A luta entre os Três Reinos retorna aos games em Dynasty Warriors 6.

A série Dynasty Warriors, produzida pela KOEI, deu as caras pela primeira vez no mundo dos games no aclamado PlayStation 1, em 1997, com uma formatação diferente de seus sucessores.

O primeiro jogo da série envolvendo personagens do Romance dos Três Reinos trazia uma fórmula de luta um a um similar a Tekken, com gráficos e jogabilidade dentro dos padrões da época. A jogabilidade era focada em combates utilizando armas e golpes em série, apresentando também a possibilidade de desviar-se de golpes inimigos.


Contudo, o sucesso da série surgiu em Dynasty Warriors 2, o segundo título da franquia, lançado para Playstation 2 no ano 2000. Proporcionando uma jogabilidade totalmente diferente de seu predecessor, o título carregava consigo a fórmula que iria ser utilizada em todos os lançamentos seguintes da série: o gênero beat ‘em up.

A estrutura inovada remete a games como Double Dragon e Streets of Rage, em que a simplicidade de apertar botões repetidamente para arrebentar seus inimigos era predominante. Em Dynasty Warriors 2 o jogador escolhia um general das três facções e tinha como objetivo combater as outras duas e unificar a China. Um dos fatores que ocasionou o sucesso do título foi a inovação que permitia a exploração todo o território do estágio em que os jogadores se encontravam, com total liberdade.

O novo gênero adotado pelo segundo título continuou sendo adaptado pelos herdeiros da série, em consoles como PlayStation 2, Xbox e até portáteis como Game Boy Advance, contando com algumas inovações não muito significativas. O resultado de todos estes lançamentos foi a venda de mais de 9 milhões de unidades ao redor do globo terrestre.

O sexto título oficial da série, e o primeiro lançado para as plataformas de última geração (PlayStation 3 e Xbox 360), nomeado Dynasty Warriors 6, chega com grande expectativa dos fãs da série, trazendo novamente a estrutura consagrada pelo game e algumas novidades aderidas à franquia.


A insistente busca pela supremacia

Assim como os outros títulos da série, Dynasty Warriors 6 se passa no período dos Três Reinos, na antiga China, em um tempo em que três grupos rivais batalhavam entre si em busca de supremacia e domínio da terra. Você encarna um general de uma das três facções — são elas a Wu, Shu ou Wei — batalhando em campos abertos, com o objetivo de derrotar o exército inimigo praticamente sozinho — a matança pode envolver centenas ou até milhares de soldados inimigos. Infelizmente, todo contexto histórico é difícil de ser compreendido e apresenta-se muito confuso a quem não é familiarizado com a trama.

Matar centenas de inimigos sozinho não é tão divertido assim. A jogabilidade é praticamente a mesma dos títulos anteriores. Apertar seguidamente os botões para eliminar diversos oponentes. Isso pode fazer com que jogadores casuais se cansem rapidamente do jogo, já que a simplicidade é marcante, e as possibilidades oferecidas pelos jogos atuais são muito mais atraentes e envolvem uma complexidade mais cativante.

Mesmo os jogadores fãs da franquia poderão estranhar Dynasty Warriors 6, já que a promessa era de que a fórmula seria devidamente aprimorada e adaptada para os consoles de nova geração, com novidades e recursos significativos adicionados ao título. Porém, a história se repete e a sensação de já ter jogado este game antes se ressaltará facilmente na cabeça dos aventureiros.

Guerreiros lutando pela mesma causa

Os generais ainda adquirem pontos de experiência e novos níveis de evolução, contudo, o número de personagens agora é inferior ao seu antecessor. No início, apenas 9 protagonistas podem ser selecionados (sendo três para cada facção). Entretanto, um total de 41 personagens jogáveis pode ser desbloqueado enquanto o jogador percorre pelo game, alimentando significativamente o tempo de jogo fornecido pelo game.

