Um glorioso RPG japonês que aproveita todo o potencial do Vita

Persona 4 Golden é um jogo que foi originalmente lançado no ano de 2008 para o PlayStation 2, chegando em julho no Japão e cinco meses mais tarde nos Estados Unidos. Também chamado de Shin Megami Tensei: Persona 4, o título faz parte das séries Persona e Shin Megami Tensei, que se confundem ao longo da história das franquias criadas pela Atlus.

SMT: Persona é uma saga de role playing game clássica, com batalhas em turnos e com enredos sempre sérios e impactantes. Aliás, além dos games, Persona também está presente no mundo dos animes e mangás, sendo que todas as histórias são sempre baseadas nos jogos.

Persona 4 Golden se ambienta em uma pequena cidade fictícia, chamada Inaba. O local fica no interior do Japão e a característica mais chamativa do lugarzinho a instabilidade temporal. Em outras palavras, o tempo está sempre oscilando entre sol e chuva, quando não há uma espécie de névoa densa que aparece logo depois dos dias chuvosos.

É justamente esse fenômeno que encabeça uma série de bizarros acontecimentos, que acabam sendo percebidos por alguns alunos de uma escola secundária – justamente onde você entra na história. Assim, você assume o controle de um estudante do ensino médio que precisa encontrar o equilíbrio entre os estudos, vida social amorosa, além de aprender mais sobre sua própria família.

Um pouquinho de contextualização

No entanto, assim que o jovem chega à cidade, ele acaba sendo quase forçado a investigar a tal série de misteriosos assassinatos que estão acontecendo. Devido a uma lenda urbana de que uma pessoa pode ver sua alma gêmea ao olhar para o final da transmissão de um determinado canal de televisão (que só transmite depois da meia-noite), você descobre que pode entrar na TV e acessar um mundo inteiramente mágico e perigoso.

Img_normal

Assim que uma de suas amigas desaparece e você a vê no mundo da TV, sua investigação começa a acontecer para saber se as mortes podem ou não estarem relacionadas a esse misterioso mundo. Mas é bom ter em mente que, seja derrotando criaturas sombrias ou fazendo o trabalho escolar, todas as decisões que você toma afetam como os outros lhe enxergam, como você vê a si próprio e como você consegue construir laços entre amigos.

Bom, depois de tanta explicação, instrução e tudo mais, será que vai valer a pena investir um dinheiro nesse game de PlayStation Vita? Vamos conferir.

Enfim, Persona 4 Golden é realmente a glória dos RPGs intelectuais e bem construídos de uma geração, que desembarca com o pé direito na seguinte. Além de manter todas as qualidades que consagraram a franquia como sendo uma das principais séries de todo o Japão, o título consegue utilizar o poderio do hardware do PlayStation Vita para exibir qualidades de áudio e imagem jamais vista nos consoles anteriores.

Img_normal
Persona 4 é um ótimo game, no sentido mais abrangente que o termo possa significar. Pode esperar muitas dezenas de horas de diversão, nas quais as emoções vão tomar conta de sua jogatina — passando pelas surpresas que a história reserva e pelo elevado nível de dificuldade das batalhas.

No entanto, o requisito primordial para jogar Persona 4 Golden é apenas um, mas muito rígido: é preciso ser um amante deste tipo de jogo. Trata-se de uma vertente de game que precisa ser compreendida profundamente e que requer muitos momentos de paciência para ler e de atenção para o acompanhamento dos eventos.

Enfim, se você tem um PS Vita ou se é amante dos RPGs clássicos (e JRPGs), Persona 4 Golden é compra obrigatória!

Gráficos, sons e dublagens

O nome da fera é Shoji Meguro. Trata-se do produtor musical da maioria dos games das franquias Shin Megami Tensei e Persona. Após um período longe dos RPGs japoneses, o magnífico compositor voltou aos trabalhos com a Atlus para abrilhantar a partitura sonora de Persona 4 e, por conseguinte, de Persona 4 Golden — no PlayStation Vita.

