Desmontar Comensais da Morte nunca foi tão divertido

Uma das franquias com mais lançamentos nos últimos tempos, a série LEGO reconta histórias de sucesso (como as disputas espaciais de “Star Wars” e as aventuras dos “Piratas do Caribe”) utilizando os famosos blocos de montar da companhia dinamarquesa.

Dessa vez, a Traveller’s Tales termina de contar a saga de Harry Potter (iniciada em Lego Harry Potter Years 1-4, lançado ano passado) em um jogo que inclui a história dos livros “A Ordem da Fênix”, “O Enigma do Príncipe” e “As Relíquias da Morte”.

Assim, o game recria o universo saído da mente da escritora J.K. Rowling ao mesmo tempo em que oferece aos jogadores missões variadas ambientadas nos amplos e detalhados cenários mostrados nos livros e filmes.

Os jogos da franquia LEGO sempre tiveram um grande potencial de diversão que muitas vezes era mal aproveitado por conta de problemas de jogabilidade e falhas de programação. Assim, por mais que alguém fosse fã da série representada, a presença de alguns bugs e a dificuldade de completar as tarefas requisitadas apenas frustravam o jogador e o desmotivavam a continuar.

Felizmente, a Traveller’s Tale parece ter acertado a mão em LEGO Harry Potter Years 5-7, fazendo com o que produto final possa ser considerado um verdadeiro presente para os fãs do detentor da cicatriz mais famosa entre os bruxos.

Com várias horas de jogo, muitos desbloqueáveis e o charme característico da série, o jogo é uma pedida certa para todo o tipo de jogador. Além disso, os brasileiros também tem a vantagem da localização, ainda que limitada somente às legendas, para o português.

Desse modo, se você estava procurando um bom jogo protagonizado pelos bonecos LEGO, essa é a melhor opção até o momento e, com alguma sorte, uma futura referência para mais bons games.

J.K. Rowling deve estar orgulhosa

Além de sua jogabilidade característica, um dos pontos que mais deve ter contribuído para o sucesso dos jogos da marca LEGO é o respeito que a desenvolvedora Traveller’s Tales tem em relação às franquias retratadas.

Img_normalA companhia sabe aproveitar o licenciamento que tem em mãos e criar jogos cheios de referências para fã nenhum botar defeito. Ainda assim, o game também não é exclusivo apenas para quem conhece a história do garoto que sobreviveu, podendo ser apreciado por qualquer trouxa — ainda que estes tenham alguns problemas para se situar em determinados momentos.

A mágica da compreensão

Uma das maiores birras em relação à série LEGO que muitos (este redator incluso) sempre tiveram era a falta de clareza dos games na hora de apresentar os objetivos ao jogador. Assim, em jogos como LEGO Pirates of Caribbean e Indiana Jones, enquanto o item necessário no momento permanecia escondido no cenário, diversos outros inúteis reluziam escandalosamente — algo que induzia muitas vezes ao erro.

A equipe de desenvolvimento parece ter tomado conhecimento (finalmente) desta falha e tornou este título muito mais didático. Assim, enquanto em jogos anteriores já existiam legendas indicativas, neste aqui elas tendem a referenciar o item necessário para continuar no momento — e não mais qualquer coisa que estivesse no cenário.

Além disso, a presença de itens brilhantes no cenário agora só ocorre quando estes são realmente necessários para a realização de alguma tarefa. O que economiza bastante tempo ao jogador e torna a jogabilidade muito mais fluida. Já a adição da roda de feitiços também cumpre muito bem o seu papel e facilita a vida do jogador na hora de selecionar a habilidade apropriada para cada ocasião.

A beleza dos tempos difíceis

Enquanto o período retratado em Years 5-7 marca o retorno (e posteriormente a queda) do maligno Voldemort, é necessário reconhecer que os gráficos do game estão muito mais bonitos do que o de seu predecessor.

Img_normal

A melhoria já estava presente em outros títulos mais recentes, como Pirates of the Caribbean, mas agora é possível encontrar ambientes naturais detalhadamente recriados, assim como efeitos de iluminação e sombras que enriquecem a experiência de visitar o castelo de Hogwarts e os demais cenários retratados.

Para se jogar a dois

Há alguns jogos que parecem ter sido feitos para se jogar com mais alguém e a série LEGO, como os fãs já sabem, pertencem a esse grupo. Afinal, a mecânica característica da franquia exige a troca constante entre personagens para poder resolver diferentes desafios com as suas habilidades únicas e diferentes.

Desse modo, o jogo passa a fluir mais rapidamente quando alguém assume o segundo joystick, além de ser muito divertido ter alguém para compartilhar o bom humor do jogo — sem contar como um segundo jogador pode facilitar a experiência.

Um mundo para ser descoberto

Assim como em outros games LEGO, além de completar os níveis da aventura principal, os jogadores também devem encontrar uma série de itens (como blocos dourados e brasões de Hogwarts), além de completar tarefas como o resgate de estudantes em perigo.

Img_normalNem tudo, no entanto, pode ser acessado inicialmente, sendo que é preciso avançar no jogo para aprender certos feitiços e poções, além de ser necessário completar os estágios antes de poder visitá-los com todos os personagens.

Desse modo, Years 5-7 é uma mina de ouro para os jogadores que gostam de destrinchar tudo o que um game oferece e para aqueles que desejam uma experiência de horas e horas de diversão.

A câmera que não deve ser nomeada

Um problema exclusivo para quem joga no modo cooperativo (o que significa uma grande parcela dos fãs da série), a câmera continua a incomodar. Quando os dois personagens se separam, a tela divide-se para que ninguém fique preso ao seu companheiro.

Contudo, em vez de manter uma divisão fixa na tela, a separação muda de lugar de acordo com a posição dos personagens na tela — fenômeno incômodo e capaz de gerar enjoos em alguns jogadores.

Img_normal

Quase lá

Embora Years 5-7 tenha representado um grande salto em relação aos seus antecessores ao tornar-se finalmente intuitivo, ainda há alguns momentos que prendem o jogador em um determinado cenário sem saber direito o que fazer.

Esses momentos, no entanto são muito raros e não chegam a comprometer a diversão. Ainda assim, a desenvolvedora poderia ter se esforçado um pouco mais para impedir que os jogadores tivesse esse tipo de problema.

85 ps3
Ótimo

Outras Plataformas

85 xbox-360