Um incentivo à direção perigosa

Esqueça tudo o que você sabe sobre Ridge Racer. A série, que se tornou um clássico das corridas arcade na era do PsOne, vinha mal das pernas nos anos mais recentes e, agora, passa por uma remodelada total no PlayStation  3, Xbox 360 e PC.

Img_normal
Em Unbounded, a corrida não é nada limpa e vence aquele que chegar em primeiro, causando o máximo de destruição pelo percurso. Com ares de Burnout, toda a ação ocorre em percursos urbanos em meio ao tráfego intenso, gerando um resultado empolgante.

Img_normal
Para quem procura algo a mais além de uma simples corrida, Ridge Racer Unbounded é uma boa pedida. A velocidade e a destruição aparecem em doses igualmente cavalares e, aliadas à variedade de estilos de pistas e objetivos, garantem horas de diversão.

A falta de elementos de pilotagem, porém, pode desagradar aqueles que buscam uma experiência mais profunda. Para este público, o game não passará de uma diversão trivial, que não conquista por muito tempo.

Quanto mais escombros, melhor

Ridge Racer Unbounded presenteia o jogador com um ambiente incrivelmente detalhado. As cidades, além de lotadas de prédios e trânsito pelas ruas, também conta com postes, muros, postos de gasolina, pilastras e diversos outros tipos de objetos. Todos podem ser destruídos e viram pontos, que permitem ao jogador ser ainda mais devastador.

A demolição, bem como ultrapassagens e derrapagens, fazem com que o carro adquira cada vez mais poder. Quando a barra de turbo é completada, é possível passar literalmente por cima dos adversários, recebendo bônus de acordo com o tempo que o oponente passou no ar ou capotando no asfalto.

Existem também os alvos, objetos maiores localizados nos cenários que só podem ser destruídos com a utilização da barra. Sendo assim, é possível atravessar supermercados ou dirigir por dentro de prédios de escritórios, acumulando mais pontos durante o trajeto. Ainda, caminhões de gasolina ou barris explosivos podem ser detonados da mesma forma, causando danos à cidade e aos oponentes que estiverem ao redor.

O resultado dessa mistura são provas incrivelmente intensas, em que o seu poder de demolição é tão importante quando a capacidade do seu carro. A destruição de alvos abre novos caminhos pelos circuitos e garante posições importantes, enquanto explosões podem garantir sua vantagem em relação aos competidores. Em Ridge Racer Unbounded, a lei é fazer de tudo para vencer.

Todo o poder ao jogador

Um dos principais diferenciais de Ridge Racer Unbounded em relação aos outros jogos de corrida é o sistema completo de criação de pistas. No modo online, é possível encontrar uma infinidade de circuitos feitos por jogadores de todo o mundo, voltados para os mais diferentes estilos de pilotagem e que possibilitam acrobacias alucinantes.

O sistema é simples e funciona por meio de blocos colocados em uma grade. Há diversos tipos de “quarteirões” para serem escolhidos e as criações podem variar desde circuitos simples até caminhos intrincados, com diversos viadutos e atalhos para tornar tudo ainda mais empolgante.

Após criar o percurso, é hora de acrescentar detalhes, como objetivos destrutíveis, rampas e alvos. É aqui que uma corrida normal pode se transformar em um verdadeiro festival de destruição e o limite para isso é única e exclusivamente a criatividade e disposição do jogador.

Liberdade de escolha

A possibilidade de criar provas diferentes já adiciona possibilidades praticamente infinitas a Ridge Racer Unbounded, e as combinações se tornam ainda mais variadas com os mais diversos modos de jogo. Além dos tradicionais, como corridas comuns ou tomadas de tempo, a Namco Bandai se aproveita muito bem das possibilidades que apenas um título como este poderia proporcionar.

Há, por exemplo, provas em que o único objetivo é causar o máximo de destruição possível em um determinado trecho na cidade. Em outras, você está no comando de um caminhão e deve destruir carros de polícia para conseguir fugir. Essa variação torna a experiência mais divertida e evita que o game caia no marasmo.

Simples e objetivo

No quesito controles, Ridge Racer Unbounded chega a lembrar os jogos de corrida do passado. Para correr, basta apenas acelerar, frear e usar o turbo. A ausência de um freio de mão, por exemplo, faz falta em curvas mais estreitas, mas, de maneira geral, a jogabilidade é perfeita para o estilo.

Limites, por favor

Img_normal
A série Ridge Racer, como um todo, não tem a menor intenção de ser um simulador de velocidade. O objetivo é se divertir ao máximo com as corridas, sem a preocupação com ajustes nos carros ou traçados perfeitos. O problema é que Unbounded leva esse conceito um pouco longe demais.

À medida que avança no game, o jogador vai habilitando novos veículos. As máquinas, porém, apresentam muito pouca diferença de desempenho entre si. Também não existem modelos dedicados a um tipo específico de prova, como carros mais rápidos para corridas comuns ou com boa aceleração para provas de derrapagem.

Sendo assim, o jogador não é estimulado a mudar sua escolha e é capaz de seguir do começo ao final do game com um único veículo, desde que utilize o turbo na hora certa e saiba usar os objetos do cenário a seu favor. Ainda, existem poucas opções de cores para os modelos, reduzindo as possibilidades de personalização.

Destruição até demais

A grande quantidade de elementos pelas pistas de Ridge Racer Unbounded acaba gerando uma constante queda na taxa de quadros por segundo. Nos momentos em que muita coisa está acontecendo – com carros sendo destruídos, explosões pelas esquinas e escombros voando por todos os lados – o desempenho do game cai consideravelmente.

Img_normal
Esse problema acaba gerando erros de pilotagem e estragando uma potencial corrida perfeita. Nesses casos, o ideal é reiniciar a prova, fazendo com que o game volte a seu funcionamento normal. Para o jogador, resta apenas a esperança de repetir o bom desempenho.

Baixo volume

Se para você, o ronco dos motores é um dos melhores sons do mundo, é melhor pensar novamente na hora de jogar Ridge Racer Unbounded. Todos os veículos soam iguais e há pouca distinção entre as marchas mais baixas e altas. O barulho das máquinas em funcionamento mais parece um zumbido.

Apesar de contar com as faixas eletrônicas que já são tradição na franquia, a trilha sonora do game também não chama a atenção. Grandes artistas do gênero estão presentes no game, mas as músicas não ajudam a deixar as corridas ainda mais interessantes.

78 pc
Bom

Outras Plataformas

78 ps3
78 xbox-360