Uma volta ao local de um crime bem conhecido

Lançado em 2011, Payday: The Heist nos mostrou uma visão pouco usual ao mundo dos jogos eletrônicos, colocando o jogador no papel de um criminoso cujo único objetivo era conseguir dinheiro. Nada de motivações nobres, histórias complexas ou situações que justificassem suas ações: era basicamente matar ou morrer enquanto você esperava que um cofre fosse explodido ou que a polícia trocasse seus companheiros por reféns.


Dizer que Payday 2 mantém exatamente a mesma fórmula não seria nenhum exagero, mesmo que isso não seja exatamente uma crítica ao jogo. Preservando a mecânica que consagrou seu antecessor como um grande título multiplayer, o novo game da OVERKILL (divisão da Starbreeze) amplia conceitos de forma a tornar a experiência ainda mais divertida — mesmo que não exatamente original.

O game é constituído por uma série de missões com dificuldade variada nas quais seus objetivos variam entre roubar o cofre de uma agência bancária até destruir completamente uma loja que está devendo “dinheiro de proteção”. Todas as aventuras são feitas com o auxílio de até três companheiros, que podem ser controlados tanto pela inteligência artificial quanto por outras pessoas (opção que exige uma conexão com a internet).

Caso você seja o tipo de pessoa que gosta de jogar de forma solitária, passe longe de Payday 2. O jogo claramente foi feito para ser aproveitado junto a outras pessoas em partidas online, que é quando ele revela seu verdadeiro potencial. Já em seu modo single player, o game não possui nenhum atrativo, contando com uma inteligência artificial que vai fazer você querer jogar seu controle ou teclado em direção à parede mais próxima.

Dito isso, o título oferece uma boa dose de diversão, especialmente se você tem como garantir que seus amigos tomem controle dos demais personagens que participam de uma missão. Tentar novas táticas para encarar os desafios que surgem pelo caminho se mostra uma atividade bastante envolvente, especialmente quando cada um dos participantes investe em especializações complementares àquelas que você escolheu.

Img_normal
No entanto, vale notar que o game não se sustenta a longo prazo, ficando repetitivo caso seja jogado durante muitas horas seguidas. No entanto, isso pode ser ignorado caso você leve em consideração que o título possui um escopo e preço reduzido (média de R$ 50) em relação a títulos considerados AAA.

Em resumo, Payday 2 não é exatamente a melhor experiência FPS disponível no mercado, mas não deve decepcionar quem decidir experimentá-lo. Caso você não seja um fã de jogos competitivos e tenha alguns amigos à disposição, o título é garantia de algumas tardes bastante divertidas — só não acredite que você continuará falando sobre ele daqui a alguns meses.

Faculdade do crime

O ponto que mais diferencia Payday 2 do jogo que deu origem à série é a adição de um modo de níveis através do qual você personaliza seu personagem. O game apresenta quatro árvores de habilidades diferentes através das quais é possível se especializar em determinados tipos de ação.

Img_normal
Enquanto no começo da aventura você tem que desempenhar todos os papéis possíveis (de maneira medíocre), em questão de pouco tempo é possível se especializar em explosivos ou aprimorar sua agilidade ao lidar com armas de fogo. Além de garantir uma maior personalidade aos jogadores, isso faz com que as partidas ganhem muito em variedade.

A adição mais interessante é a classe “Ghost”, que abandona os combates diretos para favorecer atitudes mais sutis e disfarçadas. Um membro dessa classe não só pode passar despercebido por guardas, como se mostra extremamente útil para desativar mecanismos de segurança e impedir que alarmes sejam disparados.

Img_normal
Felizmente, o game não limita você a cumprir um único papel, permitindo a mistura entre habilidades presentes em diferentes árvores. No entanto, é preciso ficar atento para investir somente nas opções que realmente se adaptam a seu estilo de jogo, já que os pontos necessários para isso ficam condicionados ao nível que seu personagem possui.

Trabalho cooperativo

Um ponto que diferencia Payday 2 de outros games de tiro modernos é o fato de o jogo dar mais prioridade ao trabalho cooperativo do que aos confrontos entre seus jogadores. Isso significa que, durante as partidas, vale muito mais a pena se preocupar com a segurança de seus companheiros do que sair correndo e atirando ao maior estilo “Rambo”.

