A boa e velha matança de Kratos brilha ainda mais no PlayStation 3.

Os dois primeiros títulos da série God of War causaram um impacto extraordinário no mundo dos video games. O guerreiro espartano conhecido como Kratos balançou fortemente as bases do gênero ação (mais especificamente "hack 'n slash") e atraiu uma quantidade inacreditável de fãs ao redor do globo. No Brasil, o personagem é aclamado por muitos.

O primeiro jogo é simplesmente incrível. Uma jogabilidade extremamente dinâmica é combinada com uma história envolvente e recursos técnicos de ponta (para a época na qual o game foi lançado, é claro). God of War é jogado por milhares de pessoas até hoje devido à qualidade excepcional da experiência desenvolvida pela equipe da Sony.

Há quem diga, entretanto, que foi o segundo título que realmente revolucionou a indústria dos jogos virtuais. Apresentando melhorias significativas em vários quesitos, a continuação do game original conta com um enredo muito impactante e, consequentemente, trouxe — e ainda traz — ainda mais diversão para aqueles que gostaram do primeiro jogo e também para quem nunca ouviu falar em Kratos.

E aí, vai encarar? E por que tudo isso é importante? Porque a Sony decidiu trazer a experiência tradicional encontrada nos dois primeiros games da franquia também para os usuários do PlayStation 3. Com God of War Collection, os fãs de Kratos — portadores de um PS3 — não precisam correr atrás dos velhos jogos e contar com a retrocompatibilidade do PS3 com games de PS2 para encontrar muita diversão através de muita violência e ação.

Uma ideia brilhante da Sony

A proposta central de Collection é trazer o esplendor da série através de visuais em alta definição (resolução padrão: 1280 por 720, ou 720p, mas o game também roda em 1080p) e uma jogabilidade ainda mais fluida. A taxa estável de 60 quadros por segundo mostra que o terceiro PlayStation não encontra problemas em reproduzir os dois games com a aplicação de filtros de correção de bordas serrilhadas ("anti-aliasing") e cores ainda mais vibrantes.

Além disso, os dois jogos refeitos contam com o sistema de troféus da PlayStation Network (PSN). Com isso, os gamers têm a possibilidade de comparar conquistas adquiridas através do progresso nas tramas dos primeiros games de Kratos. Os troféus consistem em uma adição interessante para quem gosta de ser recompensado pelos grandes feitios durante a ação de God of War.

Todo o conteúdo presente nos dois títulos originais da franquia consta em Collection. Os famosos Challenges (desafios), toda a estrutura dos cenários e a disposição de objetos nos diferentes ambientes são quesitos que permanecem intactos. Além disso, há conteúdos adicionais relacionados ao título God of War II que podem ser acessados no menu principal de Collection, mas eles apenas indicam como acessar os extras através da XMB (XrossMediaBar) do console da Sony.

Quem está com problemas nesta cena? O fantasma espartano, portanto, irrompe de forma espetacular no PS3 e traz a nostalgia para milhões de fãs do personagem. Muitos afirmam que Collection também é uma forma de preparar os gamers para as empreitadas épicas de Kratos encontradas no título God of War III, um dos games mais bombásticos criados para o terceiro PlayStation.


Aprovado

Do que nós gostamos


Kratos e a destruição

Para quem nunca conseguiu colocar as mãos em um dos games da série God of War, Collection é altamente recomendado pelo Baixaki Jogos. Dois jogos que fizeram história podem ser experimentados por aqueles que gostam de muita ação, violência, sangue e cenários mitológicos. O melhor é que a jogabilidade, um dos pilares da franquia, permanece impecável.

Não há como descrever, em palavras, a sensação de encarnar o deus da guerra — Ares é passado — e exterminar todos os inimigos encontrados pelo caminho. Não há nada melhor que usar e abusar, por exemplo, do combo de golpes conhecido como Plume of Prometheus, capaz de deixar vários inimigos no chão de uma só vez.

As armas de Kratos, os poderes especiais, a possibilidade de melhoria dos poderes, das armas e da energia do combatente com os orbes vermelhos e os itens extras, a ação empolgante através de golpes e combos fantásticos, os excitantes combates com chefes, o contexto envolvente e a apresentação geral dos games são motivos mais que suficientes para conhecer os jogos.

Testando os reflexos do jogador

Ainda mais exuberante

Logo de início, é possível constatar que a aplicação dos filtros "anti-aliasing" foi muito bem feita. Todas as criaturas, personagens, objetos e superfícies presentes na tela ficam muito mais definidas sem a presença de inúmeras bordas serrilhadas no cenário. Por mais que os gráficos não tenham sido refeitos pelos desenvolvedores da Sony, a qualidade do polimento realizado é incontestável.

A sombra e o reflexo dos objetos na água são dois itens que exemplificam e ilustram bem esse polimento. As cores, talvez por causa do aumento de resolução, ficaram muito mais expressivas em comparação com o que é apresentado nos títulos originais. Enquanto isso, a reprodução dos sons dos embates, o trabalho de vozes e a trilha sonora orquestrada permanecem ótimas.

