Gráficos e trilha sonora pobres e controles altamente confusos: Cross Edge deixa MUITO a desejar no PS3.

Cross Edge, também conhecido como X-Edge, é um jogo de combate baseado em turnos que mescla jogadores de diversos jogos japoneses, entre eles Darkstalkers, Disgaea, Ar tonelico, Spectral Souls, Atelier Marie e Mana-Khemia 2, dos quais efeitos bonitinhos não são tudo num jogo! poucos ficaram conhecidos no Brasil.

A verdade é que Cross Edge é só uma tentativa de trazer novamente à tona personagens de jogos já antigos que estavam sendo esquecidos pelos fãs. E se esta tentativa possuísse um foco sério e boa atenção dos desenvolvedores, poderia ser um sucesso.

Entretanto, apesar das grandes chances que os desenvolvedores tinham em suas mãos, fizeram feio com o jogo para um console como o PlayStation 3: mesmo ignorando o enredo chulo e vazio, o jogo deixa muito a desejar.

Visual e áudio do SNES!


Tudo bem, dizer que o jogo tem visual equivalente a títulos do SNES é um grande exagero, mas não “forçamos a barra” se dissermos que X-Edge lembra muito os jogos do Nintendo 64. A qualidade gráfica é muito pobre, e até seria aceitável no PS3, se o título fosse vendido pela PSN, mas não é.

O jogo é oferecido exclusivamente através de blu-rays, mídia do console de última geração da Sony que faz o jogo custar muito mais caro, já que além da mídia, é preciso pagar impostos que não são cobrados de títulos distribuídos digitalmente.

Sim, isto é um jogo do PS3

Somando isso ao visual gráfico paupérrimo, à ausência de animações durante os diálogos, que são apresentados exibindo apenas um cenário de fundo e o corpo dos personagens em primeiro plano, com uma caixa de diálogo, a relação custo/benefício do jogo acaba sendo muito baixo.

A trilha sonora de Cross Edge também deixa muito a desejar, com ritmos bastante repetitivos e completamente desconexos entre si, ainda que relacionados ao momento em que o jogo se encontra.

Controles extremamente confusos

Como se não bastasse a baixa qualidade gráfica e sonora, o jogo ainda peca terrivelmente no esquema dos controles. O jogador pode levar horas até entender o que realmente deve fazer no jogo, principalmente levando em conta os menus, que seguem um padrão de seleção completamente diferenciado de tudo que conhecemos.

Devido a isso, muitas vezes o jogador irá encontrar-se imobilizado no combate por ter utilizado um item que seu personagem não possuía capacidade de portar, como uma arma por exemplo. Isso pode causar grandes confusões devido ao esquema extremamente confuso criado pela NIS.

Troque as roupas das garotas!

Ah, vejamos se isso é o bastante para convencer alguns jogadores: neste jogo, apesar de nada possuir um foco inteligente, é possível trocar a roupa das personagens femininas. Sim, fomos irônicos: isso não convence ninguém a jogar Cross Edge!

É um absurdo ver que os desenvolvedores não se preocuparam em lançar um jogo com gráficos e trilha sonora altamente retrógrados, mas no entanto acham válida a proposta de permitir que as garotas, APENAS as garotas do jogo troquem seu manequim.

Controles malucos confundem até nos menus!

Entretanto, este é um jogo voltado para um público muito específico, e provavelmente os fãs do gênero irão se dar muito bem com Cross Edge, levando em conta que já estão acostumados com títulos deste estilo.

34 ps3
Vergonhoso