Final Fantasy XV: Pocket Edition é a transição perfeita para o mundo mobile

Pocket

Quando Final Fantasy XV: Pocket Edition foi anunciado, confesso que fiquei um pouco com o “pé atrás”. Minhas impressões iniciais eram de que a Square Enix só queria aproveitar o material que já tinha em mãos e, a partir disso, criar novos recursos de baixa qualidade para adaptar o RPG para plataformas mobile — felizmente, eu estava errado em relação a isso.

Não que a Pocket Edition não tenha algumas dessas características, mas o trabalho feito pela empresa foi muito mais cuidadoso do que eu esperava. Em vez de simplesmente tentar encaixar um jogo para consoles em outra plataforma, ela viu os quesitos que funcionavam nessa transição, simplificou alguns que não funcionavam muito bem e deixou de lado aqueles que não faziam sentido em smartphones e tablets.

Final Fantasy XV: Pocket

Embora o game siga o mesmo roteiro de sua versão original, aqui os acontecimentos são muito mais “diretos”, deixando de lado muitas missões secundárias e o mundo aberto que caracterizou o jogo original. Ao adotar uma estrutura mais linear, o game perde parte de sua grandiosidade, mas se torna uma experiência um tanto mais interessante para quem deseja acompanhar a história de Noctis e seus amigos sem grandes distrações.

Na transição para o mundo dos smartphones e tablets, Final Fantasy XV ganhou um sistema de batalhas simplificado, mas não menos interessante. Usando toques na tela, você escolhe qual inimigo quer atacar, muda sua arma em tempo real e aciona algumas habilidades especiais, como contra-ataques e magias — tudo bastante responsivo e com uma câmera aérea que (quase sempre) mostra bem a ação em geral.

Minha reclamação nesse sentido é em relação às alterações feitas na árvore de evolução dos personagens: as habilidades são as mesmas do console, mas a maneira de progredi-las se tornou mais linear. Embora isso faça com que o jogo seja menos confuso nesse sentido do que sua contraparte para Xbox One e PlayStation 4,  a sensação que fica é que a Square Enix decidiu “pegar na mão” dos jogadores e mostrar a eles o “caminho certo” na hora de evoluir.

Final Fantasy XV: Pocket

Também incomoda um pouco o fato de que não é possível voltar a pontos anteriores da aventura, algo que o jogo alerta a você diversas vezes — muitas vezes ao indicar que você está partindo sem completar todas as missões secundárias. Se isso não deve ser um grande problema para quem não jogou a aventura, esse é um motivo de bastante estranhamento para quem se acostumou com a estrutura aberta de sua versão original.

Fora esses pequenos problemas, Final Fantasy XV: Pocket Edition é uma ótima forma de visitar a história, tanto para quem já jogou o game original quanto para quem não teve essa oportunidade — e os visuais mais caricatos funcionam muito bem. Com um desempenho geral bom (testei o game em um iPad Air 2), a adaptação se trata de um trabalho cuidadoso por parte da Square Enix e não de um simples “demake” lançado na forma de capítulos. 

85 iphone
Ótimo
"Final Fantasy XV: Pocket Edition consegue manter a mesma essência do game que vimos nos consoles de mesa"

Pontos Positivos

  • Condensa bem a história de Final Fantasy XV
  • Estrutura em capítulos se encaixa bem no formato mobile
  • Gráficos mais cartunescos funcionam bem
  • Sistema de combate preserva sua diversão

Pontos Negativos

  • A experiência se torna linear demais em alguns momentos
  • Sistema de evolução perdeu sua liberdade de escolhas
  • Algumas interações entre os personagens se perderam com a adaptação

Outras Plataformas

85 android