Niko Bellic sai mal na foto na versão para PC de GTA IV.


No meio dos anos 90, nascia uma série de jogos que chegaria para marcar o mundo dos games definitivamente: Grand Thef Auto, lançado originalmente para o Playstation, ganhou depois uma versão para PC, que hoje pode ser baixada gratuitamente.A versão de GTA IV para PC deveria ir para o camburão!

O jogo contava com gráficos bastante simples, em duas dimensões utilizando a famosa visão "over-the-top" (visão de cima), porém marcou os jogadores por habilitar o roubo de qualquer veículo visível, bem como matar qualquer pedestre sem esquecer, é claro, suas missões politicamente incorretas.

O sucesso garantiu seqüência e algumas expansões, mas GTA II não inovava tanto, apesar dos gráficos um pouco melhores. Foi apenas em GTA III que a série explodiu em sucesso, com gráficos completamente tridimensionais e visão em terceira pessoa.

Além de um mundo aberto nunca antes visto no mundo dos jogos, o game permitia que o jogador roubasse qualquer veículo que fosse encontrado, possuindo um número impressionante de missões e missões secundárias, bem como uma cidade gigantesca e muitas armas para variar o cardápio de matanças durante as horas de jogatina.

Depois de todo o sucesso de GTA III, foi a vez de outros games maravilhosos: GTA: Vice City, que usava uma engine similar à de GTA III, porém com algumas modificações, e GTA: San Andreas, que impressionou críticos do mundo todo por seu alto nível de interatividade, porém, toda a interatividade de San Andreas não chega nem mesmo aos pés de GTA IV.

Viva o Sonho Americano

Niko Bellic é um croata que chega a Liberty City em busca de realizar o sonho americano, que seu primo, Roman, garante ter atingido: dinheiro, carros, mansões e mulheres com grandes seios!

A América parece o continente perfeito para uma nova vida! Como Niko está sendo perseguido por um homem com muitos contatos em seu país, o croata foge para viver com seu primo, Roman, na bela e envolvente Liberty City, uma cidade onde todos os sonhos são realizados.

Porém, quando Niko chega aos EUA, descobre que nem todos os sonhos de Roman foram realizados. Para falar a verdade, nenhum deles foi concretizado: seu primo vive num apartamento minúsculo e sujo, repleto de baratas, tem um carro caindo aos pedaços e anda devendo até as calças para os agiotas locais.
Bum! A ação continua intensa!

A decepção de Niko é enorme, porém sua única escolha é ajudar seu primo a manter-se vivo, defendendo-o de todos os agiotas que vão atrás dele. Aos poucos Niko começa a caminhar por contra própria em Liberty City, e seus contatos vão passando além de Roman.

A primeira amizade que Niko faz é com Michelle, uma bela garota do meio-oeste norte-americano, que também não tem amigos em Liberty City. Ambos começam a sair juntos e logo começam um namoro. Vlad e Little Jacob são os outros personagens que entram na vida do croata rapidamente.

Liberty City já não é mais a mesma

Apesar dos personagens serem totalmente novos na série, a cidade já é muito conhecida dos fãs de Grand Theft Auto: Liberty City está presente em dois jogos, sendo que sua primeira aparição foi em GTA III, e logo foi revisitada em Grand Theft Auto: Liberty City Stories.

Entretanto, a cidade mudou completamente em GTA IV. Nos outros dois jogos da série, Liberty City tinha uma aparência similar à de Nova York, com bairros de nomes parecidos e arquitetura similar, porém em GTA IV toda a estrutura da cidade foi modificada para ficar ainda mais semelhante com a cidade que nunca dorme.

Além de ganhar prédios semelhantes aos mais famosos da “Big Apple”, como o Empire State Building, além de pontos turísticos como a clássica Estátua da Liberdade, que teve o rosto modificado no melhor estilo do humor Rockstar.

 

Uma cidade maior guarda ainda mais perigos.