Os combates no modo principal, ou modo Musou, retratam importantes batalhas do período em que o game se passa, fornecendo dados e acontecimentos históricos sobre os Três Reinos. O objetivo principal das batalhas constitui basicamente na eliminação de certo general rival. Existem também alguns pontos alvos, como o domínio de algumas bases e a destruição de alguns portais de segurança, que são tidos como objetivos opcionais. Estes objetivos secundários, que devem ser conquistados em um período predeterminado de tempo, remetem em um bônus extra nos pontos de experiência obtidos pelo jogador no final de cada batalha.
Tudo que você precisa fazer é derrotar caras como este.
Prepare-se bem antes de cada batalha

Antes de cada batalha é exibido um menu demonstrando várias opções que podem ser acessadas pelo jogador, com a finalidade de conferir desde os pontos alvos a serem conquistados até detalhes dos exércitos em campo e dicas de estratégia. O jogador pode observar um mapa tridimensional com destaque nos pontos e localizações das tropas inimigas, representadas em vermelho, e também visualizar onde seu time se encontrará quando a partida começar. Além disso, você também pode conferir suas armas, habilidades e os cavalos adquiridos.

Cuidado pra não cair do cavalo em Dynasty Warriors 6!Na opção Battleground deste menu, é possível verificar o nome a função de cada soldado, exibindo detalhes dos generais e posicionamento de cada um deles. O menu também fornece a opção Overview, em que você pode conferir algumas dicas de estratégia para se dar bem em combate, como por qual caminho avançar e quais regiões devem ser evitadas.

 
Para destruir nos campos de batalha, você contará com a ajuda de exércitos aliados inteiros — não muito eficazes em seu trabalho —, armas características de cada general e cavalos de montaria para facilitar a locomoção e, em determinadas passagens, ajudar no conflito. Lembre-se de salvar sua partida sempre que puder, pois caso seu protagonista morra em campo, o jogo não oferece a opção de “continue”, resultando no fim do jogo.

Em busca de novos desafios

Além do modo Musou, também está disponível em Dynasty Warriors 6 a modalidade Free Mode. Nesta o jogador pode selecionar em qual conflito deseja batalhar utilizando também personagens desbloqueados, com o intuito de ganhar novos níveis e experiência para seus generais.

Outro modo de jogo é o desafiador Challenge Mode. Neste o jogador tem a oportunidade de testar suas habilidades através de eventos característicos para cada atributo. Coragem, habilidade, velocidade, força e agilidade são testadas de diversas maneiras, colocando o player nos mais variados minigames.

Entre os mais notórios estão o Sudden Death, em que o jogador deve aniquilar o maior número de inimigos sem ser atingido nenhuma vez; Gauntlet, em que o objetivo é coletar vários itens em um corredor repleto de cavalos que podem atropelar o jogador; e o Speed Run, no qual o personagem tem de passar por várias bases no menor tempo possível. Os minigames até que são divertidos, mas após duas tentativas provavelmente já serão deixados de lado. Além disso, o game ainda conta com um modo multiplayer cooperativo com a tela dividida, mas a função para partidas online não está disponível.

Os equipamentos de guerra


Inicialmente você conta com apenas alguns animais de montaria dispostos a lutar, cada um com peculiaridades distintas. Estes, assim como os protagonistas humanos, ganham pontos de experiência e adquirem um nível maior, com um aumento significativo em suas características, que incluem velocidade, altura do pulo, ataque, nível de destruição e habilidades. Fora os pré-disponíveis, o jogador também pode adquirir novos cavalos através de itens que são obtidos ao derrotar inimigos ou quebrar vasilhas.

Este general mata os inimigos a pauladas! As armas são características específicas de cada general, e também podem evoluir conforme o jogador percorre a aventura. Alguns dos protagonistas contam com espadas e adagas para combate, já outros possuem lanças extremamente afiadas ou até mesmo arcos-e-flechas. Ao decorrer dos conflitos você também poderá encontrar itens derrubados por inimigos que representam armas novas ou aprimoradas com poderes especiais.

Inovações não tão inovadoras

Uma das inovações em Dynasty Warriors 6 é o sistema Renbu, um novo modo combinações de golpes que permite aos jogadores uma incrível e extensa série de ataques interruptos aos inimigos. Nas versões anteriores, os combos eram relacionados à qualidade da arma que o jogador empunhava, ou seja, as armas mais poderosas permitiam que os generais realizassem ataques com um maior numero de golpes consecutivos.

Agora o sistema Renbu descarta esta necessidade e a substitui por uma barra medidora que se preenche gradativamente conforme o jogador desempenha ataques. Caso você consiga designar vários ataques sem levar um arranhão, seu Renbu subirá um nível, fazendo com que seu guerreiro realize combinações de ataques maiores. Entretanto, se o jogador ficar algum tempo sem atacar, ou seja, acertado por um forte golpe inimigo, seu Renbu diminuirá. Isso significa que para realizar combinações em grande escala, você tem de manter seu Renbu sempre em um bom nível.
Cuidado para não formar bolhas em seus dedos.
Esta novidade pode ser considerada um ponto positivo ou negativo do game, já que esta torna a fórmula de apertar repetidamente um só botão ainda mais banal, e a alternância necessária de apertar dois botões, entre ataques fortes e fracos, se torna dispensável.