Satisfatório nos dois games

Tanto em God of War quanto em God of War II a qualidade do desafio propiciado pelos desenvolvedores é um dos pontos mais chamativos. Há quem diga que o segundo título conte com visuais mais completos e uma jogabilidade ligeiramente mais divertida em comparação com o primeiro game, mas isso é apenas reflexo da evolução do desenvolvimento.

Ai, meu olho!

Além disso, pode-se dizer que Collection é um conjunto de jogos melhor do que muitos outros pacotes ou games separados criados para PlayStation 3. Sim, os games focados pelo pacote são antigos, mas a melhoria dos recursos gráficos, a jogabilidade inigualável e o desempenho estável da pancadaria fazem com que o "reaparecimento" dos dois jogos seja bem mais atraente do que diversos jogos para PS3.

Horas a fio

Pois é. Os games são antigos, a fórmula é tradicional... E a diversão é incomparável. Somente quem é muito, mas muito crítico com relação a recursos gráficos poderá contestar alguns aspectos dos dois primeiros jogos de Kratos. Quanto aos demais aspectos, é difícil apontar erros e não perder muitas horas com as lutas do fantasma espartano.

Na realidade, é a combinação perfeita entre resolução de "quebra-cabeças" envolvendo partes do cenário e métodos de resolução de combates contra chefes com a fúria de Kratos (controlada com precisão pelos jogadores) que chama a atenção da maioria dos gamers e críticos. God of War é, sem dúvidas, uma franquia de sucesso e merece, no mínimo, o respeito de quem gosta do gênero ação/plataforma.

Começando o combo


Reprovado

O que espantou o Baixaki Jogos... No mau sentido


Poderia ser melhor?

Uma pergunta: por que não refazer os gráficos? Muitos jogadores ficaram decepcionados com o fato de que as texturas continuam detalhadas, mas não contam com uma qualidade muito interessante. Por isso, diversas pessoas acham que os programadores da Bluepoint Games e da Sony Santa Monica deveriam ter pensado em consertar infortúnios relacionados à iluminação (a sombra ficou polida, mas não é realista) e à interação entre objetos, por exemplo.

É claro que isso não faz muito sentido, considerando que o foco é apenas de uma "reapresentação" dos dois jogos, e não um "remake". Ainda assim, é complicado de assistir uma pilastra invadir o chão de forma tosca durante a execução de um game no PlayStation 3.

Probleminhas...

Quadrado, rápido! "Isso é procurar agulha no palheiro..." Ou não? De qualquer modo, o Baixaki Jogos encontrou pequenos infortúnios durante a experiência com Collection. Primeiramente, bugs mínimos podem ser presenciados, tais como a abertura automática de baús que não podem ser abertos pelo jogador em um determinado momento, mas são explorados automaticamente por Kratos "de acordo com a vontade do protagonista".

E por que uma tela de "loading" (carregamento de dados) aparece durante a transição de um cenário que nunca exigiu isso antes? Outra falha é a falta de uma opção que possibilite o retorno à tela inicial de Collection durante a visualização do menu de God of War ou God of War II. Ao que tudo indica, o polimento foi realizado especialmente nos gráficos, mas pequenos bugs e falhas — até mesmo na interface — permaneceram intocadas.


Avaliação Final

Vale a pena?


"Vale a pena" não é o suficiente para descrever a compra de God of War Collection. Os dois primeiros jogos da série de Kratos, por mais "antigos" que possam parecer para muitos gamers, são excelentes e contam com uma jogabilidade eterna no mundo dos video games. Não é à toa que dezenas de jogos são criados com base no sistema de comandos de God of War, não é mesmo?

Enfim, o que importa é que a "coleção" propicia experiências ainda mais impressionantes em relação ao que ocorre com os jogos para PlayStation 2. Os gráficos em HD — High Definition, alta resolução — mostram que o polimento realizado pelo pessoal da Bluepoint Games (em conjunto com os desenvolvedores da Sony Santa Monica) encaixa perfeitamente com a robustez dos visuais originais.


O desempenho extremamente fluido é uma bênção para quem teve a chance de brincar com os games para PS2. Levando em conta que o hardware do PS3 é muito superior aos equipamentos eletrônicos encontrados no segundo PlayStation, fica fácil reproduzir visuais polidos (bem feitos não, polidos) sem quaisquer empecilhos.

Outro aspecto a ser considerado é que são necessários apenas US$ 39,99 (aproximadamente R$ 69,12 no momento em que esta análise foi escrita) para encontrar a diversão. O preço é mínimo se os jogadores considerarem que o assunto, aqui, não é qualquer protagonista que apenas trucida os inimigos e avança em cenários deslumbrantes. É Kratos, o deus da guerra.


94 ps3
Excelente