Análise de Ratchet & Clank Future: A Crack in Time

A famosa dupla surge de forma fantástica... Mais uma vez.

Modo multiplayer é dispensável apenas em alguns títulos. Nestes casos, os jogadores têm a oportunidade de acompanhar histórias excitantes, capazes de prender longamente a atenção até mesmo das pessoas mais críticas. E tudo fica ainda mais divertido quando os personagens principais são um Lombax — uma espécie de raposa com gato — e um robô cativante.

A Crack in Time é a continuação de Quest for Booty e faz jus ao charme da franquia. Os pequenos, minúsculos problemas técnicos encontrados são superados pela qualidade da ação e dos desafios apresentados. Clank foi abduzido subitamente pelos Zonis e Ratchet, portanto, tenta consertar o estrago. Felizmente, é possível jogar também com o robô. E como.


As melhorias deste game em relação ao seu antecessor são bem expressivas. Em poucas horas de jogo, há a possibilidade de brincar com uma série de novidades referentes a armas, movimentos e resolução de quebra-cabeças. Realmente, Clank brilha no jogo da Insomniac Games, mesmo estando nos domínios do inimigo.

Os personagens coadjuvantes também cumprem muito bem o papel de... Coadjuvantes. Captain Qwark, por exemplo, é o perfeito exemplo do "herói machão" (fanático por publicidade e fama) que, na hora da pancadaria, faz o possível para escapar. Os vilões, então, são hilários. Dr. Nefarious é um protagonista que parece ter vindo diretamente de um desenho animado bem humorado.

O único Lombax... Ou não Isso mostra que os desenvolvedores tiveram bastante cuidado em impactar os fãs da dupla de heróis com um ótimo trabalho de vozes. Se você quer apenas uma palavra que descreva bem a ambientação do game, aqui vai uma: descontraída. O riso ocorre eventualmente durante as aventuras de Ratchet, que, apesar de ser a estrela do jogo, dá espaço para que Clank também cative os gamers.

Tudo por um Zoni

Sim, as pequenas criaturas podem — e devem — ser capturadas para que a nave de Ratchet ganhe atualizações tecnológicas. Certos Zonis estão localizados em lugares perigosos nas superfícies dos diferentes planetas que podem ser explorados pelo jogador.

A interação com toda a galáxia é um ponto que conta a favor de A Crack in Time. Ainda mais quando a transição entre a navegação do espaço sideral com nave e a aterrissagem nos planetas é direta, sem cortes. Fluidez é algo que não falta na continuação de Quest for Booty.

Na realidade, o que conquista os fãs da série é o mix entre a trama bizarra e a variedade de itens, combates e inimigos. Caso o jogador deseje explorar completamente o que os desenvolvedores têm a oferecer com o terceiro episódio da série Future, os cenários devem ser explorados de forma intensa e completa para que muitos Bolts — necessários para a compra e melhoria de armas e munições — sejam adquiridos.

Mais uma vez, vale reforçar que tudo conta com um clima muito descontraído e atraente. Um bom exemplo é a exibição do próprio mapa. Se aberto pela primeira vez pelo jogador, o mapa é descrito não apenas como uma ferramenta de navegação, mas sim como uma FANTÁSTICA ferramenta de navegação.


Aprovado

Do que nós gostamos


Mr. Zurkon, venha para o auxílio!

Não, esta não é a arma de arrotos De fato, é difícil criticar a incrível diversificação das armas. É curiosa a sensação de gastar os Bolts adquiridos em um arsenal que conta com muitos itens, digamos, fora do comum. O que você acha de disparar arrotos (sim, arrotos) com uma arma que, na realidade, é uma criatura simplesmente bizarra? E, se o gamer tiver bons reflexos, poderá fazer estrago atirando assim que os pulmões do bicho estiverem cheios de ar. E sim, isso é indicado na tela.

Além disso, há a chance de chamar um robô para o combate. O impetuoso Mr. Zurkon não é a chave para o sucesso, mas atrapalha bastante os inimigos e permite que o jogador possa se concentrar mais nos tiroteios. Os combates, aliás, contam com um desempenho de cair o queixo, visto que vários inimigos aparecem na tela e dificilmente reduzem a taxa de quadros por segundo (FPS) drasticamente.

