Contando com incríveis drifts em alta velocidade, Ridge Racer 7 é obrigatório para fãs das versões anteriores da série.

Em 1993, um título completamente diferente dos padrões de jogos de corrida foi lançado para o arcade. Possuindo o menor número possível de elementos que remetiam à realidade, o game inovou por se distanciar dos aspectos simuladores que grande parte dos jogos persistia em conservar. Este jogo chamava-se Ridge Racer e teve, mais tarde, 4 sucessores para o arcade e 11 versões lançadas para consoles, incluindo uma adaptação para Playstation da versão original.

Treze anos mais tarde, a franquia tão amada (ou odiada) pela sua jogabilidade peculiar com um excesso de elementos arcade, chega ao sétimo Ridge Racer — que não necessariamente o sétimo da franquia, e sim da série principal —, contando com os elementos que fizeram a fama da franquia.

Alta velocidade entre drifts e nitros

Ridge Racer 7, assim com seus antecessores, é um jogo de corrida fundamentado em altas velocidades e incríveis drifts (derrapadas em alta velocidade durante as curvas). O jogador que souber realizá-los com eficiência, velocidade e no momento correto, sairá vitorioso das corridas.

Os drifts são bastante exagerados e praticamente automáticos, cabendo ao jogador apenas realizá-los no momento certo e voltar à pista ao finalizar a curva. Apesar de soar simples até demais, leva certo tempo até o jogador menos experiente entender como todo o mecanismo funciona.

Além de ajudar na realização das curvas, os drifts também possuem outra função bastante importante: completar a barra de nitro, localizada no canto inferior esquerdo da tela. Quanto mais rápido e eficiente é o drift, mais rapidamente ele fará com que a barra aumente. Ao realizar um drift após ativar o nitro, o jogador torna o decréscimo da barra mais lento, porém, se o drift for executado após o término da barra, ela se enche de forma muito mais rápida que o normal.

Como na maior parte dos jogos de corrida atuais, em Ridge Racer 7 o nitro é um recurso que desempenha um papel muito importante durante as corridas. Há 3 níveis de nitro que podem ser completados com a realização de drifts eficazes, enchendo as barras indicadoras. É possível também comprar upgrades, melhorando a eficiência e funcionamento. Outra possibilidade é a de comprar níveis de nitro antes de se iniciar uma corrida, dando vantagem ao jogador sobre seus oponentes, tendo em vista que assim ele inicia a corrida com o recurso já disponível para uso.

Máquinas com design futurista e fabricantes que procuram exclusividade

As chamadas máquinas em Ridge Racer 7 são carros bem desenhados e com design futurista, diferenciando-se, assim, dos automóveis de outros jogos do gênero. Como não há carros licenciados no game, todos eles são fictícios, assim como seus fabricantes. Há diversos carros de cada uma das diversas marcas, com atributos e desenhos diferentes.

Além dos veículos, as companhias também disponibilizam a venda de peças e upgrades para eles. O jogador que tem preferência por certo fabricante é premiado com descontos nas peças. Esta preferência é medida por pontos, que são adquiridos à medida que o jogador as compra e utiliza.

Porém, para poder adquirir algum produto de uma marca, deve-se iniciar uma relação com ela. Isto só é possível ao se ganhar uma corrida específica do fabricante. Ao iniciar o modo Ridge State Grand Prix (campanha solo), por exemplo, o jogador tem à disposição 3 corridas para 3 diferentes empresas de automóveis: Kamata, Age e Danver. Ao ganhar cada corrida, ele recebe um carro do respectivo fabricante, iniciando assim a relação.

Pistas recicladas do Xbox 360

Em Ridge Racer 7 é possível competir em 21 pistas, tanto no sentido horário quanto anti-horário, o que abre bastante o leque de possibilidades e torna o problema da falta de pistas mais ameno. Um ponto negativo é o fato das pistas, em grande parte, serem recicladas da versão anterior da franquia, lançada para o Xbox 360.

O jogo apresenta também, além do modo Ridge State Grand Prix, o clássico modo time attack, para aqueles que gostam de superar seus próprios limites; e um modo arcade, para uma partida sem compromisso. O modo online do jogo é bastante interessante e desafiador, levando o jogador a testar os limites de suas habilidades no game. Neste último modo, é possível que até 14 jogadores compitam ao mesmo tempo, divididos em 2 times, forma incomum e interessante de multiplayer. O placar da pontuação dos jogadores só é atualizado em média uma hora após o termino das partidas, deixando a competição pelas melhores colocações menos acirradas em certos casos.

Uma questão de amor ou ódio

O sensacionalismo e exagero que Ridge Racer apresenta desde sua primeira versão trouxe conseqüências. Os games da série são um clássico exemplo capaz de dividir o público em duas classes: os que amam e os que odeiam. A série atinge aos fãs de alta velocidade descompromissada, com muito sensacionalismo e poucos aspectos realistas. Já o público abrangido por jogos no estilo Gran Turismo, por exemplo, provavelmente não sucumbirá aos apelos de Ridge Racer.

No geral, é muito estranho ver carros com um design fora do comum fazendo curvas a 300 km/h, derrapando com o nitro acionado ou até mesmo a narradora comentando com entusiasmo passagens óbvias da corrida. Ridge Racer 7, enfim, mesmo com seus diversos modos e jogabilidade de fácil acesso a todos, provavelmente não atrairá muito mais do que fãs da série.

79 ps3
Bom