Cada vez mais perto da realidade.

Para quem ainda não sabe disto, a série NBA 2K é desenvolvida pela 2K Games — 2K Sports, mais especificamente — e compete diretamente com a tão aclamada série da EA Sports, a NBA Live. Isso criou uma divisão entre os fãs de video games que veneram o basquete.

Desta vez, a 2K conseguiu criar um game muito atraente, capaz de prender a atenção dos jogadores mais críticos por muitas horas. A variedade de modos e funcionalidades é um dos pilares da edição 2010 da franquia, o que realça o esforço dos desenvolvedores em apresentar o esporte de Kobe Bryant com o maior realismo possível.

Mergulhando no basquete

Logo de início, o game praticamente obriga o jogador a participar de uma partida rápida em prol de conhecer brevemente o sistema básico de comandos. Ao mesmo tempo, é interessante começar pelo Quick Match para contemplar o esplendor visual do esporte.


É claro que não é possível realizar enterradas alucinantes ou efetuar jogadas sensacionais em um primeiro contato com o jogo. A jogabilidade não é tão complexa assim, mas exige concentração e determinação caso o gamer pretenda embarcar nas partidas de maneira ampla e completa.

Para todos os efeitos, o ideal é começar pelo modo Practice. Ao todo, são 40 passos que explicam como explorar toda a individualidade dos esportistas. Dribles, arremessos, enterradas e diversas formas de movimentação. Quanto ao desenvolvimento do famoso "espírito de equipe", os demais modos de jogo dão conta do recado.

Enfim, ficou claro que o foco dos desenvolvedores foi criar um legítimo simulador de basquete. Tanto os controles quanto a ambientação colaboram intensamente para que as quadras sejam preenchidas com uma forte atmosfera esportiva.

E aí, vai encarar? É interessante reforçar que o estilo geral de NBA 2K10 segue aquilo que é encontrado na apresentação de partidas através de canais expressivos de televisão (como a ESPN). A narração dos embates, os intervalos e praticamente todas as animações das pessoas que aparecem na tela são alguns pontos que retratam bem esse estilo.

Haja Gatorade

Sprite, Gatorade, água... É de tudo isso que tanto os esportistas quanto os gamers precisam para ficarem vivos durante as partidas. O tempo de aprendizado é um pouco mais extenso que o normal, visto que são necessários mais de 25 minutos para dominar o conjunto de comandos satisfatoriamente.

O problema é que o teclado não é um periférico muito favorável para este tipo de experiência, já que a própria interface do jogo mostra que a versão para computadores veio diretamente do game para consoles. Assim, utilizar um controle com pinos analógicos é a melhor forma de explorar o melhor que o título tem a oferecer no que diz respeito à jogabilidade.

No começo do aprendizado, o jogador não participa de partidas com muitos pontos, obviamente. Mas a progressão é um dos destaques desta edição. Isso vale para uma série de quesitos: intimidade com os controles, modos de jogo, exploração das diversas funcionalidades...

De qualquer maneira, o importante é saber que NBA 2K10 não é "mais um jogo de basquete". Até porque, durante as partidas, há a possibilidade de controlar o time também nos aspectos táticos, priorizando aquilo que o jogador achar melhor no momento.

Além disso, o conjunto de funcionalidades online não poderia ser melhor. O que você acha de criar um atleta e participar de confrontos espetaculares contra atletas criados por gamers de outras partes do planeta? São as Crews, que possibilitam o surgimento de rankings bastante disputados pelos jogadores que optam por embarcar em partidas mais disputadas.


Aprovado

Do que nós gostamos


Efeitos visuais

Por onde começar? Primeiramente, os modelos dos esportistas são retratados com fidelidade e solidez. Isso é ótimo, já que o foco, aqui, não é retratar as quadras, os atletas e a torcida com perfeição gráfica, mas sim propiciar experiências impactantes.

A estrela dos Los Angeles Lakers Há uma grande diferença entre o nível de detalhamento dos esportistas e os torcedores, mas isso é completamente justificável pela estabilidade do desempenho das partidas. O que importa, obviamente, é o que acontece dentro de quadra. E o que acontece dentro de quadra conta com efeitos visuais bons e cativantes.

