O triunfo da imaginação

Para quem ainda não conhece Papo & Yo, lançado originalmente em agosto do ano passado para PlayStation 3, a dedicatória de seu criador, Vander Caballero, presente no início do jogo dá uma grande dica: “À minha mãe, meus irmãos e irmã, com quem sobrevivi ao monstro em meu pai”.

Chegando agora ao PC, Papo & Yo conta a história de Quico, um garoto que ouve o tempo todo estar amaldiçoado. Durante os seus passeios pela favela em que vive (a qual se mostra um ambiente vivo com a ajuda de sua imaginação), o garoto é acompanhado de Lula, seu brinquedo favorito. Ao mesmo tempo, ele ainda pode encontrar Monster – uma criatura benevolente e dócil, mas que se torna extremamente violenta quando entra em contato com uma espécie venenosa de sapo.

Como é possível deduzir, Papo & Yo é uma história que, se não exatamente autobiográfica, inspira-se fortemente na infância de Caballero. A partir disso, o título consegue criar uma narrativa única e bastante emocionante. Acompanhe maiores detalhes em nossa análise a seguir.

Papo & Yo se destaca pela sua proposta inovadora e narrativa extremamente pessoal. É bastante interessante ver projetos independentes como este em meio às dezenas de sequências que chegam ao mercado todos os anos.

Enquanto a versão do PlayStation 3 tinha o problema de ser um pouco truncada, a maior parte dos problemas técnicos desapareceram nessa versão do PC. Desse modo, a plataforma é a mais indicada para os curiosos que desejam conhecer a relação de Quico e Monster.

Assim, se já valia a pena conferir Papo & Yo no PlayStation 3, as cerca de 8 horas de jogo são mais que indicadas na versão do PC. Dê uma chance a Papo & Yo e encontre uma experiência bastante diferente daquelas a que você está acostumado

Uma relação de abuso

O trabalho de Caballero com o tema de como um vício pode ser perigoso é incrível. Apesar do visual colorido e de todos os recursos imaginativos apresentados durante a viagem de Quico, os momentos em que Monster ignora o garoto para ingerir um sapo não poupam na retratação dos abusos e da violência.

Img_normalO jogo é baseado em sua maior parte em desafios e quebra-cabeças nos quais Quico precisa trabalhar com o cenário para continuar a aventura. Na primeira vez que Monster ingere um sapo, contudo, tudo muda. Literalmente queimando de raiva, a criatura ataca tudo o que estiver em seu caminho – inclusive Quico, caso este não consiga fugir a tempo.

Enquanto em muitos momentos é possível jogar sapos nas paredes, fazendo-os explodir, ou jogá-los longe (como uma criança que esconde a bebida de um pai alcoólatra), eventualmente haverá momentos em que será preciso enfrentar Monster.

Img_normalE mesmo com essa criatura tornando tudo tão difícil, é difícil criar concepções a seu respeito. Haverá momentos de raiva e de resignação, mas o principal sentimento é de dúvida. O que pensar a respeito desse monstro? Porque Quico permanece ao seu lado? E a verdadeira graça de Papo & Yo reside justamente na evolução desse conflito.

Imaginação é poder

Durante todo o game, Quico precisa atravessar de uma área a outra do game resolvendo diferentes puzzles ativados pela sua imaginação. Há de tudo, desde portais feitos de giz que levam a outras regiões até caixas que, quando movimentadas sobre uma amarelinha, movimentam casas da região e criam passagem para Quico.

Img_normalAlém de ter de encontrar os diferentes mecanismos de giz espalhados pelo bairro, o protagonista ainda conta com a ajuda de Lula, seu fiel boneco. Do mesmo modo como uma criança dá poder a seus brinquedos com a ajuda da imaginação, o mesmo acontece com Lula.

Equipado com foguetes propulsores, Lula pode ajudá-lo a atravessar grandes distâncias ou a alcançar alavancas até então inalcançáveis. Tudo isso cria um ambiente de puzzles verdadeiramente fascinante e encantador.

Em sua maior parte, os puzzles são bem fáceis de serem resolvidos, exigindo apenas um pouco de exploração. Caso alguém fique enrascado em alguma parte, contudo, há caixas que oferecem dicas que facilitam ainda mais a sua solução – um recurso que não deixa ninguém perdido.

Ambientação familiar

É interessante notar como Papo & Yo pode parecer incrivelmente familiar para os públicos brasileiro e latino-americano. Toda a história se passa em um conjunto de casas dispersas desordenadamente que poderiam ser encontradas em diversas cidades do continente. Ao mesmo tempo, graffitis coloridos e a trilha sonora contribuem bastante para conferir essa identidade ao jogo – algo que aprofunda ainda mais a ambientação de Papo & Yo.

Imperfeições lapidadas

Um dos maiores problemas da versão original de Papo & Yo para o PlayStation 3 encontrava-se em sua parte técnica. Problemas como o clipping (como é chamado o defeito gráfico em que objetos se atravessam) e o sumiço da sombra do protagonista criavam algumas das maiores dores de cabeça para o jogador.

Felizmente, a versão para PC conseguiu corrigir a maior parte desses problemas, tornando a experiência tão agradável como deveria ser. Graças a todas as melhorias técnicas, é possível apreciar ainda mais os ambientes coloridos do jogo, sem distrair-se com defeitos bizarros e mecânicas problemáticas.

Controles fluidos

Quando jogos lançados originalmente nos consoles são transpostos para o PC, uma das maiores preocupações para boa parte dos jogadores é descobrir se o teclado oferece comandos tão confortáveis como no joystick. Por sorte, em Papo & Yo a adaptação foi bem feita.

Enquanto utilizar um joystick ainda funciona bem, quem prefere a velha combinação de teclado e mouse pode encontrar comandos já padronizados que funcionam bem para controlar Quico em sua jornada.

Mais uma casa andarilha?

A história de Papo & Yo é relativamente curta e interessante. Durante a jornada em que lida com os problemas de Monster com os sapos, Quico precisa resolver diversos puzzles que envolvem mudanças radicais nos cenários, como casas criando pernas ou barracos empilhando-se para criar uma grande torre.

Nenhum dos puzzles, no entanto, exige demais dos jogadores. Ao mesmo tempo, conforme Quico avança em sua jornada é possível reencontrar as mesmas mecânicas: mova essas casas para o lado de novo, crie barracos flutuantes mais uma vez – atividades que poderiam tornar o jogo mais maçante caso ele durasse mais algumas horas.

85 pc
Ótimo

Outras Plataformas

80 ps3