Ryu Hayabusa brutaliza em um game nostálgico e repleto de ação.

Qualquer gamer com mais de 20 anos que se preze deve conhecer ou pelo menos ter ouvido falar das histórias de Ryu Hayabusa, lendário ninja herdeiro da Linhagem do Dragão. Ryu vem obliterando inimigos desde os primórdios dos vídeo games, consolidando uma das séries sobre ninjas mais aclamadas de todos os tempos, Ninja Gaiden.

Ninja Gaiden debutou nos arcades, no final da década de 80, mas só se tornou popular com uma versão para o console de 8-bits da Nintendo, console conhecido como “Nintendinho”. O jogo era carregado por uma ação intensa em plataforma, música cativante e uma jogabilidade peculiar que se tornou característica do game. Além disso, foi o primeiro jogo para consoles com animações cinematográficas.

Após o sucesso da trilogia no Nintendinho, Ninja Gaiden migra em um porte para o Super Nes, em 1995. Em 2004, um novo título, nomeado simplesmente de Ninja Gaiden, chegava exclusivamente ao Xbox, primeiro console da gigante Microsoft. Desenvolvido pela Tecmo, o jogo com a ação da série migrada para três dimensões logo se tornou um sucesso, tanto nas vendas como na aclamação do público, ganhando versões refeitas e portadas para outros consoles (PS3).

Após quatro anos, Tomonobu Itagaki, responsável também pela criação de série Dead or Alive, lança a continuação da série sobre violento e preciso Ryu Hayabusa na nova geração com Ninja Gaiden II para Xbox 360. Toda a ação presente em Ninja Gaiden, com algumas adições, volta a ensangüentar os consoles. Caso tenha jogado e gostado da versão original para Xbox, sem dúvida irá se identificar com a fórmula aprimorada.

Entretanto, caso seja um novato na série e queira experimentar algo que é novo e, ao mesmo tempo, clássico, não deixe escapar Ninja Gaiden 2, um jogo violento, com ação onipresente em todos os atos e com muitas armas para deixar seus inimigos literalmente em pedacinhos.

A lenda da Linhagem do Dragão

A história pode até parecer somente uma desculpa para que Ryu possa rasgar e aniquilar seus inimigos. Com um roteiro meio “sem pé nem cabeça”, o jogo até apresenta um plano de fundo aceitável, mas a sede de sangue é muito maior e faz com que o jogador deseje ação e não complementos. Várias animações cinematográficas ajudam a esclarecer a trama, contando acontecimentos e fatos sobre a lenda da Linhagem do Dragão.

Um dos Archfiends de Ninja Gaiden 2. O plano de fundo para o derramamento de sangue envolve dois elementos principais, os Dragons (Dragões), criaturas ferozes filhas da mãe-terra, e os Archfiends (Demônios), seres nascidos da essência do ódio que desejavam dominar a terra. Ambos lutavam brutalmente uns contra os outros, até que então, os Dragons se sobressaem como vencedores e conduzem os Archfiends às profundezas da terra, trancando-os para sempre.

Com o tempo, os Dragões acabam desaparecendo deixando vivo apenas um legado. O sangue destes seres filhos da mãe-terra corre no sangue dos mais fortes da raça humana. Os membros desta linhagem, a Dragon Lineage (Linhagem do Dragão), juraram manter o mundo em harmonia, livre do mal causado pelos Archfiends. Seus descendentes modernos são os membros do Hayabusa Ninja Clan (Clã Ninja Hayabusa) e continuam a manter o juramento antigo.

Um dos membros do Clã é Ryu Hayabusa, o jovem e mortal ninja portador da Dragon Sword (Espada do Dragão), lendária arma entalhada no dente de um Dragon que, unida ao Eye of the Dragon (Olho do Dragão) tem sua verdadeira força revelada. Além da espada, outro objeto sagrado para os membros do Clã é a Demon Statue (Estátua do Demônio), responsável por selar os Archfiends ao repouso eterno.

