Uma operação bem sucedida no Wii

A série Call of Duty não é somente a responsável por produzir os melhores jogos de tiro em primeira pessoa em consoles de alta-definição, como PlayStation 3 e Xbox 360 — além do PC, é claro.

No Nintendo Wii, a franquia também se sai muito bem, gerando os grandes jogos de FPS do console da Big-N. Não é um exagero falar que os melhores games do gênero para o Wii pertencem à série Call of Duty e muitas vezes servem de exemplo para seus congêneres.

A chegada de Call of Duty: Black Ops nos consoles de última geração foi estrondosa. O game vendeu milhões de cópias no Xbox 360 e no PlayStation 3, quebrando recordes e se estabelecendo como um dos grandes títulos do ano de 2010. Felizmente, a Activision, responsável pelo título, não deixou o Wii de fora.

Se você já achava os outros Call of Duty bons, então é melhor se preparar. Black Ops é tudo que os fãs da série que possuem um Wii desejam. O tão cobiçado suporte ao Classic Controlers finalmente está disponível, mas nem por isso a jogabilidade com a combinação Nunchuk e Wii Remote deixa a desejar.

Fora isso, temos uma campanha que, mesmo sendo curta, é totalmente intensa, reforçada pela narrativa e também pela grande variedade de jogabilidade. Tudo isso já seria muito bom, mas a Activision também adicionou um modo multiplayer de primeira, assim como um modo de treinamento para preparar os jogadores antes que eles se enfrentem.

Img_normal
Quer mais? Que tal matar zumbis ao lado de seus amigos ou então se comunicar por meio de um sistema aprimorado? Tudo isso você encontra na versão para Nintendo Wii de Call of Duty: Black Ops. Os poucos problemas do game não o impedem de ser um dos melhores FPS do Wii em 2010.

Call of Duty: Black Ops também fez bonito no Nintendo Wii. Mesmo curta, a campanha traz muita ação e reviravoltas, aproveitando ao máximo os recursos técnicos do Wii para criar uma experiência totalmente frenética. Com a adição do suporte para o controle clássico, tudo ficou ainda melhor, principalmente para os jogadores hardcores.

O multiplayer de Black Ops traz várias modalidades diferentes e é ideal para quem procura bastante desafio e variedade. Sem dúvidas, um dos melhores jogos da série e do gênero no Nintendo Wii.

Digno de cinema

A trama de Black Ops no Wii gira em torno da Guerra Fria, trazendo locais como Cuba, Russia e Vietnã durante a década de 1960. No game, você encarna um agente de elite, que tem em sua bagagem uma invejável coleção de aventuras ao redor do globo. E são essas aventuras que interessam os sequestradores que capturam seu personagem logo no início do game.

Os bandidos querem simplesmente descobrir tudo o que você passou para arrancar informações valiosas sobre o conflito. O bacana é a maneira como tudo isso acontece. Basicamente, você é interrogado, e cada excursão ao campo de batalha é, na verdade, uma de suas memórias.

Isso gera um clima realmente bacana, reforçado pelos efeitos gráficos e sonoros que surgem para acompanhar seus interrogatórios. Sem contar o desfecho e a maneira de como todas as aventuras se unem para gerar um roteiro coerente.

Essa fórmula permite que o game seja bem dinâmico, trazendo missões em diferentes épocas e locais sem precisar respeitar uma linha de tempo. Em uma das fases, você está numa prisão na gélida União Soviética e, logo em seguida, o jogador aparece em conflitos urbanos ou escalando montanhas arenosas. O resultado é espetacular.

Visualmente, o título também agrada bastante, trazendo paisagens repletas de detalhes e muita variedade nas texturas. O mesmo vale para o som, que é fiel e contribui significativamente para a dramaticidade do título.

Preparado para a missão

A jogabilidade de Call of Duty: Black Ops no Wii simplesmente não tem segredo. Qualquer um que já tenha desfrutado de um FPS no console não terá quaisquer problemas em se adaptar ao game, aproveitando tranquilamente as seis horas de jogo que a campanha oferece.

O interessante é que a Activision aproveitou a dinamicidade da narrativa para criar uma jogabilidade que também é bem variada. Além das missões com seu personagem a pé, você também participa de tiroteios enquanto segura uma metralhadora acoplada em um veículo que corre em alta velocidade. Já em outras, é você quem pilota, desviando de explosões e fazendo de tudo para que sua caranga chegue inteira ao objetivo.

Mesmo com toda essa variedade, os momentos em que o jogador deve apenas correr e atirar continuam memoráveis, graças ao equilíbrio alcançado pela Activision na jogabilidade. Lembrando que você pode jogar tanto com o controle Classic quanto com a combinação Nunchuk e Wii Remote. Nós gostamos mais da opção com os dois analógicos, que permite uma jogatina bem próxima a dos consoles de alta definição.

O excelente multiplayer

Sem dúvidas, um dos fatores que mais chama a atenção na versão para Wii de Black Ops é o modo multiplayer. Ao contrário de muitos outros títulos do gênero, o modo para vários jogadores é bem sólido e um dos principais motivos para você voltar a jogar o game depois de terminar a campanha.

Primeiramente, vale ressaltar que um dos motivos de tamanho sucesso é o próprio suporte para o controle clássico do Wii. Conforme comentamos, utilizá-lo gera uma experiência bem próxima às versões para Xbox 360 e PlayStation 3 em termos de jogabilidade. Com isso, quem já estava familiarizado com as demais versões poderá usar sua habilidade também no Wii. O resultado é um multiplayer bem competitivo, graças à eficácia do Classic Controller.