Jogabilidade sensacional

Não é nem um pouco difícil de assimilar os variados comandos de Ratchet e Clank. Toda a ação se desenrola de forma prática e acessível para os mais diferentes jogadores. A interface e os rápidos momentos de aprendizado (ou tutoriais, se preferir) entram em sintonia com a boa apresentação dos embates travados.

Também conhecido como XJ-0461 De modo geral, o estilo da ação convence. Botas especiais que desafiam as leis da gravidade e são primordiais para a superação de determinados obstáculos, lutas com chefes excitantes e desafiadores, quebra-cabeças que levam Clank a realizar cópias no passado e interagir com elas...

Trama única

Os personagens e os diálogos encontrados na terceira edição da série Future, em conjunto, criam uma história que destoa completamente das sagas encontradas em jogos parecidos de ação/plataforma. O clima humorístico pode ser comparado diretamente com uma série de desenhos animados que frequentemente causam o riso e estimulam o bem estar das pessoas.

E, visto que os fatos são cada vez mais envolventes, não há o que reclamar. Ratchet, Clank, Zonis, Captain Qwark, Dr. Nefarious... Todas essas figuras únicas são capazes de prender a atenção até mesmo de quem nunca ouviu falar na famosa dupla.

Tecnicamente aprazível

O trabalho de arte do jogo, por assim dizer, é melhor do que a retratação gráfica. Cores exuberantes e cenários estranhamente atraentes mostram que o desempenho e a simplicidade vêm antes da perfeição gráfica. Os desenvolvedores conseguiram reproduzir visuais que somente colaboram com o estilo peculiar da ação.

Único é pouco

Sonoramente, o game é ótimo. Além de contar com sons muito convincentes, o título da Insomniac Games possui um trabalho de vozes simplesmente incrível. Para quem compreende o idioma inglês sem problemas, o jogo é um prato cheio de entretenimento.


Reprovado

O que espantou o BJ... No mau sentido


Peraí... Clank está atravessando a parede?

Bugs feios que nem este monstro A Equipe Baixaki Jogos foi capaz de presenciar um bug muito estranho. Ao que tudo indica, a versão demonstrativa foi retirada diretamente da versão completa, já que o "glitch" encontrado foi exatamente o mesmo.

E qual é o bug? Ao controlar Clank no início do game, é possível atravessar a parede de forma bizarra e colocar o personagem dentro de um objeto inusitadamente. Em outras palavras: falta de polimento na interação entre objetos.

Isso faz com que a câmera fique desnorteada, o que não favorece nem um pouco a experiência. A câmera, aliás, não é das melhores e pode ser avaliada como um ponto ruim para quem quer não quer problemas durante a ação.

Uma pena que o game não é igual às CGs...

Os gráficos deste jogo perdem para outros grandes títulos destinados ao console da Sony. No entanto, isso já era esperado. O que poucos esperavam é que surgissem diferenças brutais entre as CGs (animações criadas com base em tecnologias mais avançadas; clipes que separam blocos do game) e a aparência visual dos objetos dentro do jogo.

A aplicação de alguns filtros, a qualidade de certas texturas e a iluminação geral são exemplos satisfatórios referentes a este... "Infortúnio". Os clipes são espetaculares e destoam do que ocorre no game, mas realçam perfeitamente a atmosfera divertida de A Crack in Time.


Avaliação Final

Vale a pena?


O final da trilogia é mais que satisfatório. É envolvente. Não importando a idade do jogador, as aventuras da dupla Ratchet e Clank são muito interessantes e combinam perfeitamente com o estilo da ação retratada na tela.

Explosões não faltam

A Crack in Time é uma ótima opção para quem procura se divertir com um título descontraído, até mesmo hilário. E as cores vibrantes e a apresentação em forma de desenho animado não deixam de contar com trocas de diálogos maduras, cativantes.

Por fim, pode-se dizer que, para quem não conhece a famosa série da Insomniac Games e possui um PlayStation 3, este é um grande jogo de ação. E, para quem já conhece a dupla faz tempo, também.


Compre com o menor preço:
90 ps3
Excelente