Embora traga algumas melhorias ao DS, o jogo não deixa de ser bastante limitado.

Naruto: Ninja Destiny pode mesmo representar um tipo de salto de qualidade nos jogos de luta para DS, caso se leve em conta a ação 3D bastante decente e algumas possibilidades táticas interessantes graças às duas telas. Contudo, uma comparação não muito exigente com outros jogos de luta — e mesmo com outros jogos de Naruto —faz mesmo o jogo parecer simplesmente “mais um”.

Enquanto o fã mais hardcore pode ficar um tanto satisfeito em ver alguns dos ícones do anime (e alguns dos seus golpes) retratados nas telas do DS, porém aquele jogador que busca alguma diversão ocasional ou mesmo algumas novidades em termos de jogos de luta pode acabar um tanto decepcionado. E para aqueles que talvez fiquem empolgados com a expressiva quantia de 16 personagens disponíveis, vale lembrar: a maioria está inicialmente bloqueada.

História... e alguns spoilers (por parte do jogo)

Ninja Destiny traz 16 personagens icônicos do anime. Para aqueles fãs de carteirinha de Naruto que conhecem a trama toda de cor e salteado e sabem o nome de todos os golpes e personagens, talvez o rápido “resumão” — recheado de spoilers — de Ninja Destiny não incomode muito; é apenas uma forma superficial de uma história já bem conhecida. Porém, para aqueles fãs igualmente fervorosos, mas que, porventura, ainda não tiveram contato com toda a trama, fica a advertência: cuidado, porque Naruto: Ninja Destiny pode mesmo ser a pior e mais sem graça forma de se ficar sabendo de alguns acontecimentos bem bacanas do anime.

Naruto: Ninja Destiny enfoca a terceira parte do exame chunin até o confronto dos três senins (os ninjas lendários). Resumindo (de forma bastante infeliz) mais ou menos 100 episódios, Ninja Destiny coloca o jogador em batalhas como Naruto Vs. Neiji, Shikamari Vs. Temari ou mesmo Orochimaru Vs.... vários adversários (não convém aqui cometer o mesmo pecado do jogo). O esquema básico é sempre o mesmo: uma seqüência de imagens contando de forma bastante breve um trecho da história é sucedida por uma batalha.

O sistema de batalhas

É bem verdade que Ninja Destiny não é um jogo primoroso de luta. Porém, também é bem verdade que, tendo em vista o passado não exatamente glorioso do DS com esse estilo, o jogo traz algumas novidades bem interessantes; novidades que, talvez, possam ser sucedidas por outras melhores e, quem sabe, mais substanciais.

Alguns especiais, de fato, foram bem recriados. Ninja Destiny é uma espécie de Tekken com menos golpes e algumas possibilidades táticas geradas por um bom uso das duas telas do DS. Embora se resuma a pouco mais do que alguns golpes básicos, uma série de especiais (que, assuma-se, foram bem recriados embora não sejam interativos) e um kawarimi-no-jutsu bastante oportuno (quase apelativo, a bem da verdade), o sistema de batalhas de Ninja Destiny traz alguns bons momentos.

Ninja Destiny oferece três modos de jogo: story (no qual se começa com o Naruto e segue-se por várias batalhas controlando vários personagens), battle (a tradicional pancadaria Vs. contra o computador) e multiplayer. Embora fechar o jogo no modo normal seja algo relativamente fácil e repetitivo, no modo difícil as coisas ficam um pouco mais desafiadoras, já que o computador torna-se bem menos condescendente. Além disso, o modo multiplayer pode mesmo trazer algumas horas de diversão online, em que ficam mais em primeiro plano as possibilidades táticas do jogo.

Por possibilidades táticas, entenda-se a utilização de alguns itens dispostos na tela sensível ao toque do DS que podem facilitar as coisas. As funcionalidades desses itens dividem-se em: aumento de energia, aumento de chakra, aumento do poder de ataque, aumento do poder de defesa; os aumentos podem ser de 25%, 50% e 100%.

Também existem alguns mais particulares, como o “símbolo azul de Konoha” (reduz a quantidade de chakra necessária para executar especiais e o kawarimi-no-jutsu) e “no jutsu” (impossibilita o uso de chakra por parte do oponente pelo período de dez segundos). Como a quantidade de itens disponíveis não se renova de um round para o outro, a idéia é utilizar as vantagens com bastante parcimônia (sobretudo quando se está lutando contra outro ser humano).

Sim, os gráficos representam uma melhoria, contudo...

Provavelmente qualquer jogador acostumado aos gráficos de outros títulos de luta para o DS vai ficar um tanto entusiasmado com o visual 3D e algumas boas texturas de Ninja Destiny. Os gráficos realmente não estão ruins, trazendo alguns movimentos bastante fluídos em alguns cenários bem passáveis; até mesmo algumas nuances interessantes de sombra podem ser encontradas. O único problema: isso tudo é absolutamente prosaico e, de fato, não traz nada de novo. Mesmo os cenários que— não obstante as já citadas texturas — poderiam ter sido um pouco mais bem trabalhados.



O som é um caso à parte: simplesmente não chama a atenção mais também não atrapalha (como acontece em muitos jogos do estilo). Depois de um tempo escutando, o jogador provavelmente vai acabar enjoando; aí é só abaixar o volume e continuar.

Assim como em vários outros jogos baseados em séries de sucesso, o que cabe aqui dizer sobre Naruto: Ninja Destiny é: o jogo é mais indicado para fãs... que, talvez, não se incomodem com uma quantidade apreciável de spoilers. É claro que algum jogador ocasional pode querer conferir alguns bons gráficos na tela do seu DS, porém, a jogabilidade repetitiva vai acabar por cansá-lo bem rápido.

É claro que Ninja Destiny representa um salto de qualidade em relação a outros títulos de luta para o DS. Porém, faz bem acreditar que essa qualidade ainda pode aumentar muito.

55 ds
Fraco