Análise de LEGO Indiana Jones 2: The Adventure Continues

O Dr. Jones estala seu chicote em novas estripulias com os bloquinhos LEGO

A Traveler’s Tales — e sua linha de jogos LEGO — já é uma marca reconhecida no mundo dos video games. Suas “reinterpretações” de grandes clássicos do cinema como as franquias Guerra Nas Estrelas, Batman e Indiana Jones apresentam um humor simples, acessível para todas as idades, em jogos divertidos e envolventes.

O sucesso da franquia LEGO é inegável e novas produções estão a caminho, além de novas edições da linha LEGO Star Wars, já está prevista a adaptação de Harry Potter — cujo primeiro jogo albergará os quatro primeiros anos de escola de bruxaria (ou seja, os quatro primeiros livros da série).

Mas enquanto isso, a série LEGO retorna a franquia Indiana Jones, explorando novas facetas da trilogia original (já abordados no primeiro jogo, LEGO Indiana Jones) e apresentando o mais recente filme da saga “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”. No entanto, você não precisa se preocupar com conteúdos duplicados, já que todos os níveis, desafios e itens escondidos são inéditos.

LEGO Indiana Jones 2: The Adventure Continues adiciona algumas novidades ao já consagrado estilo LEGO de se jogar, mesmo que nem todas as idéias funcionem. A presença de níveis inspirados nos outros três filmes da série Indiana Jones é outro ponto interessante — apesar de curtos, estes estágios servem para motivar o jogador a explorar o primeiro jogo da linha LEGO Indiana Jones.

Se você busca por um jogo que traga elementos de exploração do cenário, ação/plataforma e muito bom humor, a franquia LEGO é porto seguro e esta nova edição de LEGO Indiana Jones não é diferente. Jogabilidade simples e divertida mistura-se com um humor despretensioso para criar um jogo que agrada a todas as idades.

Mudou para melhor

Uma das mudanças mais importantes da jogabilidade está no próprio design dos níveis e da central (que conecta todos os estágios do jogo). Desta vez o “hub” não é apenas uma sala com conexões para as diferentes missões, mas é um mundo aberto passível de exploração. Você poderá perambular pelo cenário em busca de estágios bônus e novos itens, personagens e veículos.

Além disso, os níveis em si também mudaram, tornando-se mais curtos e menos tediosos, enaltecendo o valor de re-jogo (quando você retorna mais de uma vez a cada fase para coletar todas as moedas e resolver todos os enigmas). O melhor de tudo é que, apesar de mais curtos, estes estágios são bem diversificados, variando entre fases de plataforma, lutas contra chefes, fases com veículos e assim por diante.

Quatro em um

Img_originalApesar de enfatizar o último filme (“O reino da caveira de Cristal”), o jogo também explora, de forma resumida, os outros três filmes da série, “Os Caçadores da Arca Perdida”, “O Templo da Perdição” e “A Última Cruzada”. Ou seja, são quatro jogos em um, mesmo que os estágios envolvendo os três primeiros filmes sirvam mais de aperitivo para quem não jogo o título original.

Para toda família

Um dos grandes trunfos da linha LEGO é o seu humor pastelão e jogabilidade acessível. Comandos descomplicados, quebra-cabeças inventivos e animações caricaturadas fazem deste jogo uma escolha certa para toda a família. Além disso, o componente multiplayer é outro grande atrativo. Os jogadores podem entrar e sair do jogo a qualquer momento, deixando tudo ainda mais divertido e dinâmico.

Blocos

Os gráficos não são exatamente exuberantes, no entanto a “LEGO engine” dá conta do recado e consegue passar o estilo caricato que caracteriza a franquia. O mesmo vale para o som, que conta com as trilhas originais dos filmes, mas tende a tornar-se um tanto repetitiva.

Inutidade

Apesar de ser uma bela adição, o editor de níveis e mais floreio do que algo realmente útil. De fato o jogador pode criar estágios próprios, com direito a armadilhas, inimigos e várias outras características, mas sem uma integração online não há muita utilidade para o editor que cria novos níveis, mas não permite que você os compartilhe com outros jogadores. Trata-se de uma boa ideia aplicada da forma errada.

Dois na telaImg_original

A divisão de tela, quando no modo multiplayer, é outra adição interessante, mas executada de uma forma estranha. Agora os jogadores não precisam mais se preocupar em manter-se próximo da ação, podendo distanciar-se a vontade.

Quando ambos estão próximos a tela abriga os dois personagens, quando eles se distanciam a tela divide-se de acordo com a posição dos dois no mapa, o que pode ser bem confuso (e um pouco nauseante).

Barbeiro

A dirigibilidade dos veículos pode ser incrivelmente frustrante. Altamente instáveis os diferentes carros, aviões, motos, barcos, cavalos, camelos e afins são difíceis de ser controlados, tornando os estágios dedicados a utilização destes em verdadeiros tormentos.

Compre com o menor preço:
78 ps3
Bom

Outras Plataformas

76 wii
78 xbox-360