A turma de Mario não consegue rebater com diversão.

Um velho e conhecido personagem. Mario, Mario e mais Mario. O carismático bigodudo da Nintendo aparece exaustivamente em quase todos os jogos desenvolvidos pelos estúdios da empresa ou distribuídos por ela. Seja dirigindo karts, jogando futebol, lutando e até mesmo realizando provas nas olimpíadas com seu rival Sonic, o encanador sempre dá um jeitinho de mostrar toda sua simpatia que o consolidou como um dos personagens mais famosos dos videogames.

Contudo, nem todos os jogos que carregam a palavra Mario em seu título são necessariamente bons, infelizmente. Alguns deles parecem utilizar o personagem apenas para chamar a atenção, já que a proposta não é das melhores.

Em 2005, o saudoso GameCube recebia mais um título de esportes relacionado ao famoso personagem da Nintendo. Mario Superstar Baseball colocava os jogadores em um campo nunca explorado pela turma do Bigodudo, o Baseball. O esporte, que é extremamente popular no Japão e nos Estados Unidos, rendeu um jogo com críticas medianas, e com algumas boas doses de diversão.

Com o lançamento do Wii, muitos jogadores — ao menos os aficionados do esporte — se viram ansiosos para poder desfrutar de um belo título de Baseball devido às incríveis possibilidades que o sistema de controles fornecia. Wii Sports continha uma espécie de simulador de baseball, mas com regras menos rígidas, no qual jogadores puderam experimentar como seria jogar o esporte no console. Infelizmente, muitos não ficaram satisfeitos com o jogo, esperando por um título que usufruísse da capacidade técnica do Wii.

É aí que o famoso encanador bigodudo aparece para “salvar” os jogadores angustiados. Um novo jogo de baseball é anunciado, estrelado por ninguém menos que Mario e sua turma. Intitulado Mario Super Sluggers, o título é como uma seqüência da versão para GameCube. Desta vez, portanto, o jogo aporta no Nintendo Wii, contando com boa parte da interatividade do console. Mas será Mario Super Sluggers apenas mais um título mediano estrelado por Mario? Ou finalmente os usuários do Wii serão recompensados com um belo jogo de Baseball?


Uma rebatida direta nos controles

Certamente, o Nintendo Wii é famoso por ser casual. Seus jogos, normalmente, são de fácil aprendizado, o que permite aos jogadores simplesmente pegar e jogar qualquer título à disposição. Em Super Mario Sluggers, pode-se dizer que o sistema de controles pode não ser tão simples como normalmente acontece no console da Big N.

Como é de se esperar, boa parte dos comandos são realizados através dos sensores de movimento. Para rebater, por exemplo, basta inclinar o Wii Remote para trás e movimentá-lo para frente para finalizar a ação. Na posição de lançamento, tudo que o jogador tem a fazer é levantar o mesmo periférico e depois levá-lo para baixo, como se estivesse lançando uma bola de baseball — mas sem soltá-lo, senão o resultado pode ser catastrófico.

Se optar por correr, basta balançar o Wii Remote e suar um pouco a camisa para que seu personagem se movimente mais rapidamente. Ao capturar com sucesso a bola rebatida, você tem de balançar o periférico para retorná-la à base. Parece simples, não? Ainda é possível optar por um sistema de controles que utiliza apenas o Wii Remote para controlar o jogo, dispensando o auxiliar Nunchuk. Isso pode tornar as coisas mais fáceis, pois muitos dos movimentos serão realizados de maneira automática devido às limitações do Wii Mote.

Mario e sua turma não conseguem manter o controle.

Mario Super Sluggers também permite que os jogadores utilizem o Wii Remote na horizontal, de maneira similar aos controles do Xbox 360 e PlayStation 3. Essa opção exige um pouco mais do jogador, pois não está instruída nos tutoriais. Mesmo que o direcional digital seja menos responsivo que o analógico, esta opção permite que seus pulsos descansem um pouco. Infelizmente não há a possibilidade de utilizar o controle do GameCube ou joystick Classic, sendo assim, podemos afirmar que a melhor opção é jogar com ambos os joysticks.

Na verdade, a combinação dos dois joysticks não é o suficiente para uma experiência sem frustrações. Rebater pode ser uma tarefa extremamente irritante, pois muitas vezes o sistema não reconhece os movimentos como deveria. O correto seria segurar o Wii Remote e simular o movimento real de uma rebatida, mas na prática tudo vai pelos ares. Qualquer movimento leve já ocasiona a ação, então se prepare para rebatidas espontâneas ou até mesmo a ausência delas devido à resposta dos controles. Com o tempo, pega-se o jeito, mas até lá você provavelmente já terá desistido de jogar.

Nem mesmo na posição recepção as coisas se tornam fáceis. Agarrar a bola também pode ser um problema, já que muitas vezes ocorrem conflitos entre os comandos ao passar de uma ação para a outra.

Tipicamente Mario

Mas, como sempre em relação a Mario, o jogo também traz algumas cartas na manga que tornam a jogabilidade um pouco mais agradável. Rebatidas especiais são uma bela opção para deixar de lado a frustração enquanto o jogador observa uma curiosa e divertida animação que, normalmente, termina com um resultado positivo para quem a executa.


Especiais dignos de Mario.

Ao obter bons resultados, uma barra vai gradualmente sendo preenchida, e é através dela que o jogador executa os movimentos mais interessantes do game. Cada um dos jogadores conta com uma animação diferente. Donkey Kong, por exemplo, rebate nada menos que um gigantesco barril ao invés da comum bola-dura de baseball. Além disso, os arremessos também são privilegiados por este sistema, e podem decidir facilmente o resultado de um jogo.

Cascos por toda parte!