Membros do Black Spider Ninja Clan (Clã Ninja Aranha Negra) estão em busca do artefato sagrado. O objetivo? Ressuscitar os seres mais avassaladores que o mundo já viu — os Archfiends —, e acabar com o restante da Dragon Lineage.

Algumas vantagens visuais

A animação exibida logo no começo do jogo traz também uma nova personagem, Sonia, a belíssima e avantajada agente da CIA, que está em busca de Ryu, pois tem assuntos importantes, e nada românticos, que só podem ser resolvidos com a ajuda do membro do Clã Ninja Hayabusa.
Sonia esbanja vantagens.
A agente da CIA então vai até o Japão, país em que Ryu vive, em busca do ninja. Ao entrar, com pouquíssima roupa e muita beleza, no mercado de Muramasa em busca de respostas, Sonia é logo intimidada pelas forças malignas. Mesmo com suas pistolas, a agente não dá conta do recado. É aí que entra em ação o ninja açougueiro Ryu Hayabusa.

Logo de cara percebemos o quão bem detalhado os personagens são. Mesmo utilizando uma engine similar a usada em seu predecessor, Ninja Gaiden 2 demonstra-se atual, com gráficos bons, principalmente em relação a modelagem e as texturas de inimigos e demônios que habitam o game. Já o ambiente poderia conter alguns retoques a mais, pois, em alguns momentos, o local em que Ryu luta não apresenta as mesmas qualidades que Sonia e outros inimigos.

Mas não se preocupe. Pernas, cabeças e braços estarão visivelmente voando pelos ares de uma maneira bem feita e “agradável”. O sangue também é um fator preponderante em Ninja Gaiden 2. Onipresente em quase todo o momento do jogo seja na cor vermelha ou verde, a substância jorra e decora as paredes criando o visual predileto de Ryu após batalhas vitoriosas.

Sou um ninja e não desisto nunca!

A ação resume-se a batalhas sangrentas e difíceis que remetem aos tempos antigos dos vídeo games. A dificuldade é um dos fatores que também domina o jogo. Muitos jogadores poderão até reclamar da dificuldade proposta pelo game, já que, muitas vezes, o gamer terá de tentar várias vezes até conseguir derrotar o inimigo. Isso pode ser um fator positivo, pois a sensação de domínio sobre o jogo aumenta a cada combate.

Entretanto, logo após se sentir “o cara” por derrotar alguns inimigos persistentes, a dificuldade volta a aparecer, de forma mais brutal e grandiosa. Isso faz com que o jogador tenha de provar, novamente, para si mesmo que possui competência para continuar no game e amplia o tempo de jogo. Sensação nostálgica, pois muitos games antigos da série também tinham sua dificuldade elevada. Raramente encontramos jogos com tamanha dificuldade na atualidade.

Muitas dificuldades serão encontradas no caminho de Ryu.

Para desvanecer o excesso de dificuldade e voltar aos tempos modernos, Ryu agora encontrará pontos de save com mais freqüência em relação ao título predecessor. Além de salvar, o jogador também terá sua saúde (health) regenerada por completo, aprontando-o para novas batalhas. Sua saúde também é regenerada ao terminar uma batalha de grande porte. Entretanto, um medidor vermelho embutido ao medidor de saúde demonstra a parte que não pode ser regenerada automaticamente após o conflito.

Contudo, a dificuldade provavelmente não será nenhum problema, mesmo para jogadores não tão “hardcores”, pois junto com cada conflito vencido com suor também chegarão novas armas e elementos para alimentar a sede de sangue do jogador. O jogador também tem a chance de escolher entre vários níveis de dificuldade, mas mesmo o mais fácil pode ser bem difícil.

Acrobacias incríveis

Quando se fala em ninja, a maioria das pessoas imagina um ser extremamente habilidoso. Ryu Hayabusa com certeza faz jus ao nome. Suas habilidades são de dar inveja até mesmo a Altaïr, protagonista de Assassins Creed. Ryu é uma das pessoas que não necessita de um elevador para chegar a locais altos e, muito menos, de escadarias.

