Contando com um sistema de luta dinâmico e divertido, a franquia chega à sua quarta versão.

Há muito tempo, a série Dead or Alive supreendeu os jogadores do Playstation e Sega Saturn com sua jogabilidade rápida e o design ousado de suas personagens femininas, inspirados em jogos como Fatal Fury e Mortal Kombat. Quase 10 anos depois, a série atravessa mais uma geração de consoles sem mudar a fórmula que a consolidou que, mesmo após tanto tempo, ainda funciona bem.

Pouco muda

Dead or Alive 4 (DOA 4) é um jogo rápido e dinâmico, que, apesar de bastante parecido com seus antecessores, apresenta pequenas mudanças e evoluções que trouxeram um resultado bastante positivo. Há novos movimentos para os antigos personagens e novos personagens com diferentes estilos de luta. As arenas foram muito bem desenhadas, sendo ainda mais interativas e detalhadas que nas outras versões da série.

O jogo agora exige muito mais tática da parte do jogador, decorrência natural de sua dificuldade excessiva. A dita dificuldade normal de DOA 4 está acima da média dos jogos de luta, e não há possibilidade de diminuí-la. Os jogadores menos experientes, portanto, devem se preparar, pois terão bastante dificuldade ao atingir certa etapa do game. Os comandos, porém, simplificam bastante a tarefa de se acostumar com o jogo. Há basicamente um botão de soco, outro de chute, um para defesa e outro para ataques que envolvem agarrões. Apesar da pouca variedade de ataques básicos, os combos são inúmeros e os agarrões variam bastante de acordo com a situação.

Além disso, há os contra ataques, que tornam o jogo muito mais dinâmico, podendo fazer a situação de um jogador que está prestes a perder mudar drasticamente durante uma luta. A essencialidade destes existe devido aos grandes combos, que não raramente são executados sem possibilidade de reação, além do fato das defesas não apresentarem boa funcionalidade.

O grande desafio

O modo história de DOA 4 é interessante e vale a pena ser jogado. Cada personagem deve enfrentar 8 lutadores, sendo o chefe final, na maior parte dos casos, um estranho personagem com formas femininas chamado ALPHA-152. Há casos exclusivos, porém, em que o chefe final é outro personagem, de acordo com a história do lutador escolhido.

Outra opção interessante de jogo é o clássico modo survival, no qual o jogador enfrenta diversos oponentes em sequência, podendo recuperar apenas parte de sua energia através de itens dados após cada luta. O placar do jogador neste modo é determinado pelo número de adversários que ele vence e pelo número de pontos obtidos. O modo time attack — outro clássico em jogos do gênero —, por sua vez, consiste basicamente em vencer 8 oponentes no menor tempo possível. Este é o único modo que funciona no clássico “melhor de 3”, aumentando consideravelmente a dificuldade. O último personagem a ser derrotado neste modo é ALPHA-152, oponente que faz a conclusão deste modo uma tarefa muito difícil.

ALPHA-152

O último chefe — pelo menos para a maioria dos personagens — é uma arma humana com formas femininas chamada ALPHA-152, criada pelo cientista Donovan. A funcionalidade de seus movimentos vão muito além da de qualquer personagem, e seu combos podem causar mais de 50% de dano ao jogador. Além disso, ele possui a habilidade de se teletransportar para qualquer parte da arena a qualquer hora, tornando a tarefa de acertá-lo bastante difícil. Portanto vencê-lo não é nada fácil, muito menos no modo time attack, tendo em vista que neste o jogador deve sair vitorioso em 2 de 3 lutas.

Os novos

Entre as novidades que Dead or Alive 4 traz há a inclusão de 3 novos personagens jogáveis: Kokoro, Eliot e La Mariposa. Kokoro é uma jovem de 17 anos que treina, sob a supervisão de sua mãe, para ser uma gueixa. Suas técnicas de luta vêm de uma antiga arte marcial chinesa que engloba ataques em curta distância e cotoveladas. Eliot, por sua vez, é um jovem e dedicado aluno de Gen Fu, que entrou no torneio para testar suas técnicas e decidir se é ou não bom o suficiente para continuar o legado de seu mestre. Já La Mariposa é uma misteriosa lutadora do estilo Lucha Libre rival de Lisa Armstrong, que incorpora alguns golpes de capoeira em seu acervo de movimentos.

Cenários

Desta vez as arenas do jogo estão ainda mais bonitas e interativas, e influem diretamente em sua jogabilidade. Ao ter um de seus elementos atingidos, como um vidro ou uma barraca de frutas, o cenário responde, espalhando cacos ou frutas por todas as partes, por exemplo. Há também arenas com áreas específicas que causam dano ao jogador, como, por exemplo, um ringue cujos limites são estabelecidos por cercas eletrificadas.

A possibilidade de atirar seu oponente de grandes alturas — clássico elemento da série inspirado nos clássicos pit fatalities da franquia Mortal Kombat — ainda é um forte ponto do jogo, e torna as lutas mais dinâmicas e divertidas. O jogador pode atingir ou arremessar seu oponente de uma escadaria ou uma grande altura, causando um dano considerável nele.
80 xbox-360
Ótimo