A iluminação é excelente. A aplicação do tão conhecido "blur" (efeito que borra certas áreas do cenário) é boa, mas não fica aprazível em fotos, que denunciam os "limites" de aplicação do efeito. Mas, em movimento, tudo fica muito interessante.

Sonoramente respeitável

Mesmo quem não gosta muito de rap não deve criticar a qualidade sonora das músicas. Os próprios menus do título são acompanhados por músicas vibrantes, envolventes. E, quando o jogador finalmente entra nas quadras, a qualidade é mantida.

Os sons, de modo geral, são muito bons. A narração em inglês também é interessante, sendo que, por padrão, as vozes dos comentaristas são ligeiramente ofuscadas pela torcida e pelos demais barulhos. Uma palavra para descrever esse aspecto: satisfatório.

Prático, completo e variado

O game pode até destacar uma série de quesitos referentes à "simulação de basquetebol", mas não é tão difícil criar jogadas dignas dos tempos de Michael Jordan e companhia. Uma vez que os controles estejam dominados, a diversão vem e, paralelamente, ocorre o surgimento de boas jogadas e estratégias mais elaboradas.

Variedade é a chave

É indiscutível a variedade de... Bem, de tudo. Ao fim de uma partida, por exemplo, há a chance de visualizar replays, acompanhar "pressbooks", conferir quem foi o melhor jogador da partida, visualizar "G Moments", "game reel", "hot zones", contemplar momentos especiais ("signature highlights") de cada atleta... Quer mais? Então jogue o game.


Reprovado

O que espantou o BJ... No mau sentido


Tem certeza que é isso mesmo o que O'Neal faz?

Artificialidade. Infelizmente, isso aparece em abundância em NBA 2K10. Um dos maiores infortúnios consiste na definição exagerada de fim de um movimento e começo de outro. Com isso, algumas animações deixam a desejar, já que a ligação entre os movimentos corpóreos não é tão fluida assim. Um ar "robótico", por assim dizer.

O contato com a bola também não convence. Certos arremessos enaltecem essa fraqueza, pois mostram que os atletas não seguram realmente a tão disputada esfera. Isso mostra que os aspectos físicos do desenrolar do basquete poderiam ser trabalhados de forma um pouco mais intensa pelos desenvolvedores.

O foco não é a perfeição Em geral, interação entre objetos

Os "takes" dignos de câmeras profissionais de grandes canais de TV são muito bons, mas realçam as falhas gráficas do título. Quer alguns exemplos? No momento em que certos torcedores cruzam as pernas para ficarem mais confortáveis em seus assentos, os membros simplesmente atravessam a parede divisória da quadra.

Tudo bem, aqui vai um exemplo mais consistente. Uma breve cena mostra o técnico de uma das equipes se sentando em seu assento. Até aí, sem problemas. Agora, se houver um jogador no caminho do técnico, o coordenador do time simplesmente atravessará o atleta, retratando uma anomalia física. Afinal de contas, dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, não é mesmo?

Ruim com o teclado

Mais uma vez, não há como encontrar a diversão plena através do periférico dos computadores. É complicado executar as combinações de controles — principalmente aquelas que geram jogadas de peso, como enterradas — pelo teclado.

Com isso, vale reforçar que o ideal é utilizar um controle à parte que conte com a presença de dois pinos analógicos. Isso traz muito mais agilidade no momento de passar ou driblar rapidamente, para depois finalizar a jogada com um arremesso — ou, é claro, uma enterrada — simplesmente fenomenal.


Avaliação Final

Vale a pena?


Por fim, é a combinação das diferentes novidades que transforma NBA 2K10 em um game bem atraente para os fãs de basquete. Atualizar o elenco de atletas conforme ocorre na vida real não é mais novidade, mas, ainda assim, entra em sintonia com as demais funcionalidades interessantes que o game oferece.


Ambientação é um termo que possivelmente caracteriza o que o jogo tem de melhor. As pequenas falhas — não importando a quantidade — tentam, mas não ofuscam o brilho visual e a impressionante qualidade do conjunto de sons e faixas sonoras que constam nesta edição.

Quer o veredicto do Baixaki Jogos? Faltou um pouco de polimento nos aspectos técnicos, mas isso não causa um baque considerável no jogo. Dessa forma, o título vale a pena, principalmente para aqueles que querem explorar o esporte com avidez e têm sede de jogadas maravilhosas, retratadas com beleza e impacto.


80 pc
Ótimo