Análise de Metal Gear Rising: Revengeance - Blade Wolf

Conquiste a sua liberdade!

Lançado em fevereiro deste ano, Metal Gear Rising: Revengeance apresentou um novo capítulo da gigantesca saga criada por Hideo Kojima sob um novo foco. Em vez de serem regidas pela furtividade, como manda a tradição da série, as sequências do jogo são dominadas pela mais pura ação.

Nos meses seguintes ao seu lançamento, o game recebeu dois pacotes DLC contendo algumas adições à história de Raiden. O primeiro, Jetstream Sam, apresenta como o samurai brasileiro se juntou a organização Desperado Enterprises. Já este segundo, Blade Wolf, oferece um novo capítulo apresentando as origens de LQ-84i – o lobo robótico que acaba se juntando à Raiden durante a trama de Revengeance.

Oferecendo um esquema de jogabilidade diferenciado, o DLC apresenta o treinamento que Blade Wolf recebeu enquanto era servo da Desperado, além de mostrar também os momentos que antecedem o seu encontro com Raiden no início de Revengeance.

O segundo DLC de Metal Gear Rising: Revengeance é muito mais satisfatório que o seu antecessor. Com um personagem bastante diferente, a diferença de jogabilidade é uma das novidades mais interessantes do novo capítulo.

Apesar de poder ser completado em pouco mais de uma hora, Blade Wolf é uma adição interessante ao jogo. Contando com um chefe diferente (em vez de reaproveitar um inimigo da campanha de Revengeance, como fez Jetstream Sam), o DLC também oferece diversos segredos, como novas VR-Missions, que devem ser encontrados durante o capítulo para serem desbloqueados.

Assim, apesar de ter um preço menos que seu antecessor, Blade Wolf apresenta um conteúdo mais variado e com maior custo-benefício. Caso você esteja pensando em ampliar a experiência de Revengeance e estiver em dúvida entre os dois DLCs, comece por esse e não se arrependerá.

Um novo jogador se apresenta

Assim como Jetstream Sam, Blade Wolf apresenta golpes bastante distintos em relação aos de Raiden. Enquanto muito deles ainda apresentam funções análogas (como é o caso da esquiva ofensiva), a lista de golpes é diferente o suficiente para modificar significantemente o modo de jogo.

Img_normalSe Blade Wolf apresenta diversos ataques tão poderosos quanto os de Raiden, o jogador precisará de um pouco de tempo e prática para conseguir se habituar ao modo de movimentação do personagem.

Correndo, o novo protagonista consegue ser tão ágil quanto os outros heróis do jogo. No entanto, o seu andar sobre quatro patas é um tanto quanto desengonçado, ao mesmo tempo em que saltar nesse não é uma das tarefas mais fáceis. Apesar da estranheza inicial, o corpo do personagem – bem menos que os dos outros ciborgues – permite que o robô se esconda atrás de pequenos objetos do cenário que seriam muito pequenos para cobrir Raiden, por exemplo.

A arte da furtividade

Durante a campanha de Metal Gear Rising: Revengeance, é possível atravessar alguns cenários sem chamar a atenção dos inimigos. Contudo, isso é muito mais complicado que em outros jogos da série, sendo muito conveniente escolher o combate em boa parte das seções de Rising.

Talvez por conta do porte menor de Blade Wolf, ou por conta das reclamações de alguns fãs, a Platinum Games valorizou bastante a furtividade – sendo que em diversos momentos a melhor pedida é acabar com todos os seus inimigos sem que eles o vejam.

Img_normalAs facas arremessáveis (arma secundária exclusiva de Wolf) também pode ser explorada para esse fim, podendo tanto aniquilar inimigos a distância como fazer barulho para distraí-los e oferecer uma oportunidade de ouro para assassiná-los sem que tenham ideia do que os atingiu.

Capítulo extra

Apesar de muitos chiarem, Metal Gear Rising: Revengeance provou com a sua campanha que merece o título que carrega. Afinal, apesar de ser focado na ação, a preocupação com o enredo e a possibilidade de iniciar dezenas de diálogos para auxiliar a desvendar os detalhes da intrincada trama são alguns dos detalhes tradicionais da série que se fazem presentes na série também.

No novo capítulo presente neste DLC, os fãs mais preocupados com a história da saga tem a chance de se aprofundar um pouco mais a respeito das origens e motivações de Blade Wolf – inclusive conhecendo um membro da facção Desperado não presente na campanha principal.

Img_normalAssim, os jogadores tem a chance de conhecer Khamsin (ou “Tempestade no Deserto”), mais um vilão nomeado a partir de ventos famosos. No caso, Blade Wolf precisa auxiliar o guerreiro durante uma missão de reconhecimento. Como essa missão acaba, no entanto, só jogando para saber.

Reciclagem

Um dos maiores problemas do primeiro DLC do game, Jetstream Sam, se repete em Blade Wolf. No caso, é a reciclagem de ambientes. Da mesma forma que o samurai brasileiro percorre os mesmo ambientes encontrados por Raiden em sua aventura, o mesmo acontece no capítulo extra do lobo robótico.

Img_normal

Pelo menos, a transição entre seções em Realidade Virtual (as chamadas VR Missions) apresenta alguma novidade, incluindo alguns desafios bem interessantes. Ainda assim, contudo, a falta de novos ambientes pode acabar tornando a experiência repetitiva.

80 ps3
Ótimo

Outras Plataformas

80 xbox-360