Segunda sequência para o PS2 da ousada, polêmica e inovadora franquia Grand Theft Auto.


Após o grande sucesso de Grand Theft Auto III, primeiro da franquia lançado para o PS2, era de se esperar que a Rockstar desenvolvesse uma nova versão para o jogo. Porém, GTA Vice City vai além de uma mera continuação, é um jogo completamente novo. Apesar de manter as melhores características do seu antecessor, GTA Vice City possui novos veículos, novas rádios, novo enredo e novos recursos — como a possibilidade de trocar de roupa e adquirir propriedades, por exemplo.

O negócio

O jogador é colocado desta vez na pele de Tommy Vercetti, um mafioso de Liberty City enviado por Sonny Forelli à Vice City com o intuito de fazer um grande negócio envolvendo drogas. Mas, durante as negociações, homens encapuzados matam os envolvidos e roubam tanto as drogas quanto o dinheiro. Tommy — o único sobrevivente — é colocado então em uma complicada situação, tendo que recuperá-los a todo custo em uma cidade onde há mais criminosos nas ruas do que na cadeia.

Vice City

Como de costume nas outras versões da franquia, em Vice City nota-se algumas referências. Contando com extensas praias, palmeiras, pedestres em trages de banho e o modo em particular como a cidade foi desenhada, percebe-se claramente que Vice City faz alusão à Miami dos anos 80. Nota-se ainda, ao se observar os trages, cenários e o enredo como um todo que o jogo bebe da fonte de filmes como Scarface.
 
Em Vice City há muito mais ambientes internos a serem explorados em relação à Liberty City (GTAIII). Agora, além da usual loja de armas, há lojas de ferramentas e roupas. Ao perder energia, o jogador pode recorrer também a farmácias ou lanchonetes para recuperar sua vida.

Veículos

O fato de a série GTA permitir que o jogador dirija diversos automóveis não é novidade alguma. Porém, em Vice City é possível pilotar motos também, que em sua maioria são perfeitas para a realização dos monstruosos Stunt Jumps. Além disso, Tommy é capaz de empiná-las ou realizar os stoppies (manobras em que o piloto projeta seu corpo para a frente enquanto freia apenas com a roda dianteira, empinando a roda traseira do veículo). Ambas manobras rendem pontos extras ao jogador, e recordes de tais podem ser estabelecidos ou quebrados.

A adição de helicópteros e aviões, apesar de terem breve participação no game, é outra importante novidade do jogo. Controlá-los é uma tarefa difícil — porém não impossível — e necessária para se completar algumas missões.
 
A dificuldade nas perseguições em veículos terrestres desta vez são bem maiores, tendo em vista que existe a possibilidade de furar ou ter seu pneu furado por alguém. Há, porém, uma possibilidade que facilita a vida do jogador: a opção de saltar de um veículo em movimento. A novidade deixa o jogo mais dinâmico e ajuda muito em situações nas quais o veículo está em chamas ou prestes a cair em um rio, por exemplo.

Dinheiro extra

Assim como nas versões anteriores da franquia, em Vice City é possivel realizar missões extras com o objetivo de juntar dinheiro, trabalhando como taxista, entregando pizzas, realizando missões para grupos específicos ou completando os clássicos rampages — missões que consistem em matar determinado número de pessoas em um tempo limitado e utilizando uma arma específica. Outra forma de se obter dinheiro é assaltando lojas. Para tanto, basta apontar uma arma para a cabeça de seu respectivo funcionário. Enquanto o funcionário estiver na mira de Tommy, ele lhe dá dinheiro, porém quanto mais o fizer, maior será a reação da polícia.
 
Há ainda outra forma de se ganhar dinheiro, e, por incrível que pareça, é através de um meio lícito. Desta vez é possível adquirir propriedades que podem lhe render dinheiro diariamente. Além das propriedades, pode-se gastar seu dinheiro comprando armas(tanto de fogo quanto brancas) ou roupas(despistam a polícia).

Gráficos e som

Não há uma incrível melhora gráfica de Vice City em relação ao seu antecessor, mas nota-se um cuidado maior com o desenho dos personagens, cenário e texturas. Os cenários em geral são mais claros — aspecto positivo tratando-se de uma cidade que faz alusão à Miami —, sendo a iluminação bastante interessante. O design do figurino, dos veículos e dos ambientes em geral é muito bem feito, caracterizando bem os anos 80.

A trilha sonora é muito boa, como de costume, e inclui rádios de diversos estilos. Nelas o jogador ouve artistas renomados como Slayer, Ozzy Osbourne, Michael Jackson, Judas Priest, Blondie e Bryan Adams. Um fato curioso é que a banda fictícia Love Fist, além de fazer parte da trilha sonora do jogo, solicita missões a Tommy ao longo do enredo.


90 ps2
Excelente