Conduit prova novamente que é possível encontrar qualidade no Wii

Conduit parece ser uma eterna luz no fim do túnel para o Wii, sobretudo quando se considera um universo além dos muros da própria Nintendo. Senão, vale a pena visitar rapidamente alguns lugares-comuns que normalmente são evocados para tratar do console: “É um console familiar”; “Apenas os títulos com mascotes da própria Nintendo são apriveitáveis”. Bem, se o primeiro título ajudou a quebrar um pouco essa ideia instalada, pode-se dizer que o Conduit 2 também não faz feio.

Em outras palavras, em um cenário caótico abarrotado de títulos pouco expressivos/responsivos — boa parte utilizando de forma dúbia as possibilidade do Wii —, é realmente revigorante encontrar algo do naipe de Conduit 2; algo capaz de provar que as apostas da Nintendo podem, com o devido trabalho, ir além do estereótipo de tecnologia curiosa.

Img_normal

Conduit 2 é preciso, traz belos gráficos e também inclui uma ficção de forja própria bem aproveitável — e também inegavelmente engraçada às vezes. Conforme acompanha a caçada de Michael Ford ao vilão John Adams, você terá a oportunidade de rever alguns preconceitos relacionados ao console.

Impossível fazer o Wii Remote funcionar adequadamente? Bobagem. Embora algumas pessoas talvez demorem um pouco para pegar o jeito, o Wii MotionPlus faz um ótimo trabalho aqui, facilitando a distribuição de headshots a granel. O Wii sempre apresenta gráficos medíocres? Melhor olhar novamente. Conduit 2 apresenta não apenas um desempenho bastante razoável, como ainda traz uma excelente direção de arte — capaz de convencer tanto com um horizonte congelado quanto com o interior de um monstrengo cibernético.

Entretanto, vale guardar as devidas proporções aqui. Embora funcione perfeitamente como um belo contrassenso dentro das possibilidades do Wii, a recriação da High Voltage Software não necessariamente acrescenta algo ao estilo FPS como um todo.

Img_normal

Quer dizer, de fato, não há nada aqui que você já não possa ter encontrado em outros jogos do gênero — há, de fato, uma profusão do que se poderia chamar de “clichês bem construídos”. Menos divertido por isso? Não necessariamente. Embora o resultado não propriamente surpreenda, é perfeitamente possível garantir algumas boas horas de diversão com Conduit 2. Descubra abaixo por quê.

Conduit 2 talvez não seja o FPS mais surpreendente que você já viu, bem como também não traz a história mais original do gênero. Mas mesmo assim não deixa de ser uma surpresa agradável quando se considera o pedregoso terreno dos títulos desenvolvidos por terceiro para a Nintendo — em um tipo de visão que originou toda uma série de preconceitos quanto aos títulos third party do Wii.

Dessa forma, a dica aqui poderia ser: encare Conduit 2, sobretudo, como um jogo divertido. Sem muitas novidades, mas recheado de ação e também de passagens hilárias — utilizadas para contar uma ficção científica que certamente tem seu charme. Ademais, para quem possui apenas o Wii, trata-se sem dúvida de uma compra certa.

Sim, o Wii MotionPlus funciona

Talvez seja perfeitamente normal praguejar após os primeiros contatos com qualquer coisa que envolva o Wii Remote, com ou sem o acréscimo do Wii MotionPlus — sobretudo se você está acostumado a encarar FPS com a combinação clássica “mouse + teclado”. Entretanto, é impossível não reconhecer que um bom trabalho pode fazer toda a diferença nesse quesito.

O resultado alcançado pela High Voltage Software em Conduit 2 é realmente admirável. Salvo alguns pequenos deslizes — com os ataques corpo a corpo, por exemplo —, há aqui uma jogabilidade fluida capaz de deixar anos-luz para trás as primeiras abordagens desajeitadas para o console. A mira é sensível, o retículo funciona adequadamente, e o chacoalhar do Nunchuk para lançar granadas soa bastante elegante — além de bastante funcional.

Armas: destruição humana e alienígena

A boa jogabilidade de Conduit 2 encontra ainda um reforço em algo que surge como uma marca registrada para a franquia. Trata-se do arsenal disponibilizado durante o jogo.

Basicamente, uma boa utilização da temática alienígena permite que armamentos tão discrepantes quanto uma escopeta e uma estrutura orgânica dividam o mesmo tiroteio. Vale um destaque para certa arma que se... “Acopla” às partes traseiras de uma pobre criaturazinha (Hive Canon)  alienígena — quem jogou sabe bem do que se trata.

Img_normal

De instalações militares a interiores de monstros cibernéticos

Embora o desenrolar da história em Conduit 2 seja bastante comum dentro do universo do FPS, as estruturas gráficas responsáveis por materializar a ficção científica aqui são inegavelmente dignas de nota: corredores de uma plataforma militar; as entranhas de uma criatura cibernética; os detalhes criados para tornar convincente um cenário congelado. Tudo isso ainda ganha o auxílio de belas texturas, configurando um tipo de tratamento que, convenhamos, não se vê muito no Wii.

Parece Duke Nukem? É quase isso

Verdade seja dita: há muito de pastiche nos diálogos e, de forma geral, nas interações entre os personagens de Conduit 2; mas isso não é necessariamente ruim. Até porque, qualquer intenção de levar a trama do jogo completamente a sério é rapidamente desbancada pelos diálogos entre Michael Ford — que foi dublado por Jon St. John, o mesmo responsável pela voz de Duke Nukem — e seu mentor durante o jogo, a estrutura alienígena Prometheus.

Img_normal

Temperando a coisa toda, há todo tipo de tirada “nerd”, comentário sobre cultura popular e tirada de humor nonsense. Pois é, o negócio é relaxar e curtir uma mistura das mais cômicas.

Um bom multiplayer

Após descortinar todas as conspirações humanas e alienígenas que representam o modo campanha de Conduit 2, uma boa dica é dar uma chance para os modos multiplayer do game. Embora não reinvente a roda, há uma boa diversão para até 12 jogadores simultâneos, com diversas fases e estios. Vale uma nota ainda para as diversas possibilidades de personalização das partidas.

Poucas inovações

Mesmo fazendo algumas concessões por se trata de um estilo não muito proeminente no Wii, é impossível não reparar que há uma quase total ausência de novas ideias em Conduit 2. Mesmo em relação ao primeiro título, o que se tem é simplesmente uma melhoria linear que, embora seja capaz de proporcionar boas horas de diversão, também deixa certo vácuo no quesito “novidades”.

I.A. inconstante

Img_normalNão que a I.A. (inteligência artificial) aqui seja realmente terrível... Mas às vezes a coisa toda fica de fato risível. Alguns inimigos simplesmente se recusam a subir escadas, outros são completamente incapazes de atravessar uma porta para continuar a persegui-lo. Enfim, não fosse o caráter semi-humorístico da trama, provavelmente o balde de água fria seria ainda maior.

Esforço gráfico

Embora não seja uma constante, são consideravelmente recorrentes as quedas de fps (frames per second, ou taxa de quadros por segundo) em Conduit 2, sobretudo nos momentos de maior intensidade. A lentidão pode ocorrer também nos modos multiplayer, embora com uma frequência bem menor.

80 wii
Ótimo