Os porquinhos-da-índia tomam conta do mundo da espionagem!

Este é um daqueles momentos em que seria interessante ter sons tocando enquanto o leitor passa pela análise — embora eu ache isto extremamente intrusivo em sites de internet. Por quê? Pelo simples fato de que porquinhos-da-índia escorregando por um cano ao som de Missão Impossível seria simplesmente hilário...

A premissa do filme da Disney — e consequentemente deste game que o acompanha — é bastante insólita: o FBI possui uma equipe de agentes composta por animais, sendo que os porquinhos-da-índia são os protagonistas. Parece loucura? Então se prepare, porque o resto é ainda mais estranho!

Uma equipe nada convencional

Você pode controlar esta bola de hamster elaborada! Essencial em qualquer trabalho em grupo é conhecer seus companheiros. Então vamos a eles: o jogador controla Darwin, o líder da equipe; há também Juarez, a fêmea do grupo; Blaster, que possui uma atitude de herói; e Hurley, um membro um tanto quanto desajeitado. Estes são os porquinhos-da-índia, sendo acompanhados também por Mooch, uma mosca, e Speckles, uma toupeira.

A maioria destes personagens servem como suporte e fornecedores de informação ou equipamentos através de todo o jogo, mas não existe a possibilidade de assumir seu controle em nenhum momento. A ação está reservada para Darwin e suas habilidades dignas de um verdadeiro agente secreto altamente treinado.

Vamos à atividade

O game se inicia logo no começo do clímax do filme, em que os agentes devem infiltrar o complexo de Leonard Saber, um industrial que é responsável por implantar chips maliciosos em equipamentos eletrônicos que os transformam em robôs de combate. A missão é impedir que isto cause caos no mundo inteiro, mas sem que a população saiba que a unidade especial de animais existe.

Pshoooooo

A primeira tarefa é executar uma infiltração furtiva, sendo que o jogo vai explicando as diversas habilidades de Darwin aos poucos — e elas não são poucas! Ele está equipado com um jato propulsor que permite que ele voe pequenas distâncias, flutue e até mesmo seja impulsionado para cima; com um chicote elétrico que serve como arma e ativador de botões e outros dispositivos; e uma variedade de armas que aumenta conforme o jogador progride. Mas comentaremos a respeito delas mas adiante.

Baseado na primeira missão, o jogador pode ter a impressão de que se trata de um jogo de furtividade e cautela, em que se deve passar despercebido a maior parte do tempo. Enquanto isto é verdade para alguns segmentos do título, a maior parte se constitui de ação e combate, com vários elementos de quebra-cabeça. O resultado é um jogo que mistura plataforma, ação, desafios e furtividade para uma experiência bastante variada — mesmo que, em alguns momentos, foque excessivamente no combate.

A pancadaria

Já que estamos mencionando constantemente as lutas, passemos a elas. Os controles são bastante bons e respondem de forma ágil e precisa. Para derrotar os oponentes, Darwin conta com várias armas que podem ser adquiridas ao longo do título para complementar seu arsenal: pistola de plasma, rifle de plasma, uma arma que converte inimigos para lutar por você, uma que congela... O suficiente para derrotar a maior parte do que vem pela frente.

Maior parte? Exatamente, alguns dos adversários requerem um algo mais para serem eliminados. Isto frequentemente envolve elementos do cenário — como lasers que devem ser ativados com o seu scanner, para em seguida serem refletidos sobre o robô inimigo pelo vidro. O elemento de quebra cabeça é bastante presente nestes momentos, sendo que não são necessariamente fáceis.

Ela possui até câmera lenta!

Falando em dificuldade, o jogo possui três. Nós, naturalmente, fomos direto na mais difícil, já que o game parecia voltado a um público mais jovem. Enquanto o game não é particularmente difícil, alguns dos desafios são elaborados o suficiente para exercitar o raciocínio do jogador, o que nos surpreendeu agradavelmente.

A maior diferença é no número de vidas e na quantidade de dicas que aparecem na tela. No primeiro nível de dificuldade, o game está sempre explicando as coisas, enquanto no último somente o faz da primeira vez — embora seja possível acessar a ajuda a qualquer momento no caso de alguma dúvida insanável.

Variedade de ambientes e de objetivos

Se tem algo que não se pode criticar no game é a falta de diferentes locais e ambientações, pois a casa de Saber é certamente algo impressionante. Durante nossa partida, passamos por uma casa normal, laboratórios, uma fábrica, um depósito, e até mesmo um túnel.

Os gráficos não são daqueles de deixar boquiaberto, mas são bastante fiéis ao que se vê nas telonas, o que já é bastante razoável. Não há queda de frames e as animações são bastante consistentes, não pecando de modo algum na qualidade — a crítica que talvez se possa fazer é com relação à falta de refinamento.

O lado ruim da apresentação fica por conta das vozes dos personagens, que não são as mesmas dos filmes — ao menos na versão em inglês. Apenas alguns dos protagonistas tem os mesmos atores, enquanto a maior parte ficou com substitutos. A versão completamente dublada, no entanto, talvez não tenha estes problemas.

Ferros de passar do mal!

Se alguém está buscando uma jogabilidade excessivamente empolgante ou envolvente com este título, esperando diversão pelo simples fato de jogar, talvez não seja o título ideal. Isto não significa que a jogabilidade seja ruim, já que ela é bastante sólida e se presta a todos os desafios que o game propõe, mas a verdadeira diversão está em aproveitar a experiência como um todo.

O contexto deve ser sempre lembrado, o da adaptação de um filme insólito em que roedores são agentes secretos e se comunicam com humanos, trabalhando para uma agência do governo norte-americano. Isto em mente, é sempre possível se deixar levar pela diversão leve e intrigante deste título.

Embora não seja aquele jogo que você sabe ressaltar algo que chamou particularmente a atenção, ele é bom o suficiente para prender sua atenção durante toda a história, até o final. A premissa que parece absurda de início rende uma boa experiência, no final das contas, fazendo deste título algo interessante para adultos e certamente muito atrativo para o público mais jovem, que certamente se sentirá desafiado pelos quebra-cabeças do game.

80 pc
Ótimo