De coadjuvantes a protagonistas. Os carismáticos lodos de Dragon Quest retornar em um título só deles.

Dragon Quest Heroes: Rocket Slime é a continuação direta de Slime Mori Mori Dragon Quest. Seguindo os passos dos Chocobos de Final Fantasy — uma criatura de pouca ou nenhuma importância cujo carisma conseguiu superar até mesmo os protagonistas do jogo — os Slimes de Dragon Quest conquistaram um lugar de destaque no mundo dos videogames.

As criaturinhas gelatinosas (que mais parecem gotas de lama) retornam para uma nova aventura nas telinhas do Nintendo DS. Desta vez, como protagonistas, os Slimes tentam provar que são muito mais do que simples gosmas azuis.

Com cerca de vinte horas de jogo e uma sorte de quebra-cabeças e outros enigmas ambientais, Dragon Quest Heroes: Rocket Slime chega deslizando no portátil da Nintendo.


Uma saga gelatinosa

A cidade de Boingburg — capital da Slimenia — é um lugar pacífico, provocado por criaturas muito inusitadas, entre elas os amigos Rocket, Hooly, Bo, e Swotsy (todos ”lodos”). Os quatro amigos possuem uma flauta especial capaz de ativar um tanque de guerra.

Entretanto antes mesmo que a trupe possa imaginar as travessuras que eles poderiam armar com o aparato, um bando de criminosos conhecidos como Plob invadem a cidade e capturam cem dos cento e um habitantes de Boingburg.

Deixado para trás Rocket é o único Slime capaz de salvar seus amigos. Com a ajuda de suas habilidades gelatinosas e seu poderoso tanque Schleiman, Rocket deverá lutar contra o líder dos Plob, o temível Don Clawleone e seu capanga, Slival (um Slime que traiu seu povo).

Foguete gosmento

Não cunfunda tiro de canhão com... O jogo é bem direto na sua proposta (muito pelo fato de ser voltado para crianças), os controles são simples e a jogabilidade é extremamente fácil de ser aprendida. No controle da bolinha gelatinosa azul chamada Rocket, você terá basicamente dois comandos (atrelados aos botões A e B do DS).

Em linhas gerais você irá explorar o cenário atrás dos seus cem amigos sequestrados. Como armas você tem o seu próprio corpo (já vamos explicar melhor), uma série de objetos que podem ser arremessados contra os seus oponentes e o imponente tanque Schleiman.

O clima alegre e os personagens extremamente carismáticos garantem a diversão, ao mesmo tempo que a construção das fases é inteligente e assegura muitas horas de jogo. Outro ponto muito positivo fica por conta das modalidades de jogo multiplayer online.

Escorregando para a glória

Na “pele” de Rocket, você poderá utilizar a sua natureza “maleável” para se locomover e atacar os inimigos presentes na tela. Ao segurar o botão A, o pequeno Slime irá se prender ao chão, permitindo assim que você o estique para qualquer direção. Ao soltar o botão Rocket será disparado na direção desejada.

Essa capacidade muito especial é utilizada ao longo de todo o jogo, sendo que os desenvolvedores aproveitam esta dinâmica em uma série de quebra-cabeças inteligentes (mesmo que pouco desafiadores).

 Mas o ponto alto da jogabilidade são as batalhas de tanque. Equipado com o seu poderoso Schleiman (que só aparece depois de algumas horas de jogos) você irá competir contra um ou mais canhões inimigos.

Mas essas batalhas não se resumem a disparos inconsequentes. A tela superior do portátil apresenta ambos os tanques (um de frente para o outro). Além disso, a tela também mostra o trajeto dos disparos efetuados.

Desta forma o jogador pode perceber se a ogiva irá acertá-lo ou não, garantindo inclusive a chance de tentar interceptar o projétil com um outro tiro.

Geleca maluca

Por conta da sua orientação (o título é voltado para o público infantil) a paleta de cores é vibrante e muito variada. A direção de arte aposta em cenário fantásticos e muito coloridos o que é extremamente apropriado para toda proposta do jogo.

Força muleque!Cada um dos cem personagens que você deve resgatar e os inimigos que Slime encontra pelo caminho são únicos e extremamente carismáticos. As fases são singulares e os quebra-cabeças são relativamente elaborados.

Em linhas gerais os gráficos podem até não ser exuberantes, mas são belos e passam todo o clima de inocência e diversão próprios da “gosminha” azul que desliza pelo jogo inteiro.

Em contrapartida o som é incrivelmente irritante. A trilha sonora se resume ao que parece ser uma pessoa cantarolando “Ohhhs” e “Ahhhs” o tempo inteiro.

Doses homeopáticas

Por melhor que seja a dinâmica de jogo, o título é voltado quase que exclusivamente para o público infantil. Somente os fãs mais ardorosos da franquia Dragon Quest realmente irão apreciar essa nova edição da série.

Entretanto se você está procurando por diversão rápida e descompromissada, Rocket Slime é um tiro certo. A dificuldade é pouco desafiadora e o título não oferece nenhum suporte a Stylus.

Além das mais de cinco horas do modo história, o jogo também traz um excelente modo multiplayer online, com capacidade para mais de quinze jogadores simultâneos. Esta modalidade colocar os usuários dentro das envolventes batalhas de canhão que aparecem ao longo do jogo.

No final das contas Dragon Quest Herores: Rocket Slime é um bom jogo, pode até não valer a compra, mas é uma locação garantida. Em pequenas doses a dinâmica de jogo e o estilo caricato, podem oferecer uma excelente distração para os donos do Nintendo DS.
60 ds
Regular