Relembre a pancadaria em família

 

Jogos do estilo beat ‘em up (ou pancadaria nas ruas) tiveram sua época dourada durante a era 8/16-bits, com clássicos como Streets of RageFinal Fight e Battletoads. A grande graça desses jogos era ter um amigo ao seu lado, ambos com controles em mãos, lutando em harmonia para acabar com todo e qualquer inimigo que surgisse na tela.

Um dos games mais conhecidos do gênero foi Double Dragon. A série, que colocava os irmãos Billy e Jimmy Lee lutando lado a lado, foi um dos pilares do beat ‘em up, tendo várias sequências, incluindo um crossover com Battletoads.

Hoje em dia, o estilo de jogo parece estar um pouco sumido, mas o lançamento de Double Dragon Neon, uma espécie de reboot/remake do original, leva os irmãos Lee aos consoles da atual geração. Será que eles continuam fortes como antes ou os inimigos (e o tempo) levarão a melhor?

Double Dragon Neon não é o jogo que vai mudar a sua percepção de jogos beat ‘em up, nem explodir a sua cabeça de tão bom que é. Como uma homenagem aos jogos antigos, ele pode ser interessante, divertindo os fãs do gênero, mas não consegue ser um título que se aguenta muito bem com as próprias pernas.

Divertido, mas o tipo de game que você só vai dar atenção por um dia ou dois e, dificilmente, jogará novamente.

Novo jogo, mesma diversão de antes

Desde os primeiros momentos de Double Dragon Neon, você consegue perceber que foram feitas mudanças no game, mas o que realmente importa está exatamente como era nos jogos antigos.

O título começa como o primeiro jogo da franquia, com Marian, uma bela jovem que mexe com a cabeça dos irmãos, sendo agredida e sequestrada por uma gangue. Cabe a você, o grande herói da história, resolver tudo na base da porrada.

Img_normal

Os games antigos tinham apenas três golpes disponíveis: soco, chute e uma voadora (que só era colocada em prática quando os dois botões de ataque eram acionados, sempre saindo mais torta do que deveria). Em DD Neon, você continua com os golpes clássicos, mas também conta com rolamentos para evitar ataques, agarrões especiais e magias, que podem ser acionadas quando você enche uma barra de energia.

Como nos títulos antigos, você também tem à sua disposição todo um arsenal de armas que, geralmente, estão nas mãos dos seus inimigos, mas nada que uns belos sopapos não mudem.

Uma bela homenagem aos anos 80

Ficou bem clara a ideia dos produtores de Double Dragon Neon de homenagear os anos 80. Os gráficos, coloridos e espalhafatosos, são um reflexo disso, mas não são as únicas coisas que remontam a década.

Quando você morre, é possível que seu companheiro o salve, apertando um botão próximo ao seu corpo. O ícone que aparece logo em cima é o de uma fita K7. Você então deve rebobinar o objeto com o uso de um lápis, apertando freneticamente os botões do seu joystick. Uma garotada mais nova não vai entender a referência, mas, se você tem seus vinte e poucos anos, vai dar boas risadas.

Img_normal

As fitas também são encontradas em forma de power-ups para o seu personagem. Cada uma apresenta uma música diferente (passando do “rock farofa”, metal oitentista e pop), trazendo uma habilidade para cada uma — uma maneira interessante de evoluir seu personagem no game.

Trilha sonora digna de um filme de ação antigo

Apesar de fazer parte das homenagens aos anos 80, a trilha sonora merece um destaque especial. As músicas do game e seu estilo casam perfeitamente, já que remontam àquela época com competência.

Img_normal

Todas as melodias tocadas em Double Dragon Neon, seja na sua primeira fase ou durante a batalha contra o último chefe, parecem saídas de um filme de ação ou aventura daquela década. Se isso não fosse suficiente, ao final de cada estágio os personagens principais caem de joelhos, fazendo uma air guitar como se suas vidas dependessem disso.

Se socar o ar desse pontos...

Um dos elementos de jogos beat ‘em up que não envelheceu muito bem foi a maneira como os golpes chegam até os inimigos. Se levarmos em consideração alguns títulos da atual geração de games, você percebe que produtoras estão tentando evitar aquele estilo de ação “sem rumo”, em que o personagem soca o que vier pela frente e, se acertar alguma coisa, é lucro.

Img_normal

Talvez por isso, não deixa de parecer estranho o fato de Double Dragon Neon ser exatamente desse jeito. Mais de uma vez você estará socando o ar porque seu inimigo está cinco centímetros para a faixa de baixo. Ele, então, se mexe e entra no combo que você estava aplicando no vento.

Isso acontece também com eles, e mais de uma vez você estará andando, crente que está fora da linha de ataque inimigo, e receberá sopapos na cara.

Você PRECISA de um amigo para se divertir

Uma das graças do gênero beat ‘em up é se juntar a um amigo e descer a porrada nos inimigos em grupo. É possível jogar sozinho, mas a experiência não consegue ser metade do que quando você tem um companheiro.

Img_normal

O game leva isso um pouco além, sendo realmente necessário um segundo jogador para você não sentir ódio supremo de alguns trechos do jogo. Talvez por replicar o método dos anos 80 para esticar um pouco a experiência de jogo (Double Dragon Neon precisa de pouco mais de duas horas e meia para ser finalizado), o título torna a tarefa de um jogador solitário de “divertida” para “irritante” em pouco tempo.

65 ps3
Regular

Outras Plataformas

65 xbox-360