Olha só o que eu sei fazer! O ninja saltita por corredores verticais até chegar ao topo, pula de prédios e plana no ar, corre pelas paredes, pendura-se e balança-se em barras e, o melhor de tudo, é capaz de andar sobre a superfície da água. Todas essas ações serão essenciais para a sobrevivência do ninja do Clã Hayabusa.

Isso torna a experiência ainda mais divertida, já que a diversidade de movimentos também influencia em combates, permitindo que o jogador acabe com os inimigos utilizando diversas combinações acrobáticas.

Armas e mais armas!


O sistema de combate sofreu algumas pequenas alterações, mas não muito significativas em relação ao jogo anterior. Isso pode ser visto como um ponto positivo ou negativo no jogo, já que muitos fãs não verão problemas com o sistema de combate presente em Ninja Gaiden 2. Caso não seja um fã de carteirinha da série, não se desespere, pois encontrará uma jogabilidade excelente, repleta de combinações e armas e intuitiva.

Vai encarar, feioso?As pequenas novidades abrangem o novo e gigantesco arsenal e outros detalhes. Armas novas, e alucinantes, como as Falcon Talons (Garras do Falcão), afiadíssimas garras presas aos pés e mãos de Ryu, e a gigantesca e impiedosa Scythe (Foice) tornam a experiência ainda melhor que em seu antecessor. Você ainda terá a chance de realizar várias combinações de golpes diferentes, instruídas no menu de pausa, para incrementar a ação e diversificar os movimentos marciais do ninja Ryu.

Todas as armas ainda podem ser aprimoradas até duas vezes. Ao pagar para incrementar o poder de sua arma, o seu desenho muda e mais combinações são aderidas à lista. Existem também os ataques especiais, conhecidos como Ninpo. Estes abrangem uma série de ataques diferentes e são extremamente potentes, seja para atacar um ou vários inimigos. Os Ninpos também podem ter seu poder aprimorado.

Fora as armas de combate corpo a corpo e os ataques especiais, existem também as armas com projéteis. Estas são menos poderosas que as citadas anteriormente, porém, podem ser muito úteis para enfraquecer e atrasar alguns inimigos. A variedade de armas com projéteis também é grande, variando desde shurikens e arcos até canhões submarinos. Algumas serão essenciais para derrotar alguns inimigos específicos como chefes e outras criaturas.

Algumas pessoas simplesmente perdem a cabeça.

Algumas armas são adquiridas em jogo, já outras tem de ser compradas através da loja do famoso mestre Muramasa. A variação de armas pode ser facilmente explorada em jogo com a ajuda de um menu prático acionado através do controle direcional. O jogador também pode optar em pausar o jogo, conferir seu arsenal com mais calma e verificar qual combinação de golpes irá utilizar para exterminar a horda de inimigos que o cerca.

Exterminando sem piedade

Ao decorrer do game, você cortará muitos membros dos inimigos. Mas irá impedi-los de tentar dar um fim ao ninja do Clã Hayabusa. Habitualmente os inimigos ser arrastarão, mesmo sem um braço ou uma perna, em direção a Ryu, esperançosos para dar o golpe final ao ninja. Caso isso aconteça, você perderá uma boa quantia de saúde após presenciar seu inimigo realizando um ataque com direito a animações em Ryu.

Entretanto, é possível impedi-los através de finalizações chamadas obliterações. Esta adição ao game é um golpe final, exibido de maneira cinematográfica. Ao avistar um inimigo desmembrado, basta aproximar-se do individuo e pressionar o botão Y para que Ryu dê um fim doloroso ao seu adversário.

Além disso, ao segurar o botão Y por alguns segundos, Ryu desferirá uma combinação extremamente longa e mortal de golpes em um inimigo, fazendo com que várias partes do adversário acabem espalhadas pelo ambiente.


Os inimigos nem sempre poderão dar uma mãozinha a Ryu, pois, existem armas não tão afiadas que simplesmente explodem as partes do corpo dos adversários. Você encontrará ninjas humanóides, monstros infernais, morcegos e até mesmo zumbis equipados com uma serra elétrica e um canhão.

