Desonrando o nome de uma série consagrada

Em outubro do ano passado, a Vanguard Games anunciou Halo: Spartan Assault para Xbox One. No fim de dezembro, o game finamente foi lançado, felizmente, por um preço camarada (15 dólares) e trazendo algumas novidades. A versão de Xbox One traz algumas funcionalidades que não existiam no jogo para tablets e smartphones.

A história de Halo: Spartan Assault é situada entre os acontecimentos de Halo 3 e Halo 4. O enredo aborda as Spartan Ops durante a Batalha de Draetheus V, a qual foca na guerra entre a UNSC e os Covenants, episódio que é iniciado quando um grupo dos Covenants ignora o cessar-fogo.

Na campanha principal, você joga com os Spartans Edward Davis e Sarah Palmer, realizando missões dos mais variados tipos, incluindo a escolta de veículos, o resgate de soldados, a destruição de alvos e muitas outras. Além do modo de campanha, você pode explorar mais o universo de Halo nas missões cooperativas.

Tudo isso somado a possibilidade de jogar com o controle do Xbox One devem garantir uma experiência completamente diferente daquela existente nos tablets e outros aparelhos que rodavam a primeira versão do jogo, mas será que essas novidades são capazes de fazer este jogo honrar o nome da série? Conferimos os pormenores para trazer um veredito para você!

No fim das contas, Halo: Spartan Assault poderia receber qualquer outro nome, pois mesmo trazendo alguns elementos do universo de Halo, o jogo não acrescenta em nada a série e não tem nada de especial que justifique usar o nome.

Com gráficos bem fracos (pense que estamos falando de um jogo da franquia Halo e de um console da nova geração), sonoridade razoável (a trilha sonora não tem nada de especial e o jogo economiza até na narração), missões repetitivas e um sistema de upgrade falho, este jogo até desonra a franquia.

Se você já experimentou o game no tablet ou no PC, com certeza não vale a pena adquirir esta versão, pois o modo cooperativo e as novidades não são de grande valia. Para quem ainda não jogou, talvez vale adquirir o game quando ele estiver em uma promoção ou apenas para conhecer mais um bocado do universo e da história de Halo.

Aproveitando elementos da série

Mudanças de jogabilidade e de câmera não necessariamente significam que este jogo não pode fazer parte da consagrada série do Xbox. Todavia, para manter uma conexão direta com os games antecessores é preciso manter alguns elementos que possibilitem aos jogadores reconhecer que estão entrando no mesmo universo.
 
No caso de Halo: Spartan Assault, a 343 Industries fez a lição de caso. Apesar de retrabalhar um bocado nos visuais para adaptar o jogo ao novo estilo, a desenvolvedora elaborou cenários, personagens, adversários, veículos, armas e outros tantos recursos que contam com características que possibilitam assimilar este título aos demais games da série.

Img_normal

Claro, os personagens e todo o pano de fundo da curta história do jogo são totalmente centrados em fatos e ambientes já apresentados anteriormente. O enredo é de fácil compreensão, garantindo que o jogador não se perca nos acontecimentos.

This is Spartans!

Atuando como um experiente soldado, você tem uma grande vantagem sobre os inimigos no campo de batalha. Os personagens principais contam com diversos parceiros que garantem um ritmo frenético ao jogo. As missões são bem rápidas, mas o tiroteio e as explosões não param, o que nos garante mais um link com a série principal.

Há uma série de armas disponíveis (mas só é possível carregar duas) e a quantidade de munição permite o combate constante. É possível usar granadas e ataques de corpo a corpo. É interessante que Halo: Spartan Assault não se resume ao simples tiroteio, exigindo um mínimo de tática para que os inimigos não cerquem seu personagem.

Img_normal

A jogabilidade no Xbox One ficou excelente. Controlando os movimentos do personagem com um analógico e a mira com outro, é possível fugir de ataques e continuar detonando os adversários. Há poucos botões que são realmente necessários, o que garante a facilidade na hora de se adaptar aos comandos do game.

O sistema de medalhas e de conquistas do jogo é bem empolgante, pois força o jogador a tentar realizar algumas proezas para conseguir ser um grande soldado. Matar 50 inimigos sem levar um único tiro é um bom desafio, o qual garante um pouco mais de dedicação e pode aumentar o tempo de campanha.

Dois soldados podem fazer um grande estrago

O modo cooperativo de Halo: Spartan Assault é muito divertido. Para deixar o game diversificado, a desenvolvedora apostou em cenários e inimigos diferentes. Aqui, você enfrenta os Floods, uma raça de aliens parasitas que exigem estratégias elaboradas de guerrilha.

As tarefas do modo cooperativo são bem parecidas com as do modo campanha, mas o jogo requisita o trabalho em equipe. Seja para abrir uma passagem ou para criar emboscadas, você necessitará esperar e ajudar seu parceiro. É uma pena que as missões sejam limitadas e tão curtas.

Halo de baixo orçamento

Apesar de trazer alguns elementos do universo da série original, todo o visual de Halo: Spartan Assault parece muito genérico. Os gráficos do jogo não são impressionantes e podemos até notar alguns deslizes que não deveria existir na versão de Xbox One.

Ao que parece, a desenvolvedora do game resolveu fazer um port rápido do jogo que existia para Windows Phone 8. O resultado é um jogo de visuais bem simples e com um tratamento desleixado. Texturas, objetos, luzes e sombras não recebem muita atenção, o que afasta o jogo dos visuais realistas que vemos nos títulos principais da franquia.

Não bastasse isso, a desenvolvedora não foi capaz de preparar vídeos de boa qualidade. Os clipes que são exibidos na introdução de cada capítulo parecem mais GIFs animados. Talvez, esses vídeos sejam apropriados para um celular, mas certamente eles não são ideais para um console como o Xbox One.

Img_normal

Além de não trabalhar muito na história do game, a desenvolvedora criou apenas alguns vídeos, os quais unidos não devem durar nem cinco minutos. Boa parte do enredo é contada através de textos que são exibidos antes das missões. Mesmo sendo um jogo barato, esperávamos encontrar um pouco mais de capricho.

Faltou atenção e incentivos

Quando testamos um jogo simples, o mínimo que esperamos é um game livre de bugs. Não é o que acontece com Halo: Spartan Assault. Durante nossa jogatina, experimentamos uma série de pequenos problemas que podem incomodar. Tanques de guerra que colidem e não se separam, gatilhos que disparam sem ordens do jogador e outros problemas são comuns.

Ficamos um bocado decepcionados com a curta duração das missões e os objetivos que são repetitivos. Depois de muitas missões, uma ou outra até conseguem empolgar, mas, no geral, Halo: Spartan Assault acaba cansando o jogador com tarefas sempre idênticas.

Img_normal

Não bastasse isso, o game tem um sistema de upgrade bem limitado e até irritante. Com os pontos que você ganha nas missões, é possível adquirir melhorias para armas e usar habilidades especiais. O problema é que essas melhorias só podem ser usadas durante uma única partida, o que deixa o jogador com duas opções: jogar com um arsenal básico ou adquirir mais pontos (com dinheiro de verdade) para equipar seu personagem.

65 xbox-one
Regular