O caos abastecido por munição cumpre a promessa de Killzone 2.

Atualmente, pode-se dizer que os game que contam com uma perspectiva em primeira pessoa são abundantes. Desde que o gênero foi criado, o número de jogos em que o jogador assumia essa posição não parou de crescer. Alguns deles trouxeram experiências incríveis aos jogadores, com propostas inovadoras e grande nível de desafio. Contudo, muitos não passavam de cópias de jogos de sucesso.Será que valeu a pena esperar?

Talvez um dos exemplos mais contemplados pelos jogadores seja Call of Duty 4: Modern Warfare, lançado para Nintendo DS, PC, PlayStation 3 e Xbox 360 em 2007. O jogo simplesmente conquistou milhares de fãs, graças ao seu multiplayer divertidíssimo e cativante.

Contudo, existem games que se tornam objeto de desejo mesmo antes de serem lançados. Um belo exemplo disto é o FPS Halo 3, que foi exaustivamente divulgado pela mídia, deixando muitos fãs sedentos pelo game. O resultado foi uma das vendagens iniciais mais rápidas de todos os tempos. Entretanto, alguns jogadores consideraram a campanha do game um tanto quanto decepcionante e atribuíam toda a diversão do jogo ao multiplayer. Há também os que afirmavam que tudo não passava de alarde, pois o game não cumpriu suas promessas quando lançado.

Há algum tempo, outro título também deixou os usuários do console da Sony extremamente ansiosos pela sua chegada. Trata-se do tão especulado Killzone 2. Os primeiros trailers do jogo foram exibidos durante a Electronic Entertainment Expo (E3) de 2005 e demonstravam visuais totalmente incríveis. Logo após o primeiro vislumbre, muitos já diziam que aquele seria um dos melhores jogos do PlayStation 3 quando lançado.

Bem, este dia chegou. Killzone 2 finalmente está disponível, e chega a hora de conferir se tudo o que foi falado sobre o jogo é realmente verdade. Será que seus visuais serão comparáveis aos vídeos divulgados? A ação terá tamanha intensidade quanto prometido? O modo multiplayer providenciará tanta diversão? A resposta de tudo isso você confere lendo a análise abaixo.

 

No ninho do caos

Se você não esteve em uma câmera criogênica nos últimos anos, provavelmente sabe das promessas do game. Mas, antes dos primeiros vídeos de Killzone 2, muitos nunca sequer haviam ouvido falar da franquia. A primeira versão, intitulada apenas Killzone, chegou ao PlayStation 2 sem muito alarde e foi considerada um game mediano pela crítica especializada. Outro jogo da série, Killzone: Liberation, deu as caras no PSP no ano de 2006 e recebeu boas notas ao redor do mundo.

Caso esta seja a primeira vez que você se depara com a série, não há motivos para se preocupar. A trama de Killzone 2 conta com somente algumas pequenas referências aos demais jogos. Alguns personagens dos games antigos fazem participações especiais durante o game, e alguns eventos passados serão referidos. Mas, felizmente, você não precisa estar interado à história para entender o que está acontecendo em Killzone 2.
Uma galera nada feliz com a sua invasão...
 

A história do game é simples. A ISA (Interplanetary Strategic Alliance) está prestes a atacar o planeta Helghan, lar dos temidos Helghast, após uma invasão inimiga em uma das colônias da aliança. O objetivo é capturar o líder dos oponentes, Imperador Scolar Visari, e acabar de uma vez por todas com o caos exercido pelos Helghast. Para isso, você encarna Tomas “Sev” Sevchenko, um veterano da unidade Alpha que está pronto para encarar o problema.

Felizmente, o jogo possui legendas em diversas linguagens diferentes, incluindo o português, algo que deve deixar os jogadores brasileiros interados à trama. Sendo assim, você poderá perceber facilmente que o enredo não sofre nenhuma reviravolta de peso, mas é decente e definitivamente não deixa a desejar. E como você encontra-se em um planeta desconhecido, é bom ir se preparando para descobrir alguns segredos nada agradáveis — pelo menos para Sev.

