Falhas imperdoáveis preenchem Saints Row 2 e impedem que a diversão do jogo seja maior!

O célebre filósofo francês Antoine Laurent Lavoisier que viveu no século 18, mais precisamente entre 1743 e 1794, disse certa vez que “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

Baseado nesta frase surgiu um ditado popular muito menos profundo, mas que não deixa de possuir uma boa parcela de verdade em sua essência: “Na vida nada se cria, tudo se copia”. A série Saints Row, desde seu primeiro jogo, é prova da veracidade deste ditado.

O jogo consegue ser mais apelativo que GTA IV. Basta uma proposta inovadora surgir no mundo dos games e não demora para aparecer um título que simplesmente copia descaradamente o sucesso do original. É isso que acontece entre Grand Theft Auto e Saints Row.

Outra observação muito comum nestes casos é que, geralmente, quando um sucesso absoluto como GTA — a série de games de maior sucesso de todos os tempos — surge, suas cópias são sempre produzidas com um esforço absurdo e não chegam sequer aos pés do título original.

O Tabu se comprova na comparação entre Grand Theft Auto e Saints Row. Apesar dos representantes da THQ terem afirmado declaradamente que o jogo estava sendo desenvolvido com o intuito direto de desbancar GTA IV, o resultado foi muito abaixo do prometido.

A THQ atira pedras na fortaleza da Rockstar

Um fato que não pode ser negado é que nenhum jogo lançado utilizando as tecnologias disponíveis atualmente será capaz de desbancar a série GTA. A produção da Rockstar construiu ao seu redor uma fortaleza composta por um desenvolvimento simplesmente maravilhoso, proposta fantástica, inovações de tirar o fôlego e um fã clube que endeusa todos estes aspectos.

Então vem uma distribuidora que já é conhecida por lançar grandes desastres do mundo dos games e afirma categoricamente: “Nós estamos lançando um jogo que deixará GTA IV no chinelo.” Sim, os representantes da THQ realmente tiveram a petulância de afirmar tal absurdo.
 
 Diversas gangues e nada que chegue aos pés de GTA IV.
 
Agora, porém, são obrigados a pagar o preço da língua comprida. É incontestável que as propagandas de Saints Row 2 foram muito bem boladas, e extremamente apelativas, inserindo até mesmo atrizes pornô no time de desenvolvimento do jogo.

Porém falar é fácil, mas provar o que se diz na prática não é tão simples como os desenvolvedores do jogo pensaram que seria.

Saints Row 2 tem sim seus méritos, e a equipe do Baixaki Jogos não nega isso, porém os desenvolvedores devem arcar com as conseqüências de afirmar que o jogo seria muito melhor que GTA IV.

Logo, esta análise será dividida em três partes principais: esta introdução, um momento reservado para enfatizar as qualidades do jogo e, por fim, a inevitável comparação com Grand Theft Auto IV.

Se existem vantagens? Claro que sim!

Apesar da crítica pesada no início da análise, com certeza existem pontos positivos no jogo lançado pela THQ. O jogo não é um desastre total, como outros títulos da distribuidora.

Saints Row 2 tem uma proposta que segue um caminho similar ao de GTA IV, porém com algumas variações que habilitam uma proposta muito mais crua e doentia que a de Grand Theft Auto.

A criação e edição do personagem é uma das ferramentas que mais chama atenção em Saints Row 2.Enquanto em GTA IV Niko Bellic chega à cidade com o objetivo de obter uma mudança em sua vida criminosa, na busca de alcançar o tão falado sonho americano de carros esportivos, as mais belas mulheres e milhões na conta bancária, o protagonista de Saints Row tem uma visão bem diferente do mundo no início do jogo.

O jogo começa com a seleção da fisionomia de seu personagem, que é um dos pontos mais marcantes de toda a experiência: a variedade de ferramentas de edição é capaz de deixar o jogador impressionado.

