De “chuá”! NBA 2K11 desponta nas quadras com muita categoria

Iniciada em 1999, como uma exclusividade do saudoso SEGA Dreamcast, a franquia NBA 2K revigorou o gênero e, ano após ano, traz novidades e aprimoramentos que levaram a série ao topo dos simuladores de basquete — desbancando a poderosa EA Sports e seu NBA Live (agora renomeado NBA Elite).

NBA 2K11 não é diferente e desponta como o melhor jogo da série e possivelmente o melhor título do gênero desta temporada (ainda aguardamos pelos arremessos de NBA Elite 11). Com melhorias em todos os aspectos e inovações interessantes, o game se destaca pelo realismo e não desaponta aos fãs do esporte.

NBA 2K11 é sem sombra de dúvida a melhor edição da franquia. As melhorias em relação aos seus predecessores são muitas e evidentes. Praticamente todos os quesitos do título foram trabalhados, tornando o título uma compra obrigatória para os fãs de simuladores de basquete.

A sessão Michael Jordan dá um toque especial ao jogo, que também conta com outros 18 esquadrões célebres como os Lakers de Magic Johnson, os Celtics de Larry Bird e o Knicks de Patrick Ewing.

NBA 2K11 é consistente e não decepciona os fãs do esporte. Como NBA Elite ainda não entrou na quadra fica difícil entregar o título para a linha da 2K Sports, mas fica claro que a concorrência vai ter muito trabalho pela frente.

#23

Se você gosta de basquete, certamente conhece o mito, o homem que imortalizou a camisa número 23 do Chigago Bulls e que mudou para sempre o esporte com seus momentos de genialidade nas quadras: Michael “Air” Jordan

NBA 2K11 presta uma homenagem a Michael Jordan, dedicando uma sessão inteira ao astro estadunidense. São várias modalidades de jogo especiais estreladas por Jordan, mas o que realmente as tornam diferentes é o clima nostálgico evocado pela presença de “Air Jordan” e outras feras: seus companheiros de Bulls, Dennis Rodman e Scottie Pippen, e grandes “rivais” como Larry Bird (Boston Celtics) e Earvin "Magic" Johnson (L.A. Lakers).

Na prática Jordan não é exatamente superior aos outros atletas na quadra, porém a presença da camisa 23 impõe respeito e confere um clima todo especial ao jogo. Na realidade, a abertura de NBA 2K11 é uma recriação — jogável — da histórica final de 1991, na qual o Chicago Bulls de Jordan perdeu para os Lakers de Magic Johnson.

Img_normalNo modo Jordan, você também pode explorar outros momentos célebres da carreira do jogador nos “Jordan Challenge”. Nesta modalidade, você revive momentos-chave da história de Jordan nas quadras e deve cumprir certos objetivos para somar pontos e desbloquear novos conteúdos de jogo.

Um dos desafios coloca o jogador na pele de Jordan durante o notório quinto jogo das finais de 1997 da NBA, popularmente conhecido como o “Jogo da Gripe” — no qual Jordan, visivelmente debilitado por uma gripe estomacal liderou os Bulls contra o Utah Jazz.

No desafio, você deve atingir as mesmas marcas alcançadas por Jordan no jogo real, ou seja, para completar o desafio o jogador deve executar 38 pontos, sete rebotes e cinco assistências.

“Defesa forte, time forte”

Um dos setores que recebeu mais melhorias foi o sistema defensivo. Em NBA 2K10 os armadores (posições 1 e 2) conseguiam penetrar no garrafão sem grande dificuldade, o que certamente diminuía drasticamente o realismo mais qualquer tipo de estratégia e organização tática.

Todavia, esta edição aprimora toda a questão defensiva, tornando-a muito mais consistente — a ponto de deixar o jogo frustrante para os novatos. Agora você tem que trabalhar com inteligência a sua linha ofensiva para tentar marcar.

Passar e fugir da marcação é relativamente fácil, porém, você deverá explorar todo o seu guia de jogadas para realmente envolver a defesa adversária e conseguir arremessar. A retranca pode aborrecer um pouco, mas o jogo é melhorpor contar com uma inteligência artificial aprimorada que realmente desafia o jogador.

Cestinha

Se a defesa está mais forte, o ataque está mais ágil. Os aprimoramentos na jogabilidade ofensiva são tão inteligentes quanto as melhorias feitas na parte defensiva. O esquema de controles — que não brilha com a mesma intensidade no teclado do computador — é ferramenta certa para furar o bloqueio adversário.

Img_normalAlém de poder driblar com facilidade, a combinação dos analógicos e gatilhos permite uma grande variedade de tipos de arremessos e técnicas de movimentação.

Você pode disparar de frente, saltando para trás, fazendo as tradicionais bandejas e enterradas e até mesmo inclinando o seu corpo para desviar da marcação adversária.

O realismo também se aplica a coerência tática do jogo. A maioria dos times reais possui um grandalhão no comando ofensivo, pois o ataque começa no bloqueio do adversário e na organização do contra-ataque, algo reforçado em NBA 2K11 pela importância dada ao sistema de cobertura dos oponentes.

Você poderá acompanha-los de perto ou de longe, pressionar os arremessos curtos ou se esticar para proteger os “chutes” de longe, e ainda pode variar seu posicionamento tático com um simples apertar de botão, chamando um segundo homem para ajudá-lo na cobertura.

Dentro da quadra

Os visuais e a apresentação geral do jogo são impressionantes. Quem está acostumado a ver os jogos da NBA na televisão, especialmente nas coberturas internacionais, terá a nítida impressão de que se está assistindo a transmissão de um jogo real — não tanto pelos gráficos em si, mas pela ambientação.

O clima da arquibancada e os comentários recriam com muita propriedade a festa da NBA — principalmente quando Michael Jordan está na quadra. Nos modos normais de jogo, os comentários são adequados, mas quando entramos na sessão dedicada a Jordan tudo fica melhor e mais “autêntico”.

Quicando na rede

NBA 2K11 é um belíssimo jogo, mas nem tudo é perfeito, a começar pelo multiplayer online. O lag é incômodo quando você está jogando contra apenas um jogador, mas quando você embarca no modo Team-Up — com suporte para dez jogadores — as coisas ficam impraticáveis.Img_normal

Cadê a bola?

A inteligência artificial está muito boa; mesmo assim, encontramos alguns erros simplesmente grotescos. Em um dos momentos mais ridículos, vimos o computador cometer uma falta primária, voltando para o setor defensivo depois de ultrapassar o meio da quadra.

Além disso, a defesa tende a ser “intensa” e as faltas são corriqueiras. Outro ponto irritante é a passividade dos jogadores durante os rebotes. Quando a bola está no ar, o computador simplesmente fica observando a bola em vez de tentar recuperá-la.

Mas tudo isso são questões que não prejudicam muito a apreciação final do jogo.

87 pc
Ótimo

Outras Plataformas

87 ps3
87 xbox-360