Um jogo apaixonante para quem sonhou um dia em ser herói.

Neverwinter Nights foi um jogo muito aclamado e atraiu muitos fãs, principalmente os fãs dos RPGs baseados em Dungeons & Dragons. Após o grande sucesso, surge a seqüência — Neverwinter Nights 2 — fundamentada nas regras 3.5 de Dungeons & Dragons, cuja principal característica é a adaptação para jogar em tempo real.

Neverwinter 2 é um RPG bem mais complexo em relação a muitos encontrados por aí. Em relação ao predecessor, houve muitas mudanças e melhorias. De maneira geral, merece destaque a abertura do jogo para um grande número de jogadores, facilitando muitas coisas. A liberdade de expressão também é muito grande, sendo possível tomar diversos rumos em quase todas as partes e seções; pode-se tomar decisões dependendo das habilidades de interação desenvolvidas pelo personagem. O game é uma continuação muito aguardada pelos fãs e, atualmente, a melhor representação de um jogo baseado em Dungeon & Dragons.

De carpinteiro a herói de Neverwinter?!

Antes de tudo começar, é necessário criar um personagem. Se é a sua primeira vez com este tipo de RPG, ou se não está familiarizado com as regras de Dungeons & Dragons, uma certa dificuldade e demora são certas (pelo menos meia hora ou mais) para conseguir criar seu personagem, devido ao grande número de opções a serem analisadas. Logo de início, percebe-se a complexidade do sistema e do que está por vir. Após escolher entre raça e variação, aparência física, classe, alinhamento, habilidades, deus regente, suporte, vantagens, penalidades e a voz para seu personagem, o jogo, enfim, começa.

Neverwinter Nights 2 apresenta uma história base bem conhecida para os jogadores de RPG. Tudo começa em um vilarejo distante, rural, onde nada acontece (soa familiar?). Mas tudo muda após um súbito ataque ao vilarejo que poderá levar o herói (ou heroína) do anonimato a um dos mais famosos heróis ou vilões de Neverwinter. Após ajudar a defender o vilarejo do ataque, você deve sair em busca de um fragmento de uma pedra mágica, e é aí que toda a trama começa de verdade.

O enredo do jogo parece bem clichê se observado de um ponto de vista superficial, contudo o desenvolver da história é super detalhado, intrigante e envolvente. Toda hora acontecem fatos novos e há várias opções de resposta nos diálogos (ou até mesmo para forçá-los), tornando o jogo super flexível. A história consegue realmente passar a sensação de que, a princípio, o mundo não mudaria muito sem a sua presença, tanto pelas quests quanto pela interatividade.

A campanha principal é estimada em cerca de 50 horas ou mais, fato raro e até surpreendente nos dias de hoje, principalmente se analisarmos jogos excelentes graficamente cuja duração se resume torno de 20 horas. Boa parte dessas 50 horas são reservadas para a parte final, talvez a mais desafiadora se considerarmos o jogo como um todo.

Detalhes gráficos  em desacordo com o hardware exigido

Neverwinter Nights 2 apresenta ótimo gráficos, com texturas bem trabalhadas e efeitos caprichados, principalmente em magias. O problema é que mesmo com todas as opções gráficas no máximo, o game não passa uma sensação de produção lapidada e preocupada com detalhes, dando a impressão de possuir texturas um pouco defasadas. Elas não chegam a ser ruins, mas poderiam ser melhores.

Apesar de possuir cutscenes com ângulos de câmera bem aproximados, é justamente nelas que é possível perceber algumas imperfeições e detalhamentos com um quê de artificialidade. A qualidade gráfica e o nível de detalhamento proporcionados não compensam a exigência de hardware para rodar o jogo razoavelmente bem.

Quando se cria o personagem, a personalização deixa a desejar. O sistema possui poucos tipos de rostos e quase nenhum é atraente e bem construído; assim também se sucede com os cabelos, tão comuns que é difícil chamar essa mesmice de "personalização".

Inteligência (?!) Artificial

A jogabilidade, em geral, é simples e dedutiva, com exceção da câmera (às vezes até irritante). Usar o mouse para ajustar o ângulo (ação executada pelo scroll, o botão do meio) pode causar problemas, independentemente do tipo de ângulo escolhido. Infelizmente, este ajuste é uma necessidade no decorrer do game.

O que decepciona mesmo é a IA (Inteligência Artificial) do jogo, principalmente de seus companheiros. É muito chato ter que jogar com a equipe toda em certas partes, um a um, porque seu mago não consegue deduzir que soltar fogo num monstro deste mesmo elemental não vai matá-lo; outra situação provável: após perder tempo e itens para usar seus buffs preferidos, seu companheiro de equipe usa uma magia de clean (limpar), retirando todos os seus bônus. Sem falar nos travamentos, bloqueios dos seus companheiros ou quando eles ficam parados do seu lado, olhando você apanhar (o lado bom é que, às vezes, isso acontece com inimigos também).

Apesar de tudo, a IA dá conta do recado na maioria dos problemas, salvo em algumas batalhas e situações. A dificuldade do jogo é progressivamente crescente, em particular no desfecho, e a única maneira de morrer é com a equipe toda sendo massacrada. Se apenas um sobreviver à batalha, todos os membros da equipe ressuscitam logo em seguida. Para quem não gosta de muita ação em tempo real, basta pausar o jogo e decidir as ações da equipe toda e “despausá-lo” para depois assistir a seqüência dos movimentos. Vale realçar que isso também pode ser feito naquelas partes onde a IA não ajuda muito.

Um aviso para fãs de RPG online é que a maior parte da experiência é adquirida através de quests. Outra forma de ganhar experiência é matar monstros, entretanto os resultados são significantemente menores do que nas quests. Além do quantidade de opções do jogo, ainda é possível criar armas, armaduras, escudos, poções e itens mágicos; obviamente há pré-requisitos.

Diálogos eloqüentes e êxtase sonoro

Quase todos os personagens possuem diálogos falados para todas as possibilidades de resposta, inclusive com direito a aproximações nas cenas, enfatizando o diálogo. Seus companheiros também possuem personalidades diferentes e vozes características, assim como opinam em algumas situações. O curioso é que se eles forem muito contrariados podem até se rebelar contra você.

A trilha sonora, em comparação com os gráficos, é um verdadeiro delírio. As músicas são bem criativas e apresentam alguns temas orquestrados, os quais formam um ótimo conjunto com o jogo e salientam a aventura, principalmente nas horas de combate intenso e partes dramáticas do enredo.

AD&D na veia!

Desde o primeiro título da série, o modo multiplayer sempre foi um dos pontos fortes; já no segundo, não podia ser diferente: pode-se jogar com até 4 jogadores em LAN ou na comunidade online do jogo. O destaque é o Editor, opçaõ para criar seus próprios mapas e aventuras com grande variedade de ajustes, onde o limite é a imaginação.

A campanha do singleplayer pode ser jogada em modo cooperativo (online) e há diversas regras passíveis de imposição quando se cria o jogo, como nível limite e restrições de itens. Como ressalva, é válido citar que o único problema é a necessidadede de começar tudo do zero novamente.

Neverwinter Nights é um jogo famoso e bem conceituado, ganhador de muitos prêmios e considerado um dos melhores RPGs para computador. Esta versão possui algumas falhas técnicas, que não prejudicam a jogabilidade em si. Devido ao alto grau de complexidade pode até espantar quem está procurando conhecer o gênero, justamente pelo número de opções e detalhes minuciosos. Por outro lado, é um título recomendadíssimo para os viciados em RPG, para jogadores mais casuais ou os fãs de AD&D.

83 pc
Ótimo