Além de modificar sexo, raça e porte do seu próprio personagem, é possível escolher a voz e até mesmo a expressão facial que este terá durante o game, bem como forma com a qual o protagonista irá se expressar em momentos de comemoração ou de fúria.

Enredo focado na violência

Após uma primeira impressão boa, você acorda na maca da enfermaria de uma prisão. Pouco mais de dois anos se passaram desde que o jogador foi parar na cadeia, no final de Saints Row.

Ainda na enfermaria, você é convidado a fugir da prisão por um camarada que jura estar ali só para te resgatar. Inicia-se então uma fuga cuja dificuldade pode ser considerada bastante baixa, principalmente para uma prisão de segurança máxima.

Após chegar à cidade, o protagonista descobre que um de seus amigos está em julgamento justamente naquele dia e que com toda a certeza será condenado à prisão, talvez perpétua, ou quem sabe a uma pena de morte.

Aproveitando o golpe do destino de se libertar, forçadamente, no exato dia deste julgamento, você decide resgatar seu amigo de dentro do tribunal. Com a cara e a coragem, seu personagem invade sozinho o tribunal da cidade, descarregando balas nos seguranças do local.
 
Boom!

Daí em diante, você e seu amigo decidem recriar sua gangue, os Saints. Sua missão no jogo é essa. Reorganizar os Saints e dominar a cidade com eles, vencendo todas as outras gangues da região.

E isso é óbvio. Este é o principal aspecto que chama atenção em Saints Row, os minigames do jogo, bem como seus objetivos e o sistema que garante pontos extras (de respeito, no caso) por exercer diversas ações tipicamente características de gangues, transgredindo as mais diversas leis, tornam a experiência simplesmente escrachada, o que pode muito bem ser um ponto positivo, dependendo de seu objetivo ao jogar.

Agora, vamos às críticas!

Como fica claro, Saints Row 2 tem seus aspectos positivos. Entretanto, já havíamos prometido no início da análise uma comparação direta com Grand Theft Auto IV, e é agora que a diversão começa para os fãs de GTA!

Como assim um jogo muito melhor que GTA IV? Chega a ser difícil escolher por onde começar a criticar o jogo, então começaremos pela principal falha do game: os gráficos e seus incontáveis defeitos.

Se o jogo queria se comparar a GTA IV, deveria pelo menos contar com a qualidade gráfica equivalente a do título da Rockstar Games. É claro que GTA possui diversas falhas gráficas, porém sua textura, modelagem, iluminação e principalmente física são simplesmente fantásticas.

Para começo de conversa, o jogo utiliza a engine Euphoria, que possui os mais avançados cálculos físicos no que diz respeito ao comportamento do corpo dos personagens nas mais diversas condições.

Portanto, as quedas do jogo são extremamente realistas. A inteligência artificial também é simplesmente magnífica. O que garante uma experiência muito mais radical e emocionante no meio de uma cidade repleta de pedestres e motoristas que respondem de maneira real aos incidentes insanos que seu personagem realiza.

Saints Row não tem nada disso. A física é uma verdadeira porcaria, principalmente em se tratando das quedas de grandes alturas do personagem: o corpo simplesmente para de se mover, e transforma-se num aparente boneco de pano ridículo.

Ao cair no chão, parece que não existe gravidade ou inércia. É como se o corpo, composto por um material de baixa densidade, chegasse ao fundo de uma piscina, encostando gentilmente as pernas, depois joelhos e assim por diante.

Nada comparável a GTA IV!

O resultado é um jogo que não chega sequer aos pés do título da Rockstar. Saints Row 2 pode até oferecer um pouco de diversão, garantindo principalmente boas gargalhadas com relação às falhas gráficas e de inteligência artificial que o título apresenta.
 

Se você não está satisfeito com GTA IV, não há a menor sombra de dúvida: Saints Row 2 não será o suficiente para lhe oferecer diversão. Se você, pelo contrário, é fã da série da Rockstar, não dê sequer uma chance a Saints Row 2, pois será uma terrível decepção na sua vida!
51 ps3
Fraco

Outras Plataformas

51 xbox-360