Seu Review foi enviado com sucesso.
Enquanto ele fica pendente de aprovação, dê sua nota para o jogo. Sua opinião é importante para a comunidade!
Avaliar este jogo
Voxel
Animal Crossing New Horizons
COMUN.
90
VOXEL
Animal Crossing New Horizons
Avaliar este jogo
Review
Avaliar este jogo

Minha casa, minha ilha: Animal Crossing na visão de um novato

Ruan Segretti

Animal Crossing: New Horizons é um jogo diferente até mesmo no jeito de analisar. Nesse universo cheio de belezas, ilhas desertas e perigos, como tarântulas e escorpiões, o tempo se passa exatamente como no mundo real. Eu vou ser sincero: sou um novato na franquia, esse é apenas o segundo game da série com que me entretive e mesmo assim, quando joguei antes, foram pouquíssimas horas.

Porém, para fazer esta análise, eu passei das 50 horas de jogo e isso não foi suficiente para dizer tudo o que Animal Crossing: New Horizons tem a oferecer. É claro que vocês vão ver por aí outros relatos de pessoas que têm mais de 100 ou 200 horas e jogaram toda a franquia desde o 1º, lançado lá em 2001, até a versão de celulares. Contudo, eu proponho algo diferente aqui: a visão de alguém que acabou de chegar e se apaixonar pelo jogo.

O tempo é seu amigo... ou não!

A primeira coisa que aprendi com Animal Crossing foi: paciência é uma virtude. Sim, isso porque o tempo no game se passa conforme o mundo real, então se você está esperando uma experiência como Harvest Moon ou Stardew Valley, saiba que o negócio aqui é bem diferente. Apesar de um começo bem mais lento do que o necessário, o que pode afugentar alguns jogadores, o jogo vai "pegando no tranco", e seu ritmo aos poucos vai melhorando, assim como o quanto o jogador se diverte.

Essa é a ideia de Animal Crossing: ter paciência para enfrentar um início de jogo talvez até um pouco entediante, mas que vai te garantir uma experiência extremamente recompensadora e animada mais tarde. 

Falando em “negócio”, isso é algo que vai te acompanhar o tempo todo no jogo. Há até um tipo de cotação de preços de nabos que você deve seguir diariamente para garantir um dinheirinho extra no fim da semana. Bem, estou me adiantando aqui, vamos por partes.

Bandeira do voxel

O primeiro dia

É engraçado jogar a franquia pela primeira vez porque você tem exatamente o sentimento de uma pessoa perdida em uma ilha deserta. Várias vezes me peguei pensando: o que eu faço agora? Bom, tudo começa quando você vai para o aeroporto e adquire um “Pacote de Escape para uma ilha deserta”. Em seguida, diz o dia do seu aniversário, o local do planeta onde você mora  essa parte é importante, já que as estações do ano vão ser as mesmas do local em que você estiver e monta seu avatar. Inicialmente, há poucas opções de customização, mas em breve novas possibilidades vão se abrir.

Esse jeito “especial” que os animais antropomórficos falam pode incomodar depois de um tempinho de diálogo e, vai por mim, vão ter muitos. O "dia 1" funciona como um tutorial mesmo, o sentimento foi de um completo perdido tentando entender tudo o que estava acontecendo. Porém, o jogo é bem intuitivo e explica direito o que você deve fazer sem tirar a sua liberdade de decidir como fazer ou, mais importante ainda, quando.

Essa parte foi a que fez eu me interessar em continuar nessa aventura. Eu estou no comando dessa ilha e ela vai crescer quando eu quiser. Nesse dia, eu descobri que as ilhas de outras pessoas poderiam ter coisas diferentes da minha, por exemplo: a fruta natural da minha é a laranja, enquanto meus amigos podem ter pêssegos, cerejas e maçãs, entre outras disponíveis no game.

Laranjas

Minha casa, minha ilha

Cuidar da ilha não é uma tarefa simples, todos os dias coisas novas acontecem, e você precisa estar atento aos pedidos do Tom Nook vamos dizer que ele é tipo um prefeito ali, enquanto você é o representante dos residentes. Ele também ajuda bastante, mas por um preço. Afinal, transformar sua tenda em uma casa decente custa dinheiro.