Como se não bastasse, a cidade cresceu em tamanho e detalhes, e se antes viajar por Liberty City já era uma tarefa longa, agora a jogatina ficará ainda maior devido às horas que o jogador gastará passando de um ponto ao outro da cidade. Entretanto isso não é, em hipótese alguma, um ponto negativo.

A liberdade de navegar por toda a cidade, parando para uma visita à lan-house, para assistir a um show, ir com seu primo Roman no clube de Strip-tease ou levar alguma de suas namoradas, para uma noitada no bar ou ainda para jogar boliche ou bilhar é simplesmente emocionante!

Um editor de vídeo nada emocionante

Quando a Rockstar anunciou a versão para PC de GTA IV, anunciando também que o jogo receberia um editor de vídeo acoplado que permitiria aos jogadores realizar montagens contando histórias com vídeos capturados de cenas do jogo, isto parecia verdadeiramente promissor.

No entanto, a captura de vídeo não é tão prática assim, criando clipes de no máximo 30 segundos que devem ser interligados por transições entre cenas bem pouco satisfatórias. Além disso, o fato de não ser possível inserir tais vídeos em sites como o YouTube é uma grande falha dos desenvolvedores.

 


Optando por manter as cenas acessíveis apenas aos donos de cópias do jogo, é necessário que o jogador cadastre-se no clube de usuários da Rockstar, o Rockstar Social Club, para poder enviar seus vídeos e assistir aos vídeos de outros usuários.

Decepção a olho nú

Usando a engine Euphoria para controlar a física, o jogo apresenta uma das respostas mais impressionantes que o mundo dos games já viu a batidas e outras ações físicas. Quando o jogador acerta o carro contra algum obstáculo fixo em alta velocidade, por exemplo, Niko é atirado pelo pára-brisa.

Se o personagem pula de um veículo em movimento, rola no chão com muito realismo, como se aquele movimento tivesse sido filmado, ao contrário de outros jogos nos quais os personagens parecem bonecos de pano (ragdolls).
Não pense que no seu PC vai rodar assim!

Entretanto, a adaptação para PC de GTA IV causa um enorme choque naqueles que jogaram a versão para consoles. O serrilhado, que antes apresentava pequenas falhas durante o jogo, agora domina o jogo inteiro, que é tomado ainda por requisitos gráficos simplesmente inacreditáveis.

Para se ter uma idéia, quando a Equipe Baixaki Jogos testou o título, utilizou um computador com uma GeForce 8800 GTS com 320 MB de memória, uma placa de desempenho médio/avançado, que já é bastante rara entre os jogadores brasileiros.

Ainda assim, o título rodava somente com as texturas em baixa resolução. Isto representou uma queda impressionante na qualidade gráfica, já que as texturas eram um dos aspectos mais interessantes da versão para consoles de GTA IV.

Como se não bastasse, as sombras estão com um aspecto absurdo, que faz diversas partes da tela tremerem constantemente durante o jogo. Isto poderá ocasionar um cansaço visual enorme em pouco tempo, impedindo que jogadores com problemas de visão passeiem por Liberty City por mais tempo.

O famoso Pop-in, tão criticado nas versões para consoles, está ainda pior em GTA IV para PC, assim como diversas falhas de modelagem podem ser encontradas com uma facilidade muito maior. Traduzindo, o visual gráfico de GTA IV no PC está muito abaixo da versão para consoles.

É evidente que o gráfico pode ficar perfeito para os jogadores que possuírem placas de vídeo de última geração. Entretanto, sejamos sinceros: quantos são os jogadores que você conhece com placas de vídeo que valem mais de mil reais?

Portanto, a Rockstar deveria ter pensado melhor nos fãs de GTA que não possuem um computador com tanto potencial gráfico. Limitar o número de jogadores capazes de jogar o título numa alta qualidade gráfica não é uma boa idéia. Definitivamente.