Essa não é a única novidade da franquia. Black Ops também traz a grana, que pode ser obtida conforme o jogador literalmente manda bala no campo de batalha. Com isso, você recebe Call of Duty Points, que podem ser gastos de várias maneiras diferentes.

Essencialmente, é possível comprar as famosas perks, assim como aprimoramentos para suas armas, killstreaks, e mais. As armas continuam sendo destravadas apenas quando o jogador atinge um determinado nível, mas você pode turbinar os brinquedinhos que já tem, graças ao sistema de pontos. É quase como se estivéssemos em um RPG.

Novidades na guerra online

O modo multiplayer também traz os Contracts. Trata-se de desafios que, quando cumpridos, fornecem uma modesta quantidade de pontos de experiência. No entanto, você precisa pagar caso queira completar algum deles. Ou seja, você gasta alguns Call of Duty Points, mas pode receber muita XP.

Esses contratos são uma excelente maneira de incentivar o jogador a continuar jogando o multiplayer do game. Além de todo o formato clássico dos tiroteios entre os jogadores, você tem mais um desafio, o que torna a experiência ainda mais divertida.

Como se não bastasse, há outra novidade em Black Ops: as Wager Matches. Basicamente, as Wager são apostas contra outros jogadores. Nessas partidas, você paga uma quantia que pode variar de 10 a 10.000 pontos, dependendo de sua coragem e de seu bolso.

Nas Wager Matches, você conta com vários modos diferentes. Em um deles, o jogador recebe armas melhores conforme vai aniquilando seus parceiros. Já em outra modalidade, você tem apenas uma pistola com uma bala e três vidas.

No final de cada partida, os três primeiros jogadores recebem todo o valor acumulado pelas apostas e todo o restante sai com as mãos vazias. Um modo exótico e muito desafiador, mas que com certeza servirá para provar quem é o melhor e mais corajoso dos jogadores.

O retorno dos mortos-vivos

Quem procura algo diferente do convencional não deve se preocupar, já que Black Ops também dá conta do recado. O game traz um modo cooperativo para até quatro jogadores em que o objetivo é bem simples: aniquilar zumbis. Você e outros jogadores entram em uma pequena sala, armados apenas com uma pistola, e devem segurar a horda de mortos-vivos que surgem arrebentando tudo.

Img_normal

Os pontos são obtidos conforme o jogador detona os oponentes e repara os objetos de proteção, e podem ser gastos com armas e até mesmo novas fases. A luta pela sobrevivência gera uma experiência bem frenética e que, certamente, vai render algumas horas de diversão.

Tudo fica ainda melhor graças ao robusto sistema de comunicação online disponibilizado pelo game. Depois das partidas, você pode verificar quais foram os últimos jogadores com quem você jogou e enviar convites para formar alianças. Os membros desses grupos podem trocar mensagens de texto ou conversar com o headset Headbanger.

Treinando para o combate

Quem ainda acha que está enferrujado para embarcar nas partidas online pode optar pelo modo Combat Training. Como o nome sugere, esta opção permite que o jogador treine suas habilidades em partidas semelhantes às do modo multiplayer, mas com jogadores controlados pela inteligência artificial.

Você pode alterar as configurações de dificuldade e até mesmo ganhar pontos que podem ser gastos exclusivamente para esta modalidade. Também é possível convidar outro jogador para participar da chacina, fazendo uma espécie de treinamento em equipe.

Img_normal

Combat Training é realmente útil para quem ainda acha que precisa de mais prática até enfrentar seus amigos ao redor do mundo. Vale lembrar que qualquer um dos modos online requer conexão com o Nintendo Wi-Fi Connection.

Armas engasgadas

Infelizmente, Black Ops sofre com alguns deslizes, impedindo que o jogo seja tão bom quanto poderia ser. Primeiramente, temos vários problemas no design que denigrem toda a experiência no modo campanha. Durante algumas fases, o jogo simplesmente deixa de indicar qual é o objetivo do jogador, deixando-o perdido. Há casos em que, em vez de ajudar, o título acaba complicando ainda mais a situação, levando você para locais sem sentido — algo que ocorreu bastante na missão Battle of Khe Sanh.

Outro problema que pode incomodar bastante é a inteligência artificial de seus companheiros durante a campanha. Os companheiros de guerra parecem não ter tido nenhum treinamento, pois permanecem perdidos e até mesmo atirando em paredes. Os inimigos, (in)felizmente, também não são grandes gênios de combate.

O modo online também traz alguns problemas de conexão. Algumas vezes, o título simplesmente não acha nenhum game disponível. O problema é agravado se você usar conexões com fio através de adaptadores de LAN, algo que os desenvolvedores estão tentando corrigir.

Img_normal

Já acabou?

Conforme comentamos, a campanha da versão para Wii de Call of Duty: Black Ops dura aproximadamente seis horas. Tudo bem, ela é bem intensa, mas depois que você termina não há motivos para voltar a desfrutar da história. Mais eventos ou até mesmo itens escondidos poderiam aumentar a longevidade do modo single player.

No modo multiplayer, não há suporte para jogatinas em tela dividida, o que é realmente uma pena, visto que os outros jogos da série traziam esta opção, que era um dos grandes prós da experiência. Além disso, a modalidade cooperativa com zumbis se torna enjoativa após algumas horas, consequência da fórmula adotada pelo modo.

87 wii
Ótimo