O quê? Não tem grana suficiente? Relaxa, o bom e velho Tom te ajuda! Entretanto, não pense que isso é um ato de altruísmo não, ele vai cobrar... Ah se vai! Esse é o momento que você começa as suas dívidas com o guaxinim, ou texugo, não sei muito bem que animal é o Tom.

Tudo começa com uma casa simples, depois você quer mais espaço naquela casa, mais para a frente você vai precisar de um novo cômodo para essa residência e por aí vai. Quando você vê, já vai estar cheio de boletos para pagar  sim, aqui você também tem que ir ao caixa eletrônico pagar seus boletos. Contudo, até essa tarefa odiosa do nosso dia a dia do mundo real é divertida em Animal Crossing, pois o game te oferece o tempo todo uma sensação de recompensa e satisfação em cada uma de suas ações. 

boletos

Além de ter que suar a camisa para ganhar seu dinheirinho, aqui chamado de Bells, e pagar suas dívidas, você também tem que se preocupar em ser um bom representante da vizinhança; por isso é importante bater um papinho com seus vizinhos de vez em quando. Contudo, alguns diálogos são meio "xaropes" e depois de um tempo você passa a fazer isso só por ser uma obrigação mesmo.

Não pense que essas são as únicas atividade na sua ilha. A galera que curte colecionar tem um prato cheio aqui, existe um catálogo de peixes, insetos e fósseis para coletar, sendo que alguns você só consegue se estiver no Hemisfério Norte e outros no Sul.

Eu escolhi o Norte, pois gosto do clima natalino com neve, então queria que o inverno fosse no final do ano e não no meio  acho que Hollywood me influenciou demais, mas o que vocês queriam? Eu cresci assistindo Esqueceram de mim na Sessão da Tarde depois da escola.

Enfim, são dezenas de peixes, insetos e fósseis para colecionar e, se você quiser tudo, vai ter que viajar para as ilhas de outras pessoas para pegar. Por exemplo, as tarântulas só aparecem no inverno e na primavera, enquanto os escorpiões no verão e no outono. Então ao invés de esperar vários meses para pegá-los, é mais fácil viajar para uma ilha em um hemisfério diferente, já que as estações do ano nesses locais são inversas.

É bom também levantar este problema: a ineficiência da utilização das ferramentas. Por exemplo, ao usar a pá, é muito fácil errar o lugar onde você quer escavar ou quando você quer aguar as plantas e não sabe o lugar exato onde o regador pega. Dessa forma, poderíamos ter algum tipo de indicador para saber onde exatamente vamos acertar ao usar alguma ferramenta, já que a movimentação não é tão precisa.

Outra coisa é o fato de você poder criar apenas um objeto por vez, não é possível selecionar uma quantidade e fazer tudo junto. Se você quiser dez iscas, por exemplo, vai precisar fazer de uma em uma, o que pode ser um problema pequeno, mas com o tempo essa bobagem se torna bem incômoda.

craft

Vivendo e aprendendo

Sabe quando dizem que a arte imita a vida? Bem, cada dia de Animal Crossing é um aprendizado — e tem muita coisa para aprender. Não estou só falando de habilidades que seu personagem aprende durante a jogatina, como pescar, capturar insetos, colher flores e afins, estou falando de você, jogador.

Eu passei a me interessar em fazer pixelart, pois o jogo lhe proporciona a oportunidade de dar asas a sua imaginação fazendo designs de itens, e essa é uma das coisas mais legais! Fazer suas próprias roupas, quadros, bandeiras e alguns acessórios para depois usar ou mostrar aos amigos é realmente muito satisfatório. E o melhor, você pode compartilhar suas criações em sites que se dedicam apenas a armazenar a criação da galera.

A essa altura do campeonato, já temos diversos exemplos de como a galera que joga Animal Crossing pode ser criativa. Existem milhares de conteúdos espalhados pela internet de roupas com personagens de animes, filmes e várias outras fontes da cultura pop que são feitas dentro de Animal Crossing.

pikachu

Voltando para o mundo do jogo, todos os dias é possível aprender uma coisa nova, o que é extremamente divertido. Cada utensílio, móvel ou enfeite que aprendo a fazer já imagino em como posso colocar na ilha, seja para mim ou para os outros residentes.

Viajar é viver, e em Animal Crossing é ganhar mais dinheiro também

Como dito, para viver a experiência completa de Animal Crossing: New Horizons é preciso se conectar com as pessoas, visitar os amigos e, é claro, aproveitar para fazer valer a lei da oferta e da demanda. Sim, na sua ilha você vende as frutas que são naturais de lá por um precinho bem mixuruca, enquanto na ilha de outras pessoas que não têm a sua fruta ela passa a ter um preço bem mais interessante.

Então, estoque essas laranjas e venda tudo na ilha do amiguinho depois (no meu caso são laranjas, mas vale para pera, pêssegos, cerejas etc.). Além disso, as lojas das outras ilhas vão vender coisas diferentes do que nas suas. Portanto, tirar um tempinho para pôr o pé na estrada é uma ótima ideia.

vendendo

A variedade de gameplays se torna evidente a cada ilha que você visita, assim como a experiência de cada um com o jogo. Você pode visitar uma ilha que tem residentes totalmente diferentes dos seus, entrar em casas que têm móveis e eletrodomésticos que você nem sabia que existiam, mas, para alcançar esse patamar lá no seu cantinho, vai ser preciso dedicação.

Não há troféus ou conquistas, mas tem Nook Miles

Um dos grandes defeitos no sistema da Nintendo, na minha opinião, é não contar com um sistema de troféus ou conquistas. Porém, Animal Crossing: New Horizons dá um jeitinho de recompensar os jogadores com as Nook Miles. O jogo conta com um sistema que te garante pontos quando você chega a certas etapas; por exemplo pescar 200 peixes, isso pode ser usado para comprar itens e recursos que o Tom disponibiliza na máquina que fica na sua casa.

Praticamente toda ação que o jogador faz pode render nookmiles, e isso faz o jogador persistir nessas conquistas para ter cada vez mais e comprar cada vez mais! — caramba, esse jogo me tornou um consumista maluco, eu realmente não precisava comprar MAIS um par de chinelos na loja do Nook, enfim.

nookmiles

Vale a pena?

Como praticamente um marinheiro de primeira viagem na franquia, eu digo que sim. Essa é uma experiência muito divertida e que vale bastante a pena. É claro que é preciso respeitar certos pontos, tipo: você tem paciência para um game que apresenta uma evolução baseada no tempo real e não no quanto você joga? Se sim, vai fundo. E lembre-se: o início é bem lento.

Quando saía algum jogo da franquia, sempre via alguns grupos de amigos que tenho e jogam consoles da Nintendo — 5 a cada 10 deles sempre jogavam Animal Crossing e, honestamente, nunca entendia o motivo. Hoje, eu finalmente entendi, pelo menos nesse game. A franquia dá tudo o que os fãs querem em um título que tem uma proposta leve e faz parecer que não há limites naquilo que o jogador deseja fazer no seu gameplay (seja colecionar, criar ambientes ou se transformar em fashionista de pixelart).

Existem coisas que depois de um tempo começam a incomodar, como a questão das ferramentas e da movimentação não serem tão precisas ou as vozes dos residentes serem bem chatinhas depois de ouvi-las mil vezes. Todavia, no conjunto da obra, Animal Crossing acaba de ganhar mais um fã.

fim

* Animal Crossing: New Horizons foi gentilmente cedido pela Nintendo para a realização desta análise.

90 Switch
Excelente
"New Horizons dá tudo o que os fãs querem com uma proposta leve e faz parecer que não há limites com o que o jogador quer fazer no seu gameplay "

Pontos Positivos

  • Diversão crescente. A cada descoberta você descobre mais possibilidades e se diverte mais no jogo
  • Ver a sua evolução e a da ilha depois de dias jogando é muito gratificante.
  • Quase infinitas possibilidades gameplays diferentes dependendo no que o jogador que focar
  • Interação social com os amigos

Pontos Negativos

  • As vozes... sério
  • Falta de uma certa inteligência e precisão na utilização das ferramentas
  • O começo é bem lento, é preciso ter paciência
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários