Um herói que vale por dez

Uma das características mais interessantes da série Kirby é o fato de cada um de seus games conseguir apresentar formas distintas e inovadoras de jogar sem perder a sua identidade. Se em Tilt n’ Tumble, lançado no Game Boy Color, o personagem foi um dos pioneiros no uso de sensores de movimento, em Mass Attack a Nintendo apresenta a possibilidade de controlar dez heróis simultaneamente.

Para entender o porquê disso, basta saber que o vilão Necrodeus dividiu o protagonista em dez pequeninas versões de si mesmo — sendo que cada uma contém uma fração de seu poder — para impedi-lo de atrapalhar os seus planos de dominação mundial.

Contudo, a força de vontade de Kirby conseguiu guiá-lo para longe dos ataques de seu inimigo;  agora, é seu papel ajudá-lo a acabar com a ameaça do terrível conquistador e reunir todas as suas partes.

Kirby é uma das grandes estrelas da Nintendo. O herói rosado tem um histórico de grandes games nos consoles da “Big N” e Mass Attack não foge da tradição. A sua jogabilidade, apesar de poder levar algum tempo para ser dominada, consegue atender muito bem a mais uma proposta inovadora.

Tudo isso, juntamente com cenários inventivos e desafiantes, tornam o título um lugar de destaque na lista de desejos de todos aqueles que procuram um game interessante para o Nintendo DS e, por que não, o 3DS.

Exército, avante!

Img_normalJuntar um número absurdo de pequenos Kirbys na tela é uma das possibilidades mais interessantes do jogo. Para tornar possível o controle de tantos personagens, a HAL Laboratory, desenvolvedora do game, criou um esquema que usa apenas as interações com a tela touchscreen do portátil.

Assim, o jogador controla na verdade uma estrela que representa a força de vontade de Kirby. Com a stylus, o jogador traça o caminho dela, o qual será seguido por todas as partes do rosado herói que estiverem presentes na tela.

Já para que os heróis saltem ou ataquem os adversários que aparecerem pelo caminho, basta “arremessá-los” usando a stylus em direção ao destino desejado. Soluções simples que conseguem sustentar o game inteiro.

Unidos venceremos

No início, apenas um décimo de Kirby está disponível. Para poder se juntar aos seus irmãos, o protagonista deve comer um número suficiente de frutas para se fortalecer e chamar mais um parceiro.

Img_normalEssa estratégia se segue até uma quantidade máxima de dez bolotas rosadas pulando pela tela, sendo que é possível notar que quanto maior o número de personagens controlados, mais eficazes são os seus ataques e ações (como trazer postes abaixo apenas com o seu peso, por exemplo).

Já nos combates, é necessário prestar atenção nos ataques dos inimigos. Toda vez que um pequeno Kirby for atingido, ele se torna azul e vulnerável. Ou seja, a próxima investida adversária que ele sofrer fará com que ele seja eliminado.

Contudo, o game ainda dá uma pequena colher de chá, permitindo que os pequenos voltem à vida caso você consiga segurá-los antes que seus fantasmas deixem a tela — tarefa que pode ser bastante complicada no calor de certas batalhas.

O mundo é um grande labirinto

Outro ponto que merece destaque em Kirby: Mass Attack é o design de seus níveis. Cada um deles apresenta um número de medalhas escondidas que devem ser coletadas durante a aventura para liberar opções escondidas dentro do jogo e aumentar a sua pontuação.

Além disso, muitos locais exigem um número mínimo de Kirbys (que pode ser até mesmo 10) para que possam ser abertos, algo que obriga o jogador a retornar a estágios anteriores para explorar caminhos alternativos.

Extras interessantes

Para incentivar o jogador a melhorar o seu desempenho, o jogo oferece algumas recompensas ao longo da aventura. Além de títulos especiais (obtidos ao realizar ações específicas, como terminar um nível com o número máximo de heróis sob o seu controle), há também extras bacanas conquistados com a coleta de medalhas.

Entre os modos adicionais liberados por esse método, há desde uma “jukebox” em que é possível ouvir as faixas do jogo até mesmo pequenos mini games, como um pinball em miniatura e um jogo de “acertar a toupeira”. Novidades bacanas para os momentos de distração e que aumentam a longevidade do título.

Perdendo o controle

Img_normalEmbora sejam um dos grandes trunfos do jogo, os múltiplos Kirbys associados a uma infinidade de inimigos na tela podem tornar o jogo uma das experiências mais caóticas em que você poderia embarcar. É difícil acabar perdendo o seu progresso por conta de uma invasão de personagens, mas prestar atenção em vários pontos da tela pode ser mais complicado do que parece.

Controles simples, aprendizado complicado

O esquema de controles de Kirby funciona muito bem ao longo do jogo, não se pode negar isso. No entanto, no início da aventura é comum confundir-se bastante com os controles e mandar Kirby para qualquer lugar, menos o desejado. É uma questão de prática e algumas pessoas podem entender o conceito mais rapidamente do que outras, mas pode acabar frustrando jogadores casuais que desejem entrar logo na ação.

88 ds
Ótimo