Img_normal
Para se certificar de que haverá cooperação entre os jogadores, o título possui um sistema de pontuação baseado em ações como reviver aliados ou se assegurar de que todos vão chegar vivos ao final da missão. Com isso, você realmente passa a se preocupar em trabalhar junto com os outros em vez de simplesmente se preocupar em assegurar a integridade física de seu personagem.

Vale notar que a experiência é mais bem aproveitada caso você esteja jogando com amigos ou pessoas que já conhece. Embora isso não tenha sido frequente durante as partidas online de que participamos, o game possui alguns jogadores que não se importam nem um pouco em seguir suas regras, algo que pode condenar totalmente o desenvolvimento de uma missão.

Jogabilidade precisa

Em um mercado no qual diversos games tentam inventar sistemas bizarros para chamar a atenção, Payday 2 prefere se ater a uma fórmula básica que funciona muito bem. Contando com somente duas armas (que podem ser personalizadas com acessórios), o jogador pode realizar facilmente ações como correr, atirar ou pular graças às respostas rápidas que o título dá a cada um de seus comandos.

Img_normal
Assim, além de não ter que se preocupar com o aprendizado de movimentos bizarros (e nem sempre úteis), você tem a garantia de que vai conseguir fazer o que deseja na hora em que isso for necessário. Vale notar que, no PC, o game adota uma organização de comandos ligeiramente diferente, algo que pode ser facilmente modificado através das configurações do título.

Single player para quê?

Mesmo que você não tenha amigos jogando Payday 2 ou não possua nenhuma experiência no jogo, recomendamos passar longe do modo single player. Além de não contar com a interação única das partidas para múltiplos jogadores, essa opção está tomada por bots cuja inteligência artificial não é mais que patética.

Img_normal
Embora isso também esteja presente no modo online (na forma das ondas de policiais que tentam deter seu avanço), somente quando o controle de seus companheiros é tomado pelo “computador” é que você nota o quanto o jogo peca nesse sentido. Embora eles sejam eficientes em atirar em tudo o que se move, não espere que eles sejam capazes de ajudá-lo a bolar uma invasão silenciosa ou de se esconder de inimigos que estão a um palmo de distância.

Isso torna a experiência extremamente frustrante, já que em nenhum momento você fica com a segurança de que há alguém ajudando a completar a missão. Dessa forma, o modo single player só é recomendado para quem não se incomoda em ficar atuando como a babá de modelos tridimensionais que mal conseguem se virar sozinhos.

Repetição

Embora Payday 2 ofereça diversas espécies de roubos para você realizar, na prática eles se desenrolam de maneiras muito semelhantes entre si. O que difere roubar um cofre de um banco de saquear uma loja é meramente o ritmo como você adquire os itens de que necessita — enquanto no primeiro é preciso esperar que uma porta seja arrombada, no outro basta quebrar vidros de proteção.

No entanto, em ambos os casos o jogo exige que você espere um tempo considerável até que a missão possa ser cumprida, seja para esperar um carro de fuga ou para aguardar que um helicóptero chegue até o local. Enquanto isso, é preciso se esconder e derrotar diversas ondas de policiais que surgem pelos mais diversos campos do mapa.

Img_normal
Essa semelhança entre as fases faz com que o game logo se torne monótono, fazendo com que você desista de participar de atividades diferenciadas. Afinal, para que aterrorizar um pequeno shopping se roubar uma loja de luxo funciona exatamente da mesma maneira e rende mais recompensas?

Para colaborar com a sensação de monotonia proporcionada pelo título, você nunca chega a sentir que aquilo que está fazendo possui alguma urgência. Por mais difícil que seja o nível de dificuldade escolhido, o jogador nunca vai se sentir aflito enquanto desempenha sua missão, tampouco se sentir ameaçado pelos inimigos — que acabam vencendo mais pela grande quantidade do que pelas suas habilidades.

70 pc
Bom

Outras Plataformas

70 ps3
70 xbox-360