Os gigantes chefões não são nada fáceis de derrotar. Estes seres esquisitos, que aparentam ter surgido de um mundo inimaginável, não possuem qualquer sinalização em seu corpo que indicam o ponto fraco do monstrengo. Alguns ainda trazem algumas surpresas nada agradáveis que levam o jogador à morte.

A defesa é o melhor ataque!

Existem momentos em que o jogador se vê completamente cercado por inimigos e monstros sedentos para dar um fim a Ryu. É aí que a defesa se torna essencial para a sobrevivência do protagonista. Ao se defender, Ryu pode evitar vários tipos de ataques, desde agressões corpo a corpo até ataques com projéteis. Além disso, é possível realizar contra ataques realmente eficientes contra inimigos que desferem golpes perto de Ryu.
Depois da defesa vem o ataque!

Inimigos também se defendem com freqüência e, para piorar, alguns conseguem quebrar a defesa do ninja do Clã Hayabusa. Ao quebrá-la, o jogador se torna aberto para ataques inimigos. Para escapar em momentos como este é necessário usar e abusar da esquiva de Ryu, aplicada através do botão LT. Além de livrar Ryu de momentos apertados, a esquiva também é muito útil para deixar chefes e inimigos desferindo golpes no ar.

Sangue, câmera, ação e alguns problemas

Momentos de tensão e sufoco podem ser gravados em um novo sistema denominado Ninja Cinema. O novo modo permite que o jogador grave e salve em seu disco rígido longos períodos de combate que podem ser visualizados a qualquer hora. Para acionar, basta ir até o menu de opções e selecionar a opção. A cena será dividida em pequenas partes determinadas pelo momento em que o jogador aciona uma das várias estátuas de dragões.

O Ninja Cinema grava momentos alucinantes! Contudo, o sistema é simples e sem muitas opções. Além de gravar e rever os vídeos, Ninja Cinema permite que o jogador compartilhe suas cenas com o restante do mundo. Fora isso, o jogo também permite que o jogador envie sua pontuação a um ranking do sistema Xbox Live. Infelizmente o sistema online do jogo poderia ter sido explorado melhor, pois não existe a possibilidade de jogar com ou contra seus amigos, o que acaba tornando-se um dos fatores que deixam a desejar em Ninja Gaiden 2.

Outro dos problemas de Ninja Gaiden 2 está relacionado com as câmeras em jogo. Estas podem confundir o jogador caso este ainda não tenha dominado completamente o recurso. Muitas vezes o jogador pode acabar atacando por intuição, já que a câmera atrapalha em alguns momentos no combate, fazendo com que inimigos cubram a visão do jogador. Mas nada muito sério, algumas espadadas à cega e um pouco de tempo para aprender a dominar a perspectiva devem solucionar o problema.

A trilha sonora fica a cargo de melodias temperadas por guitarras, mas nada muito impactante. O interessante mesmo são o barulho dos passos dos inimigos se aproximando com velocidade e o som de suas carnes sendo dilaceradas pela espada de Ryu Hayabusa. O protagonista poderia ter mais diálogos, mas entendemos que Ryu teve uma infância difícil e muito complicada. Quando os diálogos aparecem, demonstram-se bem feitos de com boas dublagens.

O golpe final

Ninja Gaiden 2 é um excelente jogo com as mesma proporções, entretanto aditivadas, de seu antecessor. O jogo não chega a inovar, mas traz muita ação em uma dificuldade que desafia até mesmo os jogadores mais “hardcores”. Ryu Hayabusa demonstra-se mais violento do que nunca, com vários ataques novos e uma série de acrobacias que incrementam a ação contínua do jogo.

Mesmo com alguns pequenos pontos fracos e com uma engine idosa, Ninja Gaiden 2 não deixa a desejar, trazendo horas e horas de jogo intenso e repleto de desmembramentos. Uma aquisição essencial para àqueles que tiveram consoles com gráficos em duas dimensões ou para quem deseja muita ação sem meias palavras.

Ryu Hayabusa consolida a franquia na nova geração.
91 xbox-360
Excelente