Harvest Moon: Animal Parade semeia novos elementos na franquia

A edição número 18 da respeitada série Harvest Moon (HM) não deve decepcionar os fãs. Trata-se de um novo jogo que mantém acesa a tradição da série de permitir que o jogador faça duas atividades básicas: trabalhar na fazenda eouinteragir socialmente com os outros habitantes da ilha, abrangendo também uma bela diversidade de atividades como pescar, cozinhar e minerar.

Um iniciante em HM pode facilmente ficar um pouco confuso com o objetivo do jogo, que na realidade é inexistente, ou pelo menos era... O roteiro em Animal Parade lidera uma série de objetivos a serem seguidos, além de tarefas opcionais – que incluem pequenas aventuras – entre as atividades rurais.

A história de Animal Parade é, novamente, salvar a ilha na tentativa de ressuscitar a árvore da deusa da colheita. Para isso, cinco sinos sagrados devem ser achados e tocados para que a força do rei da colheita ressuscite a árvore da deusa.

A diferença é que toda a história agora recebe introduções oficiais sobre os objetivos mais importantes, eliminando um pouco a sensação de estar perdido em uma caixa de areia (sandbox).

Sobre o protagonista principal, você escolhe entre um garoto ou uma garota e alternativamente existem as duas opções de personagens de Tree of Tranquility (título antecessor).

Seja qual for a sua escolha, o herói será mudo e se comunicará apenas com expressões típicas em animê. Outros detalhes sobre o personagem controlado pelo jogador ser o único que pode ver uma espécie de fada da guarda macho, o qual fornece os objetivos a serem seguidos.

Para aqueles que não conhecem Harvest Moon, uma das atrações do título é a possibilidade de casar-se e constituir uma família, escolhendo uma das dez personagens disponíveis como esposas.

Essa é uma escolha muito vantajosa. Apesar de requerer uma casa maior, uma pena azul (trabalhosa de adquirir) e bastante cortejo, depois de casar-se você pode pedir para a sua esposa e filhos ajudarem na fazenda. Desta vez, você pode ter filhos de ambos os sexos.

Você pode tanto amar quanto odiar Animal Parade, contudo em ambos os casos você estará diante de um bom jogo. É difícil falar mal de uma franquia tão clássica quanto Harvest Moon, seria como falar mal do New Super Mario, e realmente não há muito sobre o que reclamar do novo título.

Se você sobreviver durante as primeiras quatro horas de jogo, provavelmente começará a achar divertido o jogo. Um dos problemas do jogo continua a ser a falta de esclarecimentos sobre as tarefas que os jogadores devem fazer, o que é uma afirmativa válida ao considerar apenas alguém que esteja jogando pela primeira vez HM.

Outros incomodos partem da tentativa do Animal Parade agradar excessivamente ao público infantil. Para quem gosta de HM, e não é uma criança, isso é como levar um soco na boca do estômago de tanta decepção.

Animal Parade é recomendado para fãs de HM e para crianças, porém não é tão indicado para aqueles que nunca jogaram algum HM e muito menos para aqueles que já jogaram e não gostaram. Vale a pena testar para ver se gosta ou não, mas lembre-se de jogar durante mais de quatro horas antes de decidir se gostou ou não.

Harvest Moon: Animal Parade é um jogo aprovado pelo BJ, contudo esperava-se um pouquinho mais dele e não contávamos com o peso dos contras, os quais já esperávamos antes da análise.

Há muito trabalho pela frente!

A quantidade de tarefas incumbidas ao jogador é gigante... Bem, na verdade são todas opcionais. No entanto, o estilo de jogabilidade a principio segue uma rotina de trabalhar na fazenda para depois cuidar de outros afazeres, e no fim do dia dormir para no dia seguinte fazer tudo de novo.

Uma hora no jogo equivale a três minutos na vida real, sendo que não vai faltar o que fazer durante um dia no jogo. Se você terminou o trabalho na fazenda, pode continuá-lo na mina ou na floresta, coletando materiais para vendê-los e usá-los. Ou ainda, ocupar-se em culinária, que requer a coleta de ingredientes. Pescaria é outra atividade a ser considerada.

Esse tipo de jogabilidade, que obriga a seguir uma rotina de trabalho, pode ser recepcionada negativamente por certos jogadores, principalmente aqueles que não são adeptos à série. Por outro lado, o trabalho na fazenda é intercalado com as relações sociais que você adquire com os cidadãos da ilha. No fim, o charme da franquia vem desta rotina de trabalho junto com as tarefas fora da fazenda.

Pela primeira vez o jogador é guiado

Um aspecto interessante de HM é a liberdade que o jogador possui para fazer o que bem entender, mesmo porque ele não costuma receber uma orientação clara de objetivos. Em Animal Parade, uma fadinha invisível funciona como um livro de missões, você sempre pode consultá-la (na verdade é "ele") para descobrir o sua missão atual.

