O robozinho azul está de volta, e como nos velhos tempos

Mega Man 10 recorre a gráficos de 8 bits e jogabilidade hardcore para transmitir uma experiência única aos fãs. O título pretende dar continuidade ao velho estilo da franquia, combinando jogabilidade e design de fases da forma apropriada com o estilo retro.

Desta vez é possível escolher o nível de dificuldade antes de começar uma aventura. Enquanto o novo nível easy permite passar pelas fases sem problemas (nem emoção), o normal oferece verdadeiros desafios em que o jogador precisa aprender a jogar aos poucos. Já o hard é o teste final, quem o superar provará ao máximo a experiência.

Muitos obstáculos parecem "sacanas" demais para iniciantes – pulos que beiram o suicídio e ataques que surgem de todas as direções ao mesmo tempo –, mas um pouco de prática consegue superar o problema e o nível easy é uma alternativa para ficar bem preparado. O desafio é um dos aspectos mais satisfatórios de Mega Man 10. Se não fosse pelos cenários bem feitos, e difíceis, esta produção seria descartável.

O robozinho azul é o personagem principal, porém o Proto Man também pode ser selecionado. A diferença entre os dois é a possibilidade de carregar os tiros, deslizar no chão e se defender com um escudo ao escolher a segunda opção. De qualquer jeito, a jogabilidade parece combinar melhor com o tradicional Mega Man que só pula e atira - tanto que o ranking online só funciona para ele.

Também há o Bass, um terceiro herói capaz de disparar em sete direções, disponível por download. Outros conteúdos adicionais (DLCs) são três estágios especiais mais o Endless Mode – um modo infinito, no qual o objetivo é passar pelo maior número de telas possíveis. São produtos recomendáveis para quem realmente adorou Mega Man 10 e quer um pouco mais.

O enredo do título é sobre uma doença que afeta robôs, a robofluenza, e sua missão é partir em busca da cura. Como sempre, a primeira coisa a se fazer é escolher um dos oito chefões que você quer enfrentar. Ao derrotar um deles, uma nova habilidade é absorvida. E quando todos forem aniquilados, fases adicionais surgem para chegar ao verdadeiro vilão.

É uma boa ideia obedecer a uma ordem de seleção de estágios que permita tirar proveito máximo dos poderes. Além de cada habilidade infligir grandes danos a chefões específicos, elas também auxiliam a superar com facilidade os estágios – derrotar o Chill Man garante as capacidades de congelar inimigos e criar fileiras de espinhos, ambas muito úteis para barrar oponentes velozes.

Se fechar o jogo no hard não bastar para você, há cerca de 80 tarefas extras no Challenge Mode. Trata-se de um modo que propõe desafios extras, os quais requerem muita perícia para pular com precisão em plataformas rodeadas por espinhos ou superar chefões sem receber danos.

Também há o modo Time Attack em que o objetivo é fechar os estágios o mais rápido possível, contado com um ranking online para servir de referência sobre as melhores colocações. Aqueles que completam uma fase em pouco tempo possuem um replay para que todos confiram a façanha – e aprendam com os mestres, servindo como ótimo tutorial.

A única questão que precisa ser respondida para recomendar Mega Man 10 é: o que você acha do visual retro? Se a opinião for positiva, então com certeza vale a pena experimentar. Já o público interessado na compra é bem específico, mesmo porque o título tende a afastar aqueles que não são fãs do robozinho azul pelas características extremas da obra.

Uma das tarefas principais em Mega Man é decorar as posições de inimigos, os ataques deles e as armadilhas, um aspecto comum para o gênero – ainda mais quando segue o padrão old school. Assim sendo, o entretenimento deve estar garantido para quem gosta do clássico gênero plataforma e busca grandes desafios ao mesmo tempo em que procura um jogo arcade ou casual.

Old School Enforced

O produtor Hironobu Takeshita buscou inspiração em Mega Man 2, resolvendo criar uma obra baseada no estilo que impulsionou o sucesso da franquia. No fim, gráficos em 8 bits acompanhados por trilha sonora chiptune (composta por "bips") foram adotados junto com um design (leia-se: as intenções das fases) estupendo.

Por sorte, o visual old school (termo referente ao padrão clássico) nunca ficará ultrapassado, pois há muitos jogadores que sentem saudades do velho estilo e outros simplesmente simpatizam com obras que fazem referência aos primórdios da indústria dos games. Em todo caso, podemos afirmar que os gráficos seguem de maneira genial a proposta.

Por outro lado, há o argumento: "O que faz eles pensarem que eu vou querer jogar algo que é a mesma coisa há 22 anos? Sem evolução nenhuma!" A resposta está na permanência da essência da obra e seus desafios peculiares que tornam a experiência surpreendente. Os gráficos são apenas um detalhe nostálgico, que geralmente é bem aceito pelos fãs.

Trilha sonora

Outro aspecto que se ateve às origens é a trilha sonora. Muitos sons seguem o modelo que os antecessores ofereciam, enquanto a música de cada estágio traz composições novas. É difícil dizer se o título agora está pior ou melhor que antes – depende da opinião pessoal –, todavia as faixas atendem a proposta retro. Só não é uma boa ideia escutar por muito tempo, pois podem ficar irritantemente repetitivas – porém, como a jogabilidade é dinâmica, isso não deve acontecer.

Difícil na medida certa

Para muitos iniciantes que não conseguiram enfrentar Mega Man 9 por causa da dificuldade elevada, Mega Man 10 é a oportunidade para aprender a jogar. O nível de dificuldade easy consegue ensinar o básico para superar os desafios reais no nível normal, além dos replays do modo Time Attack que servem como verdadeiros detonados. E para os fãs, o modo hard deve oferecer a experiência mais adequada.

Isso elimina metade das críticas relacionadas ao lançamento antecessor, sem sacrificar a característica mais importante da franquia – ser desafiador. Ainda temos corredores entulhados de espinhos e buracos enquanto robôs tentam acertar o Mega Man, portanto não tem há do que reclamar.

Há quem diga que o título ficou mais fácil, porém não é uma afirmativa muito convincente vinda de fãs que fecharam Mega Man 9 sem problemas. O fato é que para se sair bem neste tipo de jogo de plataforma, basta decorar as localizações dos obstáculos.

Arcade hardcore

Rankings online e a possibilidade de jogar durante curtos intervalos – leva em torno de cinco minutos para terminar uma fase, apesar de poder demorar uma hora ou mais para aprender como fazê-lo com qualidade – estampam o selo "arcade" em Mega Man 10.

Jogar sem compromisso e competir por melhores desempenhos são qualidades importantes para games pequenos. O único "ponto negativo" é que mesmo podendo considerá-lo um jogo casual, Mega Man 10 é acessível apenas para o público hardcore – que procura enfrentar desafios extremos.

Poderia ser diferente?

Poderia ser um jogo com aspectos bem diferentes caso não utilizasse o estilo retro. Muitas críticas partem desse assunto, o problema é que não podemos avaliar o que o game não é. Dentro de sua proposta, ele só merece elogios, porém não deixa de ser curioso pensar se a qualidade poderia ser maior caso implantassem um estilo menos conservador.

Talvez a jogabilidade também possa ser criticada pelo aspecto de estar baseada em decorar os cenários. Só que novamente seria uma alteração contraditória da proposta.

Poderia ter...

É bom saber que há dezenas de desafios adicionais em Mega Man 10, só que leva menos de duas horas – dependendo da habilidade do jogador – para fechar a aventura principal.

Mesmo possuindo bastante conteúdo – pelo preço de 10 dólares – não seria exigir muito uma aventura mais duradoura. Além disso, todos os downloads adicionais cobram o valor de 8 dólares, exigindo quase o mesmo preço que o produto original por pouquíssimas alterações – que deveriam ser gratuitas.

Quanto à trilha sonora, ela poderia receber um capricho adicional, visto que é ouvida repetidamente pelo jogador. De qualquer jeito, continua aceitável por cumprir o padrão da série.

78 ps3
Bom

Outras Plataformas

78 wii
78 xbox-360