Este urso panda já foi mais determinado...

No ano de 2008, a Dreamworks lançou Kung Fu Panda. O longa conta a história de “Po”, um urso panda que acaba entrando no mundo das artes marciais para ajudar a defender sua vila de um ex-aluno malvado de Shifu. Três anos a empresa trouxe a primeira continuação da animação: Kung Fu Panda 2. Na nova aventura, Po já é reconhecidamente o “Guerreiro Dragão” e com a ajuda dos cinco lendários mestres do kung fu vai ter que frustrar os planos de Lord Shen.

Como de costume, a Dreamworks e a desenvolvedora Griptonite Games criaram um jogo baseado no segundo filme, distribuído pela THQ. O game é de aventura, de ação em terceira pessoa no melhor estilo brawler, no qual os jogadores encarnam o próprio panda e vão seguindo o caminho realizando grandes e brutais combos nos inimigos.

O grande urso também possui ataques especiais, que utilizam a barra de “chi” (facilmente recarregada por pequenas bolas amarelas presentes em todo o game). E mais, outros ataques especiais utilizam a assistência de um dos cinco furiosos, dependendo da fase em que o jogador estiver.

Como títulos baseados em filmes são geralmente fracos, Kung Fu Panda 2 já é lançado carregando esse estigma. A história do título não segue exatamente o enredo do filme, na verdade, ocorre um pouco depois dos eventos ocorridos no segundo longa. Dessa forma, é um pouco necessário conhecer os acontecimentos do enredo original para acompanhar o que acontece no jogo.

Img_normal

O game inicia com uma festa na qual os habitantes da vila estão comemorando uma batalha recém ganha, quando são atacados por uma série de vilões. Logo, Po é recrutado por três grandes mestres do kung fu, sendo Mestre Shifu, Mestre Storming Ox e Mestre Croc. Essa é o real começo da história: o panda deve receber ensinamentos dos três poderosos guerreiros, escolhendo e seguindo um de cada vez.

Kung Fu Panda 2 é um game interessante que une o grande nome dos dois filmes da Dreamworks à diversão e interação que só os video games podem proporcionar.A jogabilidade é surpreendentemente boa e as vozes dos personagens são dubladas pelos mesmos atores que fazem o filme original.

Porém só isso não basta para tornar esse game aprazível. O nível de diversão é muito baixo, uma vez que jogar acaba ficando cansativo muito rápido. A brusca queda de frames torna a experiência, às vezes, incômoda e irritante. Apanhar dos inimigos por não ter resposta dos controles é extremamente desagradável.

Img_normal

No geral, o título não vale a pena. Mesmo para os mais novos, a não ser que os pequeninos sejam muito fãs da série e não se importem (ou mesmo não entendam) com o enredo. Esse seria o caso para o qual poderia valer a pena comprá-lo...

Sonoridade

A trilha sonora do game é a mesma do filme, o que é um ponto ótimo. A dublagem dos personagens é a mesma do cinema, ou seja, o urso Po tem a voz de Jack Black, Shifu conta com o brilhante trabalho de Dustin Hoffman, Mestre Macaco é Jackie Chan, Tigress é vivida por Angelina Jolie e muito mais.

As músicas também não ficam muito para trás. A trilha sonora varia de acordo com os cenários, passando a impressão de legitimidade com o filme. A sensação é praticamente de estar fazendo parte do universo do longa metragem.

Fonte: Wikipedia
Jogabilidade

Para um game feito depois de um filme, no qual o objetivo principal é esmurrar adversários e quebrar tudo o que aparecer pela frente, a jogabilidade é surpreendente. O urso Po desfere uma sequencia de golpes, que podem incluir combos aéreos ou mesmo desfechos no próprio solo.

Por mais absurda que a comparação possa parecer, a movimentação do panda lembra muito a de kratos. A resposta aos comandos é excelente, a presença de um botão de evasão rápida (no qual o jogador rola para algum dos lados), aquele movimento em que um soco levanta o inimigo e a pancadaria continua no ar... São todos elementos que rementem à jogabilidade do Deus da Guerra, claro que com muito menos qualidade.

Animações

Era de se esperar que um dos excelentes longas da Dreamworks tivesse um pouco mais de cuidado com as animações e cenas de computação gráfica do game. As passagens são bem fracas e praticamente são todas iguais.

Img_normal

Queda demasiada de frames

 Em batalhas que estão presentes mais de quatro inimigos simultâneos, o game vai perdendo qualidade a ponto de ficar travando várias vezes. Os inimigos por vezes cercam o grande panda, que fica praticamente indefeso quando os controles não respondem direito. A parte gráfica não colabora muito, uma vez que é pouco trabalhada e apresenta sinais claros de que não houve tanta dedicação no desenvolvimento dessa parte visual.

Monótono

O game consiste basicamente em avançar linearmente na história, enfrentando inimigos e resolvendo pequenos puzzles. Depois de um tempo jogando, fica cansativo encarar os mesmos cenários genéricos, com os mesmos inimigos, usando as mesmas sequências de golpes.

O progresso no game não estimula muito continuar jogando, uma vez que a história consegue ser confusa. Isso mesmo, em nenhum momento do game fica claro qual o objetivo da história. O que se sabe é somente o que é preciso fazer em momentos pontuais. Mas o grande mote central, por incrível que pareça, não fica bem explicado.

Img_normal

45 ps3
Ruim