Mesmo assim, é muito importante prestar atenção nas conversas, visto que a fada não esclarece os objetivos para concluir a missão. É muito provável que você fique perdido durante alguma etapa do game, sem saber o que é necessário para concluí-la.

Muitos eventos

Qualquer bom e velho HM conta com as quatro estações do ano oferecendo calendários de festivais diferentes e alternando os trabalhos na fazenda - as plantas são sensíveis à mudança de estação, por exemplo.

Além disso, muitos eventos acontecem ao decorrer do jogo, alguns dependendo das decisões do jogador, como o famoso casamento. Animal Parade não é diferente, oferecendo ainda mais eventos peculiares que tornam a experiência muito mais agradável. Ser visitado por uma boneco de neve no inverno, o qual pede a sua ajuda para em uma missão, é um dos momentos especiais no jogo.

Ferramenta educativa

Harvest Moon é um ótimo jogo para o público infantil, pois pode ensinar lições importantes sobre tomar cuidado de animais, além de noção econômica. De fato, o título é de classificação livre, mas não pretende atingir apenas o público infantil, sendo completamente aceitável que um adulto jogue este jogo com gráficos tão fofinhos e meigos.

Isso é um RPG?

Um dos motivos mais fortes para continuar a jogar HM é o desenvolvimento que você consegue adquirir com seu trabalho duro. Você pode terminar o jogo rico, com uma próspera fazenda, a ilha salva, uma bela mulher e uma penca de filhos, antes de chegar a sua hora... O personagem principal eventualmente morre de velhice, deixando o trabalho da fazenda sob a responsabilidade dos filhos.

Também há desenvolvimento de nível de habilidade com cada ferramenta que você possui. O que é mais necessário é o dinheiro que deve ir e vir de acordo com seus investimentos e gastos, sendo que alguns itens são meramente decorativos.

Para tornar a história ainda mais semelhante a um RPG, o nível de relação com animais e pessoas é indicado por cinco coraçõezinhos, conquistados pelo seu esforço. Muitos dos animais que você atrai e obtém cinco corações até permitem que você monte neles. Sem citar os muitos outros benefícios de conquistar uma boa relação com os outros.

Para resumir a opinião sobre o fato de poder adquirir tantas coisas em HM, dizemos apenas que é muito legal evoluir no jogo. Tanto que quando o período de teste acabou, foi meio insatisfatório ter que abandonar o jogo justo quando estava "só começando".

Trilha sonora de fazenda

A trilha sonora do jogo segue o mesmo estilo que embala o primeiro título da série: genérica e repetitiva. Realmente, isso não é um grande problema para os fãs que já estão acostumados com o gênero da música, já que a música tem o intuito de passar uma sensação de relaxamento.

De qualquer forma, seria muito agradável o dia em que a Marvelous finalmente introduzisse uma trilha sonora melhor elaborada para HM.

Enrolado

Em contrapartida ao roteiro elaborado a nível aceitável (não vamos exagerar dizendo que foi bem elaborado), o jogador também perde mais tempo com os diálogos e pequenas animações.

Elas aparecem de maneira excessiva, principalmente no começo do jogo. Se os desenvolvedores conseguissem injetar mais ação e cortar os papos pela metade, HM poderia receber um ponto a mais em sua avaliação.

Outro fato desagradável é que você pode demorar até aprender a jogar de maneira apropriada – aproveitando melhor o tempo disponível a cada dia no jogo, por exemplo.

Não é preciso manuais, porém a experiência no BJ foi que todo o período de teste não passou de um grande tutorial, ou pelo menos as primeiras quatro horas. Então foi possível compreender por completo tudo aquilo que você pode fazer no jogo – mesmo sem ter acesso a muitas coisas ainda.

E já que o assunto é a lentidão, o FPS sofre uma queda violenta quando você sai de um ambiente e entra em outro. Há também uma demora chata para carregar os cenários, o que chega incomodar bastante quando você quer sair e entrar em vários lugares. Em outras palavras, faltou dinamicidade.

Excessivamente animado

A quantidade de rostinhos felizes ao estilo animê incomoda muito. Quase todos que você acaba de conhecer são personagens gentis e meigos, expressados por gráficos igualmente felizes. Embora seja apropriado para crianças, parece que a Marvelou não pensou muito nos velhos fãs da franquia que não devem se sentir muito confortáveis com tantos detalhes fofinhos.

No fim, o novo HM não fugiu em tanto do estilo artístico tradicional, mas sabemos que o Wii é capaz de suportar algo melhor. E, se houvesse diminuição nas cenas de pessoas trocando sorrisos, o jogo poderia também ser mais rápido ao interromper menos o jogador – considerando que há uma diferença entre interromper o jogador e mostrar um fato necessário.

75 wii
Bom