Jogabilidade boa, mas bem menos amigável

Há quase dois anos atrás, um jogo impressionava os donos de Xbox 360 e, posteriormente, de PCs, por seu sistema de cobertura: Gears of War marcou o mundo dos games com a forma impressionante com que Marcus Fenix e seus aliados combatiam agarrados a paredes e outros obstáculos.

De lá para cá, os jogos que se prezam passaram a utilizar a mesma tecnologia: exemplos claros desse uso são Uncharted: Drake’s Fortune e Mass Effect. GTA IV não poderia ficar sem esse sistema, que é ativado através do botão R1, no caso do PS3. Se Niko está muito longe do veículo ou obstáculo que será utilizado, o personagem rola no chão para aproximar-se e então se protege.
Ao menos as perseguições ainda são emocionantes!

Uma vez protegido, Niko pode atirar sem mirar ou o jogador pode pressionar L2, e então a mira automática selecionará um personagem, mas somente ao pressionar o botão de tiro Niko sairá de sua cobertura — com a mira bem posicionada — e atirará no adversário.

O resto do sistema de combate sofreu poucas modificações em relação aos outros Grand Theft Auto: a mira automática continua disponível, e talvez o que mais chame atenção no combate desarmado é que agora existem três botões diferentes de golpes.

Com teclas diferentes para o soco principal, o soco secundário e o para chutes, a interação tornou-se muito mais precisa, já que nos outros jogos da série o usuário pressionava apenas um botão e a seqüência de golpes era automática. Isso dá mais versatilidade ao combate, que agora fica interessante mesmo sem armas de fogo.

Para fugir da polícia, que está muito mais inteligente e, no caso de uma briga entre você e uma gangue, irá atacar ambos os lados, ao contrário dos outros jogos da série, existem duas opções: além do clássico Pay’n’Spray, presente na série desde GTA III, também é possível distanciar-se dos policiais. Ao sair de dentro do círculo piscando no radar e manter-se fora dele durante um certo tempo, a polícia desiste da caçada.

As forças armadas contam com as mesmas linhas de sempre: polícia local, federais e forças especiais. Seus veículos disponíveis vão desde policiais fazendo ronda a pé pela cidade até helicópteros e barcos, passando por veículos de grande porte blindados.

Infelizmente, a versão para PC também deixou muito a desejar na jogabilidade, que tornou-se fraca e pouco confortável perto da versão para consoles. Portanto, se você possui um controle do Xbox 360 disponível, aconselhamos que jogue o título no PC usando seu controle, que é configurado automaticamente assim que ligado ao computador.

Adaptação pouco fiel à versão para consoles

Grand Theft Auto IV foi um dos melhores jogos de 2008 para os consoles de nova geração Xbox 360 e PlayStation 3. Sua chegada aos PCs era ardentemente esperada pelos fãs da série que não possuíam nenhum dos consoles.

Por isso, quando a Rockstar anunciou que o lançamento do jogo para PC estava próximo, grande parte dos fãs foram ao delírio. A promessa era grande, com novas possibilidades como um modo multiplayer para até 32 jogadores e um editor de vídeo que daria o que falar.

 

Niko continua mal, só sua aparência que piorou um pouco!


Entretanto, uma adaptação mal desenvolvida resultou numa verdadeira decepção para os fãs de GTA. Quem esperava que a Rockstar viesse a lançar um dos jogos mais pesados já vistos, com jogabilidade comprometida?

Uma péssima arquitetura resultou em gráficos pobres mesmo em placas de vídeo de boa qualidade, o que é bastante incômodo para um jogo de tanto sucesso como GTA. Além disso, o editor de vídeo resultou em uma experiência não tão atrativa quanto se imaginava.

Ainda assim, é GTA IV, e a experiência continua sendo válida, de qualquer maneira, se você for um grande fã da série. Entretanto, o mais aconselhado é que você economize para comprar uma ótima placa de vídeo antes de adquirir o título.



87 pc
Ótimo

Outras Plataformas

100 ps3
100 xbox-360