Garanta seu passaporte para o céu comprando Chime

Não é difícil encontrar jogos casuais na XBLA, os rotulados propriamente como arcades. Porém não é fácil achar algo que vallha cada centavo investido. E, entre os títulos que cumprem o papel de entreter, é ainda mais complicado haver uma desenvolvedora voluntária em projetos sociais. Na verdade, só há uma companhia que fez isso.

Com a vasta experiência dos desenvolvedores da Zöe Mode de criar jogos musicais rítmicos, a OneBigGame iniciou seu projeto de caridade, com a ajuda gratuita do estúdio, e o resultado foi o surgimento de Chime. Todo o lucro obtido, que é 60% de royalties em cima do preço do produto (o resto vai para a Microsoft), ajuda instituições de caridade infantil.

Trata-se de um game em que o objetivo é fazer música, abarrotando a fase com diferentes peças na tentativa de criar "quadrados" (na verdade, qualquer figura com dimensões iguais ou maiores que 3x3), os quais elevam a porcentagem preenchida do cenário. Quando mais de 50% da fase é coberta, o próximo estágio é liberado. Como esperado em um arcade, parte da diversão é adquirir pontuações cada vez mais elevadas – como em Geometry Wars.

No entanto, a maior atração é a maneira que a música se forma de acordo com suas ações. O tutorial explica tudo, mas em resumo: no sentido vertical, quanto mais para cima, mais alto o tom; no sentido horizontal, a posição toca uma nota diferente; já os "quadrados" ativam porções especiais da balada e, dependendo de suas dimensões, os efeitos variam.

O estilo das músicas inclusas é eletrônico (lembrando o gênero trance). Há artistas conceituados e músicas igualmente cultuadas na trilha sonora. Segue abaixo uma lista dos artistas e suas contribuições, respectivamente:

  • Philip Glass – Brazil;
  • Markus Schulz – Spilled Cranberries;
  • Moby – Ooh Yeah;
  • Paul Hartnoll (Orbital) – For Silence;
  • Fred Deakin (Lemon Jelly) – Disco Ghosts.

Para quem não conhece nenhum dos nomes acima, vale conferir o clipe de "Ooh Yeah" de Moby. O vídeo foi adotado pelo artista como tema da canção através de um concurso oferecendo o prêmio de US$ 10 mil para o mais criativo. Matteo Bernadini foi o vencedor e destacou-se ao utilizar como tema os filmes pornográficos dos anos 70 (sem a parte do conteúdo inadequado).

Os modos de jogo contendo as cinco faixas são "Time Trial" e "Free Mode". O primeiro oferece três níveis de limite de tempo e o segundo permite jogar livremente, sem se preocupar com o contador de segundos. Para receber acesso ao "Free Mode" é preciso fechar a fase no "Time "Trial.

Deixando de lado a parte da caridade, Chime é altamente recomendável pelo custo-benefício ao oferecer uma experiência musical agradável de jogabilidade. É especialmente recomendado para quem gosta de música, tem interesse em novas experiências e nunca enjoa de quebra-cabeças de encaixar peças, filhos de Tetris.

Já para quem não liga muito para a melodia e busca uma experiência focada estritamente na jogabilidade visual (termo especialmente criado para o caso), Chime não conseguirá agradar ao oferecer quebra-cabeças de encaixar peças de nível regular – não básico, pois muitos títulos do gênero fizeram sucesso oferecendo muito menos.

Na dúvida, compre o game porque é divertido e barato. Para facilitar a decisão, lembre que você estará ajudando crianças que precisam de ajuda, tornando a aquisição a boa ação do ano. Então, a versão curta: vale a pena investir 400 MP em Chime.

Descobrir música cobrindo a fase

Brincar de fazer sons é divertido, prova disso é a popularidade de franquias como Guitar Hero. O problema é a linearidade que geralmente é imposta no gênero, seguindo sempre os mesmos padrões. Já em Chime a história muda.

Em vez de aparecer um corredor com botões coloridos a serem pressionados na ordem correta, em Chime o jogador deve encaixar peças aleatoriamente do jeito que quiser. E é legal ver que cada parte do cenário produz sons diferentes, também tendo os "quadrados" para produzir efeitos maiores. Além disso, a seleção da trilha sonora é excelente.

Em poucas palavras, a jogabilidade é brilhante com o estilo simples de encaixar peças misturadas com produções musicais. O design também é interessante, sendo bem confortável para a proposta ao transmitir a sensação de suavidade.

Ajudar crianças necessitadas

Um dos melhores motivos para adquirir Chime é saber que os cinco dólares investidos estarão ajudando crianças que precisam de auxílio médico, educacional e financeiro. Infelizmente, dois dólares vão para a Microsoft, pois ela cobra uma porcentagem mínima de lucro de todos os desenvolvedores para XBLA.

Para esclarecer a história, a Zöe Mode criou o jogo para ajudar a iniciativa do grupo OneBigGame de criar títulos sem fins lucrativos para ajudar instituições de caridade. As principais fundações beneficiadas são a Save the Children e a Starlight Children’s Foundation, ambas ajudam crianças necessitadas no mundo todo.

Só para exemplificar o tipo de socorro oferecido, os grupos atualmente estão ajudando as crianças do Haiti com escolas temporárias, atenção médica, alimentos e outros zelos necessários. Um dos focos das instituições de caridade também é buscar estabilidade para as famílias que precisam da ajuda.

Enfim, comprar Chime é uma boa ação. Além do fato de estar realizando uma caridade o jogo é divertido, por isso é não é difícil recomendar o título.

Uma raça nobre de arcade

Chime dificilmente será aposentado depois de obter a versão completa. Trata-se de um verdadeiro arcade, daqueles que você acaba jogando casualmente repetidas vezes, o que leva a citar novamente o Geometry Wars.

Mesmo depois de fechar todas as fases e terminar todas as conquistas – que são bem desafiadoras e requerem tarefas como completar todas as fases em 100% no modo "Time Trial" de três minutos –, há um motivo para continuar jogando: o score.

A pontuação de amigos, ou até de jogadores desconhecidos no ranking online, consegue incentivar a superar a própria pontuação. E como as músicas são boas tanto quanto a jogabilidade, dificilmente você enjoará de vez de Chime e eventualmente jogará uma partida de tempos em tempos.

É pouco...

São só cinco fases e dois modos, sendo que um deles possui três versões diferenciadas por tempo. É provável sentir a falta de mais conteúdo, como mais faixas. Por outro lado, o título custa somente 400 pontos e pelo valor não poderia ser exigido muito mais.

Ainda assim, não faria mal se alguns downloads com conteúdo adicional fossem lançados (o que infelizmente não será o caso) complementando a experiência, nem se fosse com custos adicionais.

Como o jogo não possui fins lucrativos, fica difícil imaginar isso acontecendo, pois a Zöe Mode também precisa ganhar dinheiro no final das contas.

76 xbox-360
Bom