Solucionando crimes e se divertindo muito, um bloco de cada vez

Há alguns anos, são lançados jogos da série LEGO para praticamente todas as plataformas existentes, geralmente adaptando alguma obra do cinema usando bonecos amarelos e peças coloridas. Tentando sair um pouco do reino das adaptações, a Nintendo, em parceria com a produtora TT Games, lançou LEGO City Undercover.

Conhecido por alguns como “GTA de LEGO”, o game foge do esquema de fases e aposta em um mundo aberto para contar uma história policial. Exclusivo dos consoles da Nintendo, tivemos a oportunidade de testar a versão de Wii U para saber se o título consegue ser tão divertido quanto o jogo da Rockstar ou se ele fica só na vontade.

LEGO City Undercover é certamente um dos melhores títulos da jovem vida do Wii U. O game consegue trazer todo o clima leve e familiar da série LEGO, unido com um mundo aberto atraente o suficiente para ser explorado por horas a fio.

Além disso, a TT Games conseguiu explorar bem as possibilidades que o hardware do console da Nintendo oferece, sendo um dos poucos títulos a realmente aproveitar de maneira inovadora a segunda tela presente no GamePad.

Apesar de não ser um jogo perfeito, LEGO City Undercover é o tipo de título a que os donos de Wii U devem, pelo menos, dar uma chance.

O esquema é ter bom humor

Como é costume nos jogos com a marca LEGO, LEGO City Undercover consegue ser um dos jogos mais leves e bem-humorados da atual geração. O game faz diversas referências a obras do cinema, como “Titanic”, “Dirty Harry” e “Um Sonho de Liberdade”, nos momentos mais aleatórios possíveis, o que pega o jogador de surpresa. É algo muito parecido com o que acontece com filmes da Pixar, que são agradáveis para crianças e, ao mesmo tempo, trazem algumas sacadas que apenas adultos vão identificar e se divertir.

Img_normalOutros elementos, como a maneira como os personagens interagem e seus diálogos, só deixam esse lado ainda mais claro. Tudo isso faz com que o game tenha um tom leve, mostrando que ele não se leva muito a sério. A dublagem do game é muito boa, trazendo vozes agradáveis e que combinam com os personagens. O único porém é a falta de uma trilha sonora mais marcante para acompanhar a história, mas isso não chega a ser um defeito grave do game.

Img_normal

Por ter um estilo que muitos podem comparar com outros títulos com mundo aberto, como as séries Saints Row ou Grand Theft Auto, LEGO City Undercover poderia se mostrar com um tom mais adulto, o que provavelmente não combinaria muito com a franquia. Por ter toques de um humor mais familiar, o título consegue ser perfeito para crianças que ainda não têm idade para compreender a violência insana de GTA, mas gostaria de jogar algo parecido.

Quando o GamePad é usado corretamente

Por ser um game publicado pela Nintendo, a TT Games teve um cuidado todo especial na hora de programar LEGO City Undercover para aproveitar ao máximo o GamePad do Wii U e sua tela sensível ao toque. A função que todos já esperavam que o jogo teria era que o mapa de LEGO City ficaria presente na segunda tela do Wii U, mas o game oferece muito mais que isso.

Dentro do título, Chase McCain, o policial que você controla, recebe de seus superiores um tablet para ajudar nas investigações e para se comunicar com outros policiais. Basicamente, um grande smartphone que ele carrega para cima e para baixo.

Isso significa que, ao receber uma ligação de alguém, você não ouvirá o que será dito pelos auto-falantes da sua TV, mas sim do próprio GamePad, que ainda mostra a imagem do personagem que ligou para você. Outra função impressionante do controle aparece na hora de escanear o cenário atrás de pistas e suspeitos.

Img_normal

Dentro do jogo, Chase McCain usa o seu tablet para procurar pistas no cenário. O que ele vê na pequena tela é exibido no seu GamePad. Utilizando o sensor de movimento do seu controle, você busca personagens e itens perdidos no cenário. Não é necessário se prender ao espaço da sua TV, já que você realmente fica no lugar de McCain, vendo o que está acontecendo fora da tela.

Esse tipo de imersão é muito bem-vinda e mostra que o Wii U e seu GamePad podem sim ser bem utilizados nos games, fugindo do esquema “mapa e inventário” que muitos temem tomar conta da segunda tela do console.

Img_normal

Em relação ao controle do game, se você já jogou qualquer título LEGO, sabe como os comandos funcionam. Você não necessita de uma precisão cirúrgica para conseguir avançar no game, e o seu nível de dificuldade faz com que jogar LEGO City Undercover não seja um problema para crianças e adultos.

Disfarçado para fazer valer a lei

Na pele do policial Chase McCain, você deve se infiltrar em diversos locais e agir de diferentes maneiras para colocar os bandidos na cadeia. Isso é feito com o uso de uniformes ou disfarces que você destrava ao longo da história.

Img_normalIsso dá um dinamismo interessante ao game, além de aumentar muito o seu fator replay. Cada disfarce traz uma função diferente ao seu personagem. Isso significa que você pode passar em um lugar e ver algo inacessível, pode retornar até lá quando conseguir um disfarce especial e destravar toda a seção.

A vontade de ficar indo e voltando, independente das missões relacionadas à história do game, deve fazer com que os jogadores fiquem várias horas explorando LEGO City.

Dificuldade: fraldinha

É um pouco complicado colocar o nível de dificuldade de um game como um ponto negativo, principalmente quando um título pode ser fácil para alguém e difícil para outra pessoa. Só que LEGO City Undercover merece a menção pelo simples fato de não conseguir ser desafiador.

Desde o momento que você começa a jogar, Chase McCain “passeia” por LEGO City. Perseguições são tratadas como se fosse um velho jogo de pega-pega, os bandidos não conseguem apresentar uma ameaça ao seu personagem, que consegue rendê-los com uma facilidade incrível.

Img_normal

Isso acaba fazendo com que algumas partes que deveriam ser mais divertidas acabem sendo apenas competentes. Por exemplo, os carros que você encontra pela cidade têm praticamente a mesma velocidade. Isso quer dizer que um esportivo tem o mesmo desempenho que uma lata velha. Isso parece ter sido feito para deixar o jogo mais homogêneo, matando a dificuldade de se adaptar a cada veículo encontrado.

85 wiiu
Ótimo