As músicas do título são realmente empolgantes durante as batalhas, pois a agitação proporcionada pelas canções faz com que os conflitos sejam mais emocionantes. Essa foi uma das maneiras de tornar as batalhas em turno mais ágeis e não deixá-las com tanta cara de partida de xadrez (no que diz respeito ao tempo de estratégia para cada movimento).

Img_normal

Outro quesito incrível são as dublagens dos personagens. Cada participante de sua equipe de batalha é caracterizado por uma personalidade realmente muito marcante. Por essa razão, não só as vozes propriamente ditas, mas as maneiras com que eles falam e agem deixam a aventura muito mais perfeita. Você acaba caindo em algumas peças que o jogo prega justamente por causa da qualidade com a qual esse quesito é feita.

Jogabilidade RPG de turnos x Simulador de vida

O game toma parte de uma jogabilidade clássica dos RPGs convencionais, com as batalhas sendo ocasionadas pelo encontro de seres das sombras com o personagem principal. Os confrontos são travados em ambientes praticamente estáticos, enquanto cada personagem presente em uma luta precisa esperar sua vez de se movimentar. Mesmo que o jogo não seja exatamente novo, podemos dizer que ele encerra um hiato de “RPGs de turno” nesta geração de consoles.

Ao mesmo tempo, o protagonista é uma pessoa normal e, como tal, precisa estabelecer relações com outras pessoas, estudar, frequentar as aulas e principalmente ter um bom relacionamento familiar. Tudo isso é abordado de uma maneira quase única em Persona 4 Golden, já que ambas as jogabilidades estão intrinsecamente conectadas.

Img_normal

Cada vez que você estabelece links com outras pessoas, você é presenteado com novas cartas que podem ser transformadas em fontes de poder para sua persona. Além disso, o aumento de posição no “ranking social” também ajuda na criação e no aumento do poder de novas personas.

Exemplo de história linear sem ser cansativa

A exemplo da maioria dos jogos de RPG, um dos pontos mais interessantes de Persona 4 Golden é o conteúdo da história entregue durante toda a aventura que o gamer vive. Do comecinho da jogatina até o final, é possível que mais de 60 ou 70 horas tenha se passado. E, por mais incrível que pareça, o enredo consegue se manter intenso praticamente em todos os momentos.

Img_normal

É uma infelicidade não poder comentar alguns pontos mais marcantes da história, sob o perigo de entregar algum spoiler capaz de estragar alguma surpresa.

Tempo de aprendizagem: para sempre

Pois é, quem já é fã de RPG sabe exatamente o que isso significa. Não importa se você tem experiência no tipo de controles, nas características comuns ao gênero ou mesmo se você conhece trezentos jogos assim... Vai demorar até que você compreenda os objetivos deste game e o que deve ser feito para conseguir tirar o melhor proveito de cada persona e quais as melhores maneiras de estabelecer links.

E mais: as primeiras quatro ou cinco horas de jogatina servirão como uma bela introdução para que você saiba a profundidade dos eventos aos quais está prestes a se aprofundar. Ainda assim, depois que o jogo deixa que você ande com suas próprias pernas, a sensação é de que há muito que se fazer e pouco tempo para terminar tudo.

São esses os motivos que levam os RPGs como Persona 4 Golden a  entreterem jogadores por mais de 50 horas de jogatina, sem que eles mudem de jogo em seus video games. Pessoalmente, depois de horas a fio com o PlayStation Vita na mão, eu fiquei com severas dores nos dedos, de tanta tensão durante os momentos de apertar os botões de ataque.

O ponto negativo propriamente dito é que o jogo requer uma pré-disposição de apreço pelos role playing games. O desembarque repentino de um jogador desavisado pode acarretar em uma experiência quase traumática, pois a complexidade do conjunto que forma a jogabilidade é realmente muito específica. Em outras palavras, ou você já gosta de RPG ou será difícil começar com este game... Em que outro jogo você precisa prestar atenção à previsão do tempo?

93 psvita
Excelente