Para ajudar a memorizar todos os comandos disponíveis no jogo, Mario Super Sluggers conta com um tutorial extremamente útil — e indicado pela equipe do Baixaki Jogos. Caso não esteja familiarizado com o esporte, é indispensável dar uma rápida passadinha no modo Practice para receber algumas instruções e treinar antes de partir rumo aos jogos. O Baseball é um esporte relativamente mais complicado que o futebol, por exemplo, exigindo ao menos os princípios básicos para que o jogo seja disputado de maneira divertida.


O jogo traz algumas surpresas... Fora este modo, temos também o Exhibition. Talvez essa seja a melhor opção para aqueles que procuram uma experiência mais próxima da realidade — com algumas adições típicas de Mario, é claro. É possível usufruir de cascos e outros itens muito conhecidos provenientes de Mario Kart, o que amplia significativamente a diversão do título.

Além disso, o jogo conta com um interessante recurso chamado Chemestry. Alguns personagens, conta com certa “química” entre ambos, o que permite a execução de algumas ações exclusivas. Lançamentos mais velozes e saltos gigantescos são apenas uma parcela do que o sistema oferece. Utilizar estas ações contra uma equipe controlada pelo computador é um excelente método para vencer a partida, mas pode ser um pouco complicado.


O time oponente provém bons desafios, mesmo apresentando certo desequilíbrio entre as equipes. Alguns personagens, como a “árvore” Pianta, contam com vantagens absurdas que podem acabar com o clima divertido da partida — ainda mais se estiver jogando contra um amigo.

Sozinho ou acompanhado

Felizmente, Mario Super Sluggers oferece um modo para vários jogadores. Devido às possibilidades típicas do universo de Mario, as partidas podem ser realmente equilibradas e eletrizantes, sendo um dos pontos fortes do jogo. Até quatro pessoas podem jogar ao mesmo.


Nada como dividir uma banana com os amigos. Caso esteja sozinho, o título também conta com um belo modo principal. Basicamente, a trama envolve Koopa Jr. e seus comparsas, que invadem a pacífica ilha do baseball para causar caos e dominar o local. Cabe então a você, que controla o bigodudo, reunir diversos jogadores para que possa desbancar de uma vez por todas o time de Koopa Jr.

Logo de início, nota-se um interessante sistema de navegação. Ao invés de simplesmente participar de partidas até vencer, o jogo conta com um mundo aberto, no qual jogadores navegam para resolver puzzles, adquirir novos personagens, cumprir desafios e, obviamente, participar de partidas de baseball.

Personagens para todos os gostos

Um dos aspectos mais interessantes de Mario Super Sluggers é a variedade de personagens. Dezenas de ícones conhecidos, e alguns nem tanto, dos consoles da Nintendo aparecem no jogo para rebater algumas bolas. Desde caras bons, como Donkey Kong, Baby Mario e Toad, até os mais perversos inimigos, como K.Rool de Donkey Kong e Wario, dão as caras no game.


A maioria de seus amigos tem de ser desbloqueada. Para isso, é necessário realizar alguns desafios exigidos pelos personagens. Normalmente estes são fáceis, e num piscar de olhos você já conta com um novo atleta que pode ser adicionado à sua equipe. Existem também alguns desafios que exigem a atenção do jogador.

Quase toda a turma está em Sluggers.

Logo no início do jogo, você tem de salvar Baby Luigi que se encontra isolado, e chorando exaustivamente, em um píer. Para isso, é necessário baixar uma ponte levadiça, que só pode ser movimentada se o jogador acertar a combinação correta de uma alavanca. Certamente, algumas dicas essenciais encontram-se espalhadas pelo ambiente para auxiliar o jogador no quebra-cabeça. Um toque a mais, que não deixa de ser interessante.

Além de fazer parte de seu time, os personagens podem-se tornar muito úteis em alguns momentos do jogo. Determinados capitães contam com habilidades que devem ser acionadas para proceder na trama. Donkey Kong e Mario, por exemplo, podem escalar videiras e entrar em canos, respectivamente. A diversão é curta, cerca de cinco horas, no modo principal.


Nem os minigames marcam pontos

Há também uma grande diversidade de minigames para descontração. A maioria deles consiste em desafios simples, aparentemente, que testam as habilidades dos jogadores. A adição de conteúdo é sempre bem-vinda, mas alguns minijogos são simplesmente dispensáveis. Mas, afinal, o que é um jogo de Mario sem momentos descontraídos?


O modo Toy Play é outro adicional mais para Mario do que para baseball. Nele, jogadores encontram-se em uma espécie de tabuleiro hibridizado com uma mesa de pinball. Um dos 4 personagens rebate a bola, e cabe ao restante adquiri-la para obter moedas. Existem alguns ajustes, como a adição de itens especiais e outros recursos que aprimoram a diversão. Mesmo assim, a modalidade não convence.

Infelizmente, o jogo não conta com nenhuma opção para se jogar online, algo que poderia tornar Mario Super Slugger um jogo com um tempo de vida prolongado. A ausência da possibilidade de salvar sua formação, ou até seu próprio time, nas partidas do modo Exhibition. Os controles podem ocasionar muitos problemas ao jogador, ainda mais para aqueles não familiarizados com o esporte.

Os gráficos também não contribuem para o jogo. Algumas modelagens e texturas conseguem ser inferiores à versão lançada em 2005 para GameCube. A trilha sonora é extremamente repetitiva, e o resultado pode ser uma bela dor de cabeça. Mesmo com algumas partidas divertidas, Mario pode decepcionar até mesmo seus maiores fãs. Mas isso não é novidade, pois nem todos os jogos são salvos por um bigode.

Muita gente vai ficar nervosa com Sluggers.
64 wii
Regular