos de liberdade nas ações e está mais estruturado e intuitivo.

78 pc
Bom