Outro melhoramento de peso em Dynasty Warriors 6 é o sistema de habilidades, representado por uma planilha similar à uma árvore genealógica. Agora ao invés de serem distribuídos automaticamente para atributos como defesa, vida e ataque, seus pontos adquiridos poderão ser usados para incrementar o personagem. Estes pontos podem ser gastos em aptidões disponíveis na árvore de habilidades, como a possibilidade de adquirir maiores níveis para a barra Renbu, exercer um dano maior em ataques específicos, carregar mais itens, e outras. O sistema é robusto e necessitará que o jogador termine o game mais de uma vez caso queira adquirir todas suas funções.

Agora você pode subir escadas e até nadar!
Há também adições não tão significativas, como a possibilidade de subir escadas e nadar. Estas propõem uma sensação de exploração ainda maior que em seus antecessores, porém, só deverão ser notadas por fãs que aguardavam ansiosamente pelas atualizações. Para jogadores casuais da série, estas inovações podem passar despercebidas, já que estas ações são mínimas e comuns em outros jogos.

Um insulto aos ouvidos


Mas não pense que devido ao novo sistema de combinações e por empunhar lâminas afiadíssimas você verá muito sangue jorrando. Dynasty Warriors 6 não é sanguinário, e o máximo de atuações doloridas que você irá encontrar em combate serão os gemidos dos soldados voando pelos ares — e as dublagens, é claro.

O som do jogo chega a ser irritante. Os gemidos dos soldados não variam muito, existem momentos no game em que você enfrenta dezenas de inimigos e todos aparentam ter a mesma voz e gritam exatamente da mesma maneira.

Pela dublagem dos protagonistas, a sensação que se tem é que todos os personagens são hipócritas, pois a maneira como eles dialogam soa falsa e insegura. Os gritos de incentivo chegam a ser cômicos e a trilha sonora não se encaixa no game, já que músicas repletas de guitarras com efeito de distorção e a China antiga não combinam muito bem.

Visual ultrapassado em um game ordinário

O gráfico é decepcionante. Mesmo com alguns aprimoramentos em relação a seu antecessor, Dynasty Warriors 6 deixa a desejar. Os generais são um dos únicos elementos que não se rebaixam ao nível inferior dos cenários e dos protagonistas secundários. Estes apresentam certa qualidade na feição, com texturas bem acabadas e roupas mais detalhadas. Porém, não é nada impressionante e às vezes o jogo lembra a geração passada de vídeo games.

Objetos e outras partes do ambiente visivelmente aparecem do nada no cenário, o efeito “De onde surgiu esta árvore?” é constante no game. Além das aparições, ocorrem também alguns desaparecimentos. A vegetação, principalmente a grama e os arbustos, simplesmente some conforme o jogador se aproxima dela. A queda de quadros por segundos também é freqüente, mas não chega a incomodar.

A água é extremamente pobre em beleza, e apresenta gráficos inferiores aos oferecidos em qualquer outro game da atual geração. Além disso, as montanhas e paredes possuem aspecto de textura similar ao game anterior da série, algumas vezes até pior, e os efeitos de poeira e iluminação também são lamentáveis.
O visual não agrada muito.
A câmera não ajuda muito nas batalhas, pois se encontra muito sensível. Jogadores podem demorar um pouco até se acostumar com a visão do jogo, visto que os personagens aparecem muito próximos à tela e a visão da retaguarda ou até mesmo lateral é prejudicada pelo posicionamento da câmera. Além da visualização, algumas paredes invisíveis também afetam a exploração do ambiente.

Dedos cansados em uma experiência enjoativa

O game sem dúvida ainda mantém a mesma fórmula de seus antecessores, e mesmo com algumas adições ao título, seus problemas ainda se destacam mais e o jogo não decola. Talvez, se você for insistente e paciente, a experiência lhe renda algumas longas horas de jogo. Se está disposto a gastar seus dedos apertando repetidamente os botões para derrotar inimigos e criar enjoativas combinações de golpes intermináveis, Dynasty Warriors 6 pode agradar.
53 ps3
Fraco