Promessa cumprida

Helghan é um planeta brutal. Os vestígios da destruição estão por toda a parte, regados por gráficos que podem ser considerados um dos melhores da atual geração. Sim, o visual de Killzone 2 é tão impressionante quanto nos vídeos, e pode ser considerado um dos pontos mais fortes do game. Desde a tela inicial, passando pelas cenas de corte, até os tiroteios insanos no final do game você será presenteado com uma beleza gráfica inigualável nos consoles, tudo graças ao extenso arsenal de efeitos preparados pela Guerrilla Games.Killzone 2 é mesmo impressionante

Boa parte das texturas do jogo não é nada extraordinária, mas isso não impede de considerar Killzone 2 um dos games mais bonitos da atual geração. A iluminação é estonteante, assim como os efeitos de explosão, de profundidade de campo e as animações. Em jogo, não há como não se sentir dentro de uma guerra. A cada nível carregado, você se surpreende com os ambientes, que são gigantescos e esbanjam detalhes. Destaque também para a direção de arte do game, que fará com que muitos jogadores peguem ódio pela cor vermelha — que é visualizada com frequência no game graças aos Helghast.

Mas, como toda a guerra, o game apresenta alguns pontos fracos. Aspectos como modelagem e os detalhes dos personagens e alguns efeitos em particular, como a água e o fogo, poderiam ser melhores. Mas nada que impeça a decolagem do fascinante Killzone 2.

Fiéis companheiros

O modo campanha do game é relativamente curto, mas muito intenso. Do início ao fim, você se sentirá dentro da guerra, graças à incrível atmosfera do jogo. A ação dura cerca de 6 horas, e durante esse período você contará com a ajuda de seus companheiros de equipe. Nada de modo cooperativo, o que é uma pena, mas a inteligência artificial é boa o suficiente para lhe acompanhar durante sua jornada.

Os soldados de sua equipe disparam contra os inimigos, oferecem cobertura e estão dispostos a lhe ajudar nos momentos mais difíceis. É claro, algumas vezes demonstram que não são controlados por humanos, bloqueando sua passagem e agindo de maneira estranha. A solução é uma bela coronhada para deixá-los acordados.
Companheiros indispensáveis
 

Falando nisso, os controles de Killzone 2 não são muito comuns. Primeiramente, você não atira com o gatilho do controle, mas com o botão R1. Até aí, tudo bem, pois é possível reconfigurá-los nas opções do jogo. Mas alguns jogadores podem sofrer com a movimentação dos direcionais analógicos, pois o game não oferece um auxílio para mirar — a famosa mira semi-automática. A dica é praticar um pouco até pegar o jeito, o que não deve levar mais de 40 minutos.

Um dos elementos interessantes da jogabilidade é o sistema de cobertura, que é acionado através do botão L2. Este recurso é uma grande novidade no gênero, e foi muito bem aplicado em Killzone 2. Muitas vezes, você será obrigado a usufruir do sistema de cobertura para prosseguir no game. Uma vez em cobertura, é possível esgueirar-se e atacar sem qualquer frustração.

Há também uma grande variedade de armas, desde pistolas até lançadores de mísseis. A maioria causa estragos devastadores, e providencia momentos emocionantes ao jogador. Existem momentos em que o jogador deve controlar veículos, como tanques de guerra, e estes são prazerosos. Uma máquina destas é capaz de aniquilar dezenas de soldados sem muita dificuldade. É uma pena que as partes com veículos são relativamente curtas na campanha, e estes também não estão presentes no modo multiplayer.

Diversão para tropas inteiras

O multiplayer em si é espetacular. Se você usufrui de uma conexão rápida, terá bons motivos para passar horas no modo para vários jogadores de Killzone 2. O game ainda oferece a opção de adicionar Bots, personagens controlados pelo computador, em um servidor criado pelo jogador, permitindo assim um treino local.Jogar com a galera é emocionante em Killzone 2

Mas, vamos ao que interessa: jogar online. Em nossa experiência, chegamos a presenciar alguns momentos com atraso de conexão, mas, após resolvermos o problema, nossas partidas foram espetaculares. Você pode criar clãs, participar de torneios, conferir todas as suas estatísticas de maneira detalhada e, obviamente, mandar muita bala em qualquer um dos diversos modos de jogo.

E isso não é tudo. Jogadores contam com um sistema de classes, no qual é possível obter pontos e subir de patente para obter armas e muito mais. Sem dúvidas, o modo multiplayer de Killzone 2 conta com muitas opções para diversão, e é indispensável.

Em suma, Killzone 2 é um dos melhores FPS do PlayStation 3. Mesmo com algumas pequenas quedas, o jogo simplesmente alcança um desempenho incrível e repleto de entretenimento. A trilha sonora e o áudio são tão bons quanto o visual do game, e o resultado é uma experiência alucinante. Uma intensa campanha, horas e horas de diversão no multiplayer e caos abastecido por muitos tiros o aguardam neste grande exclusivo do console da Sony.
Compre com o menor preço:
95 ps3
Excelente