Mega Man chega aos 28 anos de idade com carinha de adolescente

A Capcom não é nenhuma estranha ao lançamento de coletâneas e remasterizações, tantoque em 2015 a empresa investiu mais nesse tipo de conteúdo do que em jogos inéditos. Dessa forma, não é de se estranhar que a companhia tenha decidido investir no lançamento de Mega Man Legacy Collection no ano em que o robô azul completa 28 anos de existência.

A coletânea é focada nos seis primeiros capítulos da série, todos eles lançados originalmente para o Nintendo Entertainment System. Com isso, é possível ver como se deu a evolução da franquia desde seus primórdios até um de seus momentos de maior popularidade, logo antes de a série X passar a se destacar entre os jogadores dos consoles de 16 bits.

Reunião de clássicos

É difícil se estender na descrição de Mega Man Legacy Collection devido à maneira bastante direta como a desenvolvedora decidiu tratar os jogos. Enquanto a Microsoft fez um trabalho complexo de apresentação em RARE Replay, chegando a bolar menus elaborados e animações novas, a Capcom preferiu uma apresentação mais direta que mostra os títulos favoritos em uma lista simples.

Ao selecionar algum deles, o jogador pode iniciar a respectiva aventura ou conferir uma galeria de artes inspiradas no game em questão. O material traz descrições de diversos inimigos e protagonistas acompanhadas por ilustrações cuja qualidade parece questionável em diversos momentos — infelizmente, não é possível ampliar esses desenhos para analisá-los com mais cuidado.

Também há uma galeria secundária que não acompanha qualquer espécie de descrição, se tratando somente de uma reunião de materiais promocionais e outros conteúdos relacionados ao jogo escolhido. A vantagem dessa opção é o fato de ela acompanhar alguns materiais mais desconhecidos, como os conceitos iniciais de alguns dos personagens mais consagrados da franquia.

De resto, Mega Man Legacy Collection apresenta exatamente os seis primeiros games numerados da franquia exatamente da forma como eles eram encontrados no NES. O mais interessante é que, em nome da fidelidade, a Capcom decidiu manter inalterados aspectos que vão dos bugs e glitches visuais de cada título até os códigos usados para passar rapidamente para fases mais avançadas.

Pequenas atualizações

Para não dizer que não houve algumas alterações, fato é que elas estão presentes, mas de forma bastante discreta. Entre as novidades está um novo sistema de salvamento rápido, função encontrada em emuladores que deve facilitar um pouco a vida de quem nunca terminou algum jogo da série devido a sua dificuldade acentuada.

Além disso, a Capcom também oferece diferentes modos de tela e a possibilidade de preencher os cantos do monitor ou da televisão com imagens temáticas da franquia.  Também há a oportunidade de usar alguns filtros de imagem, embora nenhum deles chegue a modificar muito a maneira como o game é exibido.

A impressão que fica ao jogarmos Mega Man Legacy Collection é que estamos tratando de algo que não passa de uma mera emulação dos títulos originais — o que não é algo exatamente ruim, vista a qualidade dos jogos oferecidos, mas denota certo desleixe da Capcom, especialmente quando comparamos a coletânea com a caprichada RARE Collection.

O único elemento realmente novo é o Modo Desafio, que coloca o robô azul para enfrentar uma série de desafios variados respeitando limites de tempo. As opções disponíveis misturam trechos de diferentes jogos da franquia e servem como oportunidade de pessoas menos habilidosas conferirem alguns dos elementos de jogabilidade normalmente reservados a fases mais avançadas.

Vale a pena?

Embora decepcione pela falta de conteúdos extras, Mega Man Legacy Collection tem como principal mérito reunir em um pacote acessível alguns dos melhores momentos da franquia. Mesmo que o conteúdo disponível já tenha aparecido em outras coleções lançados anteriormente pela Capcom, o preço reduzido cobrado pela empresa torna essa uma boa oportunidade de ter acesso rápido às origens da série.

Infelizmente, mais do que uma homenagem ao robô azul, o game deve parecer à maioria dos jogadores como mais uma lembrança do fato de o personagem ter sido restrito à “geladeira” da companhia. O que compensa isso é saber que, apesar de o futuro da série ser duvidoso, seu passado resistiu sem muitos arranhões à passagem do tempo.

Caso você seja um fã do herói, a coletânea vale pela nostalgia e pela possibilidade de jogar nos consoles atuais alguns dos melhores títulos da história da série. Já aqueles que ainda não puderam conferir os títulos do passado têm no game uma ótima oportunidade de recuperar o tempo perdido e gastar algumas horas lidando com a dificuldade apresentada pelos desafios criados pelo Dr. Willy.

80 pc
Ótimo
"Mega Man Legacy Collection traz poucos conteúdos novos, mas compensa isso ao reunir alguns dos melhores jogos da série"

Pontos Positivos

  • Os games disponíveis respeitam bastante o material original
  • Mesmo um pouco envelhecidos, os jogos mantêm uma boa qualidade

Pontos Negativos

  • Extras pouco atraentes
  • Falta de conteúdos adicionais

Outras Plataformas

80 3ds
80